MotoGP
07/08/2018 12:20

Lorenzo diz que Márquez mostrou “muita confiança em si mesmo” ao não vetar acordo com Honda

Jorge Lorenzo tem um grande desafio em 2019. Além de chegar à Honda e ter de se adaptar com uma nova moto, ainda vai ter que dividir boxes com Marc Márquez. Entretanto, o espanhol afirmou que espera uma boa recepção e que ficou feliz em não ter sido 'barrado' pelo piloto
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Marc Márquez e Jorge Lorenzo (Foto: Repsol)
A chegada de Jorge Lorenzo à Honda tem trazido muitas expectativas para 2019. O espanhol falou sobre o tema e reconheceu que tinha medo de ser vetado por Marc Márquez, mas que o espanhol confiar em seu taco por “liberar” a chegada do #99.
 
O competidor de Mallorca chega à esquadra japonesa após uma relação bastante conturbada com a Ducati. Sua primeira vitória com a esquadra italiana chegou apenas 24 corridas após ter entrado para o time.
 
Agora, tem o novo desafio de se adaptar à moto da Honda, algo que ele não vê como um problema, apesar de não ter características que se encaixam com seu estilo de pilotagem, como mostra Márquez. “Bom, a Ducati só ia bem com Capirossi e chegou Stoner e foi rápido, logo ganhou corridas com ela Iannone, Dovizioso e eu”, falou em entrevista ao ‘As’.
 
“As coisas mudam, mas é certo que Márquez é uma besta. Como esportista, como atleta, é uma besta. Sempre disse que é um piloto diferente dos demais, que marcou seu estilo em certos aspectos de pilotagem”, completou.
Jorge Lorenzo (Foto: Michelin)
O #99 seguiu seu discurso ressaltando os pontos positivos e negativos do futuro companheiro de garagem. “[Ele é bom] Em salvar quedas, na maneira de treinar fora do paddock, nessa ambição de não querer se render em nenhuma corrida. Mas como todos os esportistas, também tem seus pontos fracos”, apontou.
 
“Alguns de seus pontos fortes também mostram algumas fraquezas, mas cada vez menos, pois ele os vai melhorando. Essa ambição que tem em ganhar sempre pode ser prejudicial algumas vezes”, completou.
 
Questionado se achava que o #93 poderia vetar sua chegada à Honda, o espanhol foi sincero. “Essa era uma das minhas preocupações, mas por sorte não o fez e neste sentido é para se agradecer”, revelou.
 
“Ajudou-me muito com minha futura decisão. Não me surpreendeu, mas era uma possibilidade alta que o fizesse. Aqui demonstrou claramente que tem muita confiança em si mesmo”, continuou.
 
Por fim, falou de sua relação com o competidor de Cervera e como acredita que vai ser a relação. “A relação é boa. Falamos às vezes, inclusive por mensagens ou Instagram”, explicou. “Nos damos bem, mas sempre haverá essa tensão competitiva e isso é lógico, pois somos dois esportistas muito competitivos que queremos o mesmo. E seguirei sendo nos dois próximos anos, apesar dele ter alguma vantagem”, encerrou.