MotoGP

Honda exalta final de semana positivo na Alemanha e destaca “prova perfeita de Márquez”

A Honda teve uma grande passagem pela Alemanha, com uma vitória dominante de Marc Márquez e um pódio de Cal Crutchlow. Alberto Puig, chefe da equipe, não deixou de comemorar o bom final de semana, destacando que o espanhol foi perfeito na prova

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
A Honda não poderia esperar um GP da Alemanha mais favorável. Inclusive, Alberto Puig, chefe da equipe, classificou o final de semana como positivo e falou que a corrida de Marc Márquez foi perfeita.
 
A passagem por Sachsering teve nada menos que a décima vitória do espanhol no circuito alemão. Largando da pole-position, apenas manteve a vantagem e ainda cruzou a linha de chegada com um respiro de 4s5 para o segundo colocado. Ainda, Cal Crutchlow ficou em terceiro, colocando outra Honda no pódio.
 
“A estratégia era tentar escapar pouco a pouco e abrir algo de 0s1 ou 0s2 por volta. Desta forma, Márquez evitou de tomar muitos riscos nos primeiros giros e pôde correr sozinho. Diria que foi uma corrida perfeita para Marc”, explicou Puig.
 
“Acredito que todos os pilotos da Honda foram mais ou menos bem na escolha dos pneus. No geral, terminamos com três motos no top-10, com um bom rendimento e basicamente todos os pilotos estão satisfeitos com seus resultados”, continuou.
Puig e Márquez (Foto: Reprodução)
“Não podemos falar de pontos negativos. Tivemos um pódio duplo com Marc e Cal Crutchlow. Stefan Bradl, como piloto de testes, fez um trabalho fantástico, confirmando não apenas que é um bom piloto de testes, mas também é rápido. Definitivamente, foi um final de semana positivo”, completou.
 
Apesar de o #93 se mostrar cada vez mais imbatível na Alemanha, Alberto fez questão de frisar que nenhuma corrida está ganha antes de ser disputada. “Márquez é uma garantia neste circuito, pois ganhou quase todos os anos com nossa Honda. Isso não significa que pode relaxar, mas os resultados nos dão otimismo”, explicou.
 
“Está claro que entende onde pode arriscar e onde não pode na pista. Claro que uma corrida é uma corrida e pode cair em qualquer momento e em qualquer circuito, mas tenho que admitis que inclusive nos treinos Marc tinha um ritmo muito forte e trabalhou duro com sua equipe. Não pode ganhar antes de correr, mas claramente tínhamos um bom plano e boas sensações”, seguiu.
 
Por fim, Puig comemorou a vantagem de 58 pontos de Márquez, mas afirmou que “sempre olhamos para o futuro e seguimos trabalhando nele. Agora, durante a pausa de verão, pensaremos onde podemos melhorar, tendo em mesmo o mesmo objetivo para Brno: ganhar a corrida.”
 
“Esse é sempre o nosso objetivo. Temos que ir para a República Tchéca pensando que temos zero ponto de vantagem. Certamente o piloto e os engenheiros no Japão vão ter um período para descansar um pouco e recarregar as pilhas para estarem preparados e concentrados para a próxima corrida e o restante da temporada”, encerrou.

Ainda se recuperando do forte acidente que sofreu em Assen, onde fraturou duas vértebras, Jorge Lorenzo não correu na Alemanha. Mas Puig fez questão de deixar seus votos para o espanhol, dizendo que a equipe está o esperando retornar para a moto.
 
Paddockast #24
A BATALHA: Indy x MotoGP




 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.