MotoGP

Lorenzo admite possibilidade de “faíscas”, mas vê parceria com Márquez positiva: “É como juntar Ronaldo e Messi”

Jorge Lorenzo avaliou que sua parceria com Marc Márquez é como se Lionel Messi e Cristiano Ronaldo jogassem por uma mesma equipe. O #99 considerou que a união com o pentacampeão tem 90% de coisas positivas

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Jorge Lorenzo acredita que sua parceria com Marc Márquez é amplamente positiva. Em entrevista à revista ‘GQ’, o #99 avaliou que a união com o pentacampeão da MotoGP seria como ter Lionel Messi e Cristiano Ronaldo jogando numa mesma equipe de futebol.
 
Atacante do Barcelona, o argentino foi eleito o melhor jogador do mundo cinco vezes ― 2009, 2010, 2011, 2012 e 2015 ―, enquanto o português, que hoje defende as cores da Juventus, levou a Bola de Ouro cinco vezes ― 2008, 2013, 2014, 2016 e 2017. No ano passado, foi o croata Luka Modrić que recebeu a honraria. 
O novo 'dream team' da Honda (Foto: HRC)
Na MotoGP, Márquez e Lorenzo formam um domínio similar. O piloto de Plama de Maiorca ficou com os títulos de 2012 e 2015, enquanto o #93 somou cinco campeonatos em 2013, 2014, 2016, 2017 e 2018.
 
“90% do que se pode tirar da união Lorenzo-Márquez são coisas positivas”, disse Lorenzo. “São dois pilotos que são dos melhores do grid e que repartiram entre si dos mundiais da última década”, seguiu.
 
“É como juntar [Cristiano] Ronaldo e Messi na mesma equipe”, comparou.
 
Mesmo vendo um amplo benefício na parceria, Lorenzo reconheceu que “podem sair faíscas” da união com Márquez.
 
“Entre Marc e eu, podem sair faíscas, é verdade. É algo que a competição pode trazer e é normal”, ponderou. “Nós dividimos a garagem e parte da equipe, e tentamos compartilhar as informações para que a equipe seja mais potente. Mas, no fim, quando baixamos a viseira, não deixa de ser um esporte individual e eu quero bater os 22 pilotos que correm contra mim, inclusive meu companheiro de equipe”. completou.