Lorenzo lista lesões e responde Honda: “Ninguém pode dizer que não corri riscos”

Jorge Lorenzo evitou entrar em conflito com o chefe da Honda, mas avaliou que sua enorme lista de lesões é uma evidência dos riscos que ele correu para encontrar performance com a RC213V

Jorge Lorenzo evitou um embate com Alberto Puig, mas nem por isso deixou de responder o chefe da Honda. O #99 considerou que sua enorme lista de lesões é uma evidência dos riscos que ele correu para encontrar uma boa performance com a RC213V.
 
 
Nesta quinta-feira (12), Lorenzo respondeu as declarações de Puig e ressaltou que as lesões que o impediram de conquistar bons resultados até aqui.
Jorge Lorenzo avaliou que lesões atrapalham progresso na Honda (Foto: Red Bull Content Pool)
Paddockast #33
10 ANOS DE SECA BRASILEIRA NA F1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

“Bom, ele é o chefe e uma pessoa pela qual tenho muito respeito, porque acho que ele sabe de motos e deste mundo”, disse Lorenzo. “Mas ninguém pode dizer que eu não tentei ou não corri riscos com esta moto ― porque eu tive quedas enormes, sempre por querer conquistar bons resultados”, seguiu.
 
“Provavelmente, este foi o problema. Eu talvez tenha forçado demais antes de conhecer exatamente a moto e foi por isso que eu caí, me machuquei e isso tornou tudo muito mais difícil”, comentou. “Pois tudo bem das lesões. Sem as lesões, tenho certeza de que poderia, talvez não vencer corridas, mas terminas às vezes no pódio e no top-5”, avaliou.
 
A lesão sofrida no tombo em Assen, aliás, foi a pior do espanhol nesta passagem pela Honda e o manteve afastado das pistas por dois meses.
 
Perguntado sobre um paralelo entre a atual temporada e seu ano de estreia com a Ducati, Lorenzo respondeu: “Também tive dificuldade no primeiro ano com a Ducati, mas sofri mais desta vez, pois antes de a temporada começar, tive duas grandes lesões no ano passado, em Aragão no pé e no punho na Tailândia”, contou.
 
“Aí, na pré-temporada, eu quebrei o escafoide. No Catar, quebrei algumas costelas e a maior foi em Assen. Nunca estive 100% em forma para pilotar a Honda, então nunca pude dar meu máximo. Então, desse jeito a MotoGP é difícil, ainda mais quando você não se sente confortável na moto, que é o que sinto com a Honda no momento”, reconheceu. “Nunca me senti realmente seguro, especialmente com a frente da moto. São todas as circunstâncias juntas, especialmente as lesões, que tornam a minha situação ou os meus resultados tão ruins”, considerou.
 
Depois de um longo afastamento, Lorenzo voltou às pistas em Silverstone, onde largou em 21º e recebeu a bandeirada apenas em 14º. Ainda assim, o #99 não considera que acelerou seu retorno.
 
“Essa é a mentalidade do piloto, não? Sabemos a história dos pilotos da MotoGP e já fiz coisas mais insanas no passado. Fiquei longe das competições por dois meses, então cedo ou tarde eu precisava voltar”, comentou. “Para mim, era cedo demais em Brno, cedo demais na Áustria, mas [em Silverstone] eu podia pilotar do que jeito que fiz. Sim, muito lento e muito longe do mais rápido, mas eu senti que era o momento de voltar para pegar ritmo, porque três meses longe da moto seria demais”, ponderou.

O GP de San Marino e da Riviera de Rimini de MotoGP está marcado para o domingo, às 9h (de Brasília). Acompanhe aqui a cobertura do GRANDE PRÊMIO.

 
Previsão do tempo para Rimini
GP de San Marino Rimini

!function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=’https://weatherwidget.io/js/widget.min.js’;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,’script’,’weatherwidget-io-js’);

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube