GUIA 2022: MotoGP monta maior calendário da história com novas corridas e retornos

A MotoGP quis mostrar que superou a pandemia e ampliou consideravelmente o calendário para 2022, criando o maior de sua história. Mesmo assim, apresenta apenas duas novas pistas para este ano

GUIA MOTOGP 2022: FAVORITOS, NOVATOS E PALPITES PARA TEMPORADA

A MOTOGP SE PREPARA PARA VIAJAR COMO NUNCA EM 2022. Ao longo de exatos oito meses, o Mundial de Motovelocidade vai realizar 21 corridas em cinco continentes, passando por 17 países diferentes. O calendário apresenta duas novidades, mas os destaques acabaram sendo os retornos dos circuitos que ficaram ausentes nos últimos dois campeonatos por conta da pandemia da Covid-19.

A temporada 2022 da MotoGP começa no dia 6 de março, com a etapa noturna do Catar, como já é tradição há alguns anos, e se encerra em 6 de novembro, na Comunidade Valenciana. Entre essas corridas, várias pequenas pausas ao redor do mundo, criando o maior cronograma já visto pelo Mundial em sua vasta história.

As novidades, porém, são apenas duas. A primeira fica por conta da pista Mandalika, na Indonésia, que já recebeu os testes de pré-temporada e vai sediar também a segunda etapa do calendário, no dia 20 de março. Em 10 de julho, será a vez do KymiRing, na Finlândia, finalmente estrear depois de adiamentos por obras inacabadas e também, claro, pela pandemia.

Phillip Island retorna ao calendário da MotoGP após dois anos ausente (Foto: Repsol)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

O coronavírus, aliás, impactou muito o calendário da MotoGP nos últimos dois anos, forçando diversos cancelamentos e obrigando as realizações de várias rodadas duplas nos mesmos circuitos para encher o cronograma. Neste ano, depois que a vacinação ganhou força ao redor do mundo e de um afrouxamento de algumas leis sanitárias, esse plano não está previsto.

Entre os retornos, o GP da Argentina puxa a fila, no dia 3 de abril. Durante a pandemia, o circuito de Termas de Río Hondo foi palco de um grande incêndio, passou por reformas e agora está pronto para fazer parte do Mundial pela primeira vez desde 2019. Na Europa, todos permanecem intactos, como nos últimos anos.

A Ásia, porém, é quem comanda os retornos ao calendário, começando pelo GP do Japão, no dia 25 de setembro. A Tailândia abre as portas do circuito de Buriram no dia 2 de outubro. Uma pequena parada até a Austrália, em Phillip Island, no dia 16 de outubro, para uma das mais queridas provas dos fãs e dos pilotos. Por fim, a Malásia recebe o campeonato em 23 de outubro, mas já foi sede da primeira semana de testes recentemente.

E se você está meio perdido em relação ao mundo do esporte a motor como um todo, saiba que o Brasil continua fora do calendário do Mundial de Motovelocidade. Apesar do anúncio feito anos atrás prometendo uma prova no Rio de Janeiro em 2022, no fracassado projeto de Deodoro, o autódromo nunca saiu do papel, e os brasileiros permanecerão sem ver os grandes pilotos da MotoGP de perto por mais um ano.

Diante de um plano ousado de ampliar a presença da marca, a MotoGP montou seu maior calendário. Com poucas novidades, é verdade, mas com boa visibilidade em vários continentes e pistas para todos os gostos. Apenas mais um tempero na receita que vem fazendo sucesso há alguns anos.

GUIA MOTOGP 2022
MotoGP abre era pós-Rossi com menu extenso e pratos para lamber os beiços
MotoGP mantém estabilidade e só tem mudanças pontuais no regulamento
Acosta chega forte, mas Moto2 é livro aberto na busca por protagonista
Volta de Carrasco e estreia de Moreira deixam olhos atentos à Moto3

DUCATI MOSTRA CONFIANÇA E APOSTA EM RELAÇÃO DURADOURA COM BAGNAIA NA MOTOGP
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar