MotoGP

Lesionado, Márquez revela ameaça de “castigo duro” da Honda: “Se cair, não testa em Jerez”

Na contagem regressiva para operar o ombro esquerdo, Marc Márquez revelou que foi proibido pela Honda de cair no teste de Valência. Montadora da asa dourada ameaçou barrar o #93 do teste de Jerez de La Frontera
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Marc Márquez (Foto: Repsol)
A Honda encontrou um jeito de evitar quedas de Marc Márquez: com a ameaça de um “castigo duro”. O #93 contou que a montadora da asa dourada ameaçou deixá-lo fora do teste de Jerez de La Frontera na próxima semana em caso de queda nos exercícios coletivos em Valência.
 
Márquez fechou o ano com um total de 23 quedas, apenas quatro a menos do que na temporada 2017. Mas, além do volume alto de tombos, o que preocupa a Honda é a lesão que o #93 carrega no ombro esquerdo, que será operado no início de novembro.
 
Cuidadosa com seu astro principal, a Honda decidiu ‘ameaçar’ Márquez para evitar quedas.
Honda deu um jeitinho de evitar quedas de Marc Márquez (Foto: Repsol)
“No fim do treino, a pista estava boa, mas não era dia para forçar. Tinham me proibido de cair”, contou Márquez. “Tinham me dito que, se caísse, não iria para Jerez”, seguiu.
 
Preocupado com o castigo, Márquez foi cauteloso e, apesar de ter cumprido parte da lista de tarefas, ainda tem muitas coisas para provar para indicar o caminho a ser seguido pela RC213V.
 
“Estava ameaçado com um castigo duro, então fui com calma e, no final, provei as coisinhas que tinha que provar, mas não tudo”, explicou. “Ficou uma lista bastante grande de coisas, porque ontem não rodamos muito e hoje também começamos tarde”, lembrou.
 
 
“Nós começamos o dia muito rápidos, já indo bem, e quando você se vê com esses tempos, nós começamos a rodar, a provar coisas e buscar o novo”, relatou Márquez. “É nisso que você perde mais tempo, mas é necessário”, defendeu. 
 
“Você passa mais tempo no box e analisa bem tudo. Nós nos concentramos nas duas motos novos, nas duas especificações um pouquinho diferentes em termos de motor, e foi nisso que fomos melhorando e tratando de buscar coisinhas”, falou. “Nós coletamos muitas informações e agora é hora de analisar tudo para dar outro passinho em Jerez”, completou.