MotoGP

Lorenzo garante foco total da Ducati e justifica volta à ativa em Sepang: “Já faz muito tempo”

Jorge Lorenzo quer fazer o quanto antes seu retorno para as pistas. Se recuperando de uma operação no punho esquerdo para tratar uma fratura, o piloto ainda afirmou que prefere fazer um bom encerramento de temporada com a Ducati antes de pensar em seu próximo desafio - ser titular da Honda
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Jorge Lorenzo (Foto: Divulgação/MotoGP)
Jorge Lorenzo vai tentar superar mais um obstáculo neste final de semana. Na Malásia, o piloto pretende fazer seu retorno para as pistas após passar por uma operação para tratar da lesão em seu punho direito, com o objetivo de fechar de uma forma positiva a temporada e seu ciclo na Ducati.
 
O espanhol vem de uma sequência não muito boa de etapas. Na largada de Aragão, acabou caindo ainda na primeira curva e quebrando o pé. Na prova seguinte, na Tailândia, levou um tombo no segundo treino livre e também ficou de fora da disputa. No Japão, mais uma vez foi ao chão, lesionando o punho, não correndo em Motegi e Phillip Island.
 
Agora, em Sepang, pretende fazer o tão esperado retorno após não pontuar em quatro corridas consecutivas. “Estou me sentindo melhor do que em Motegi, com certeza. A operação foi boa e me sinto um pouco mais forte e mais preparado. Claro, faz alguns dias que fui operado, ontem tirei o gesso e não mexia bem o punho”, falou.
 
“A mobilidade não é muito boa, por isso, precisamos acelerar a recuperação da mobilidade para estar o melhor possível. Sei que vai ser difícil, essa pista tem muitas freadas fortes. Prefiro voltar aqui a em Phillip Island, que seria muito pior por conta do vento e o frio. Vou tentar, estou melhor do que no Japão, veremos se posso correr todo o final de semana”, continuou.
Lorenzo durante coletiva (Foto: Divulgação/MotoGP)
Durante a coletiva de imprensa na Malásia, chegaram a questionar Lorenzo se não seria melhor focar em uma total recuperação física para chegar em forma para os primeiros treinos com a Honda. “Em primeiro lugar, quero voltar para a moto, pois faz muito tempo, muitas semanas, que não subo nela, e acabo perdendo prática, habilidade, tudo. Não se trata apenas das fraturas e lesões, sim de todo o estado físico geral”, apontou.
 
“Não pude fazer exercícios cardiovasculares. Acredito que não poderei fazer algo grande, ao menos posso acostumar-me a moto novamente e isso vai me ajudar em minha última oportunidade de conseguir um bom resultado para a Ducati em Valência. Não quero prever nenhum resultado de rendimento. Não estou perfeito, mas veremos como me sinto na moto”, continuou.
 
“Sempre o próximo objetivo é o presente. Penso no agora, sou um piloto da Ducati e penso na Ducati. Quando terminar a temporada, pensarei em minha próxima temporada, meu próximo desafio. Mas, por agora, só penso na Ducati”, frisou.
 
“Trato de estar aqui, tento pegar o ritmo para voltar para a moto, prolongar minha condução em relação ao Japão, e se for possível ser competitivo, ainda melhor. Nunca se sabe, pode chover, pode ser mais fácil para a lesão. Estamos aqui, dependendo da lesão veremos o que posso fazer”, encerrou.
 
A fase complicada de Lorenzo também se reflete na classificação. Sem pontuar desde sua vitória na Áustria – totalizando seis etapas, o piloto, que após o triunfo era o quarto colocado, agora despencou para nono.