Lorenzo culpa pneus por 17º lugar no GP da República Tcheca e revela pedido de desculpas da Michelin

Último no GP da República Tcheca, Jorge Lorenzo culpou o desgaste excessivo dos pneus por seu resultado em Brno. Espanhol contou que recebeu um pedido de desculpas da Michelin após o pneu soltar pedaços durante a corrida

Jorge Lorenzo teve mais um dia para esquecer na temporada 2016 da MotoGP. Depois de dois dias de sol, o domingo (21) em Brno amanheceu com chuva, mas apesar de ter mostrado melhora de ritmo no piso molhado, o #99 recebeu a bandeirada em 17º, uma volta atrás de Cal Crutchlow, o vencedor.
 
Assim como Valentino Rossi, Lorenzo largou com um pneu de chuva duro na traseira e um macio na dianteira, uma combinação que se mostrou acertada — não tanto quanto a combinação de Cal, que optou por dois calçados duros. Quando começou a apertar o ritmo, entretanto, Lorenzo surpreendeu a equipe e foi aos boxes trocar de moto.
 
O campeão vigente deixou a garagem da Yamaha com a moto reserva calçada com pneus slicks apesar da clara oposição de Ramón Forcada, seu chefe de equipe, mas teve de voltar pouco depois, para recuperar a moto original preparada para as condições do asfalto.
Jorge Lorenzo acabou o GP da República Tcheca com o 17º posto (Foto: Yamaha)

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

“Sete voltas antes do fim, o pneu dianteiro rasgou, mas quando eu parei [a parte danificada] estava no asfalto”, disse Lorenzo. “Então o pneu dianteiro parecia perfeito. Foi só quando eles moveram a moto que eles entenderam que estava faltando um pedaço do pneu. Foi provavelmente por isso que Ramón não entendeu o motivo de eu querer trocar de moto”, seguiu.
 
“Eu mudei para os slicks, mas a pista estava muito molhada, então era realmente muito, muito perigoso. Eu só queria terminar a volta e trocar a moto de novo”, contou. “Foi realmente muito azar não termos podido terminar a corrida com este pneu — como [Andrea] Iannone, como [Andrea] Dovizioso —, pois eu era, provavelmente, o piloto mais rápido naquele momento, junto com Cal e Rossi. Sinto que podia ter sido ainda mais rápido e terminado certamente em terceiro, talvez até em segundo”, ponderou.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“Rossi teve azar em Mugello e eu tive muito azar hoje”, resumiu. “Nós temos de trabalhar para não termos mais percalços com os pneus no futuro”, defendeu.
 
Ainda, o titular da Yamaha ressaltou que os pneus não podem perder pedaços, ainda que a pista fique seca no desenrolar da corrida.
 
“Isso não deveria acontecer. Você pode ter degradação, especialmente nas laterais, mas você não deveria perder pedaços do pneu”, declarou. “A Michelin está trabalhando realmente duro, sei disso. Estou consciente de que eles trabalharam para melhorar o feeling com o slick dianteiro, e conseguiram isso. Eles também resolveram o problema com pedaços do traseiro slick. Mas, desta vez, foi o pneu de chuva que deu problema”, comentou.
 
Com o resultado em Brno, Lorenzo caiu para a terceira colocação no Mundial, com 59 pontos de atraso para Marc Márquez, o líder.
 
“Eu quero ser campeão. Estou orgulhoso por ficar em primeiro ou segundo no campeonato nos últimos oito anos, terceiro em 2014. Mas eu realmente quero vencer. Estou pensando apenas em pilotar em meu melhor e conquistar o melhor resultado possível. Aí, depois da corrida, nós olhamos a classificação e vemos onde estamos”, falou. “Márquez conseguiu somar os melhores resultados que pode em todas as pistas. Então ele está fazendo um trabalho realmente bom com a moto que tem. E nós tivemos azar”, sublinhou.
 
“Para Rossi, o azar foi a quebra de motor em Mugello. Para mim, um pouco de azar como hoje e também não ter sido competitivo o bastante na chuva em outras pistas”, apontou. “Então isso deixa Márquez muito mais à frente na pontuação”, continuou.
 
Falando à imprensa espanhola, o #99 avaliou que tinha o terceiro posto assegurado, mas perdeu a chance de subir ao pódio por conta da performance dos pneus. Além disso, o espanhol contou que recebeu um pedido de desculpas da Michelin.
 
“Eu tinha a terceira posição assegurada, porque Márquez tinha o pneu macio atrás. Quando o pedaço do pneu saiu, eu estava a 3s dele”, lembrou. “Comecei a ter problemas na metade do circuito e quando decidi entrar, no box eles não entenderam. A equipe não sabia muito bem o que tinha acontecido, pois o buraco estava em contato com o solo”, justificou.
 
“Nós não planejamos esta situação. A Michelin me pediu desculpas, me disse que sente muito, especialmente por mim. O pneu pode desgastar, mas não pode soltar pedaços, nem quando a pista seca”, frisou. 
 
Por fim, Lorenzo afirmou que os pneus não são completamente iguais, por isso, alguns pilotos tiveram problemas em Brno.
 
“Os pneus não são completamente iguais e alguns tiveram problemas. Isso não devia acontecer e a Michelin tem de acumular essa experiência. Eu sei que eles estão trabalhando muito”, concluiu.

#GALERIA(5756)

PADDOCK GP #42 RECEBE LUCAS DI GRASSI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube