Honda sobra, e Márquez comanda primeiro dia de testes privados em Austin. Lorenzo é terceiro

A Honda não teve dificuldades para impor um forte ritmo durante o primeiro dia de treinos privados, que teve a companhia da Yamaha e da satélite LCR, em Austin. Marc Márquez foi o mais rápido nesta terça-feira (12)

Visando a estreia do suntuoso circuito de Austin no calendário da MotoGP em 2013, Yamaha, Honda e a satélite LCR programaram para esta semana três dias de testes privados no Circuito das Américas. A intenção, obviamente, é a de conhecer o novo traçado e obter o melhor acerto possível para as motos na difícil pista texana, que no ano passado sediou a F1.

Marc Márquez liderou o dia em Austin (Foto: theaustingrandprix.com)

O dia foi de muito trabalho para os cinco homens que desbravaram o circuito da capital do Texas. E quem se deu melhor nesta primeira bateria de testes foi, mais uma vez, a Honda. O time japonês comandou as ações durante todo o tempo, promovendo um duelo particular entre Dani Pedrosa e Marc Márquez.

No fim, o novato acabou ficando com o melhor tempo desta terça-feira (12), com a marca de 2min04s619. O tempo superou em 0s328 o registrou alcançado pelo espanhol mais experiente. De quebra, essa foi a primeira vez nestes testes preparatórios para o campeonato 2013 que o campeão da Moto2 apareceu na ponta da folha de tempos.

Márquez, aliás, como já havia demonstrado nos primeiros testes da pré-temporada do Mundial em Sepang, mostrou rápida adaptação e voou no traçado norte-americano. Foi ele, inclusive, que iniciou os treinos na frente. Ainda no início da manhã, o jovem catalão liderou a tabela com 2min08s651, mas a marca era ainda muito alta. Ainda assim, Marc permaneceu na ponta, seguido pelos dois pilotos da Yamaha, Jorge Lorenzo e Valentino Rossi. Pedrosa aparecia apenas em quarto, com Stefan Bradl, da satélite LCR, em quinto.

Mas o decorrer do dia, que começou com baixas temperaturas ― na casa de 8 graus ―, mas que atingiu os 26 durante a tarde, viu muita ação, mas a briga mesmo ficou por conta das motos laranja. À medida que os pilotos foram se adaptando e descobrindo o traçado, que ainda não tinha a aderência necessária, os tempos foram caindo também. Da marca inicial de 2min08s, Márquez e Pedrosa abriram a tarde já com tempos na casa de 2min07 alto. Depois, baixaram para 2min06 baixo e, em seguida, atingiram a marca de 2min05s. Mas foi Márquez o responsável por cravar uma volta espetacular na última hora de sessão, quando virou 2min04s619.

Pelos lados da Yamaha, Lorenzo e Rossi andaram quase que o tempo todo no mesmo ritmo, mas o espanhol acabou imprimindo um ritmo mais forte nas horas finais, subindo para o terceiro posto da tabela. O atual campeão fechou o dia com o tempo de 2min05s291, pouco mais de meio segundo atrás do novato da Honda. A quarta colocação ficou com Bradl, da Honda satélite, enquanto Rossi terminou em quinto, com 2min06s507. O multicampeão foi o piloto que mais andou hoje. Ao todo, Valentino percorreu 68 voltas.

Jorge Lorenzo foi o terceiro (Foto: Yamaha)

O treinamento ainda teve a participação duas motos CRT. Blake Young e Michael Barnes trabalharam para acumular quilometragem. Os dois cravaram o sexto e o sétimo tempos, respectivamente. Nesta quarta, os pilotos retornam ao Circuito das Américas para mais uma bateria de testes. 

MotoGP, Austin, Treinos privados, dia 1:

1
Marc MÁRQUEZ
ESP
Honda
 
2:04.619
 
2
Daniel PEDROSA
ESP
Honda
 
2:05.047
+0.428
3
Jorge LORENZO
ESP
Yamaha
 
2:05.291
+0.672
4
Stefan BRADL
ALE
LCR Honda
 
2:06.053
+1.434
5
Valentinto ROSSI
ITA
Yamaha
 
2:06.507
+1.888
6
Blake YOUNG
EUA
Attack Performance
 
2:15.102
+10.483
7
Michael BARNES
EUA
GP Tech
 
 

 

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube