Largando do pit-lane, Pedrosa vence prova confusa em Valência, marcada por forte acidente de Lorenzo

Dani Pedrosa decidiu trocar para a moto reserva após a volta de aquecimento dos pneus e largou do pit-lane. Espanhol escapou ileso de prova tumultuada e passou Jorge Lorenzo no número de vitórias no ano

► Confira as melhores imagens da carreira de Casey Stoner
► Veja a classificação final da temporada de 2012 da MotoGP

Tumultuado é a palavra que melhor define o GP de Valência de MotoGP. A prova deste domingo (11) começou confusa por conta da escolha de pneus. Alguns pilotos alinharam com pneus de chuva, mas acabaram optando por trocar antes de largada.

Caso de Dani Pedrosa, que partiu do pit-lane com a moto reserva. Na largada, Aleix Espargaró assumiu a ponta e conseguiu segurar Andrea Dovizioso e Casey Stoner durante algumas voltas.

Sem chuva, o asfalto começou a secar rapidamente e o comportamento dos pneus começou a preocupar. Os competidores logo optaram por entrar nos boxes e trocar para as motos reservas para tentar seguir na pista.

Pedrosa superou Lorenzo no número de vitórias no ano (Foto: MotoGP)

Beneficiado pela escolha correta de pneus, Jorge Lorenzo assumiu a ponta e Pedrosa começou a escalar o pelotão. O piloto da Honda conseguiu se aproximar do conterrâneo, mas errou e acabou perdendo toda a diferença que havia tirado.

No comando da prova, Lorenzo começou a ultrapassar retardatários, até que chegou em James Ellison. O piloto da Paul Bird não viu a aproximação do espanhol, que acabou perdendo o controle da moto. Jorge ainda conseguiu evitar a queda, mas ao chegar em um ponto de pista molhada, foi ejetado da M1 e sofreu um feio acidente.

O piloto da Yamaha não se feriu, mas não teve condições de seguir na pista. Pedrosa assumiu a ponta e não teve dificuldades para garantir seu sétimo triunfo no ano, um a mais que o campeão da temporada.

Substituindo Ben Spies, Katsuyuki Nakasuga levou os integrantes da Yamaha as lágrimas ao conquistar o segundo posto em Valência. O nipônico brigou pela posição com Cal Crutchlow, mas o britânico acabou caindo e deixando o piloto livre para conquistar sua vaga no top-3.

Na última prova da carreira, Casey Stoner conseguiu superar Álvaro Bautista e conquistou seu 69º pódio na classe rainha do Mundial de Motovelocidade, ao cruzar a linha de chagada na terceira colocação, 1min00s633 atrás de Dani.

Bautista ficou com o quarto posto, à frente de Michele Pirro, o melhor colocado entre os pilotos CRT. Andrea Dovizioso foi o sexto, seguido por Karel Abraham, último piloto a completar a prova na mesma volta do líder.

Danilo Petrucci ficou com o oitavo posto, com James Ellison em nono e Valentino Rossi encerrando sua passagem pela Ducati com um décimo lugar.

Na classificação geral, Lorenzo fechou o ano com 350 pontos, 18 pontos a mais que Lorenzo. Stoner ficou em terceiro, seguido por Dovizioso, Bautista, Rossi e Crutchlow.

Entre as CRT, motos que contam com chassis artesanais e motores derivados de produção, Aleix Espargaró ficou com o título, com 12 pontos a mais que seu companheiro de Aspar, Randy De Puniet.

Saiba como foi a corrida deste domingo:
 
Com o asfalto molhado, a opção pelos pneus movimentou o inicio da corrida. Pedrosa, Hayden, Crutchlow e Bautista saíram do pit-lane para trocar para as motos reservas.
 
Espargaró assumiu a ponta na largada, seguido por Héctor Barberá, Rossi, Dovizioso e Stoner. Valentino logo passou Héctor, mas abriu demais e permitiu a passagem de Dovizioso e Stoner.
 
Na ponta, Aleix abriu 1s774 de vantagem para Dovizioso. Stoner vinha em terceiro, seguido por Rossi, Barberá e Abraham.
 
Não demorou, Dovizioso assumiu a ponta, mas Aleix conseguiu sustentar o terceiro posto. Mais atrás, Lorenzo passou Barberá e agora estava atrás de Rossi. Ellison vinha em sétimo, seguido por Bradl, Nakagami e Rolfo. Jorge logo conseguiu passar Valentino e deixou Stoner para trás na sequência.
 
Na ponta, Espargaró conseguiu passar Dovizioso e recuperou a ponta. Lorenzo também passou Andrea e partiu em busca de Aleix. Stoner vinha em quarto, seguido por Rossi.
 
Jorge assumiu a ponta no giro seguinte, enquanto Stoner e Dovizioso entraram nos boxes para pegar a moto reserva, sem os pneus de chuva. Abraham e Aoyama fizeram o mesmo. 
 
Com o asfalto secando, Lorenzo seguia na ponta, seguindo por Nakasuga e Pedrosa. Valentino não resistiu por muito tempo com os pneus para pista molhada e também foi aos boxes da Ducati para pegar a GP12 reserva.
 
Faltando 25 voltas para o fim, Lorenzo liderava, seguido por Pedrosa, Nakasuga, Bradl, Crutchlow, Bautista, Petrucci, Pirro, De Puniet, Corti, Rossi, Espargaró, Edwards, Stoner, Rolfo, Ellison, Abraham, Barberá, Dovizioso e Aoyama.
 
Enquanto Lorenzo escapava na ponta, Bradl se aproximava de Nakasuga para lutar pelo terceiro posto. Com 22 voltas para o fim, Stefan passou o substituto de Spies na reta de Valência.
 
Na curva 13 de Valência, Hayden sofreu uma forte queda e abandonou a disputa. Na sequência, Edwards também foi aos boxes da Forward para trocar de moto. 
 
Rodando em terceiro, Bradl sofreu uma forte queda e abandonou a disputa sem cumprir a meta de conquistar seu primeiro pódio na MotoGP no ano de estreia. 
 
Na ponta, Lorenzo seguia liderando, mas Pedrosa se esforçava para buscar a ponta. Faltando 19 voltas para o fim, Dani conseguiu chegar e passou a pressionar Jorge.
 
Mais atrás, Nakasuga não conseguiu suportar a pressão de Crutchlow e perdeu o último posto do pódio valenciano. 
 
No giro seguinte, Pedrosa escapou da pista enquanto perseguia Lorenzo e acabou perdendo todo trabalho que tinha feito para se aproximar do rival. 
 
Com 17 voltas para o fim, Lorenzo sofreu uma queda fortíssima após ser atrapalhado por James Ellison. O espanhol tentou evitar o choque com o britânico e se desequilibrou. Inicialmente, Jorge conseguiu se manter na moto, mas chegou em uma parte mais úmida da pista e foi ejetado da moto. Apesar do susto, Lorenzo não se feriu e deixou a pista caminhando.
 
Com o acidente, Dani assumiu a ponta, seguido por Crutchlow e Nakasuga. Bautista vinha em quarto, seguido por Pirro, Petrucci, Stoner e Dovizioso.
 
Barberá foi mais um a ter problemas. O espanhol ainda tentou retornar à pista com sua Ducati satélite, mas acabou abandonando. 
 
Faltando sete voltas para o fim, Crutchlow se acidentou ao pegar um trecho molhado da pista e abandonou a disputa, entregando o segundo posto do pódio para Nakasuga.
 
Perto do pódio, Stoner começou a pressionar Bautista pelo pódio, mas o espanhol resistia bravamente. Não demorou, Casey conseguiu passar, mas tinha um grande atraso em relação a Nakasuga.

MotoGP, GP de Valência, Ricardo Tormo, Final:

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube