Lorenzo reconhece superioridade da Honda, mas nega arrependimento por ter renovado com Yamaha

Jorge Lorenzo reconheceu a superioridade da Honda nesta fase final da temporada, mas garantiu que não desistiu de lutar por vitórias. O piloto também afirmou que não se arrependeu de ter renovado com a Yamaha

Às vésperas do GP da Malásia, o antepenúltimo da temporada 2012 da MotoGP, Jorge Lorenzo afirmou que segue firme na luta por vitórias, embora reconheça o melhor momento da Honda e de Dani Pedrosa no campeonato. Nas duas últimas corridas, o espanhol de 25 anos viu o compatriota vencer e tirar dez pontos na briga pelo título. Mesmo liderando o Mundial, Lorenzo admitiu que tem sido difícil combater o rival, que possui uma “moto quase perfeita”.

“Faltam três corridas para terminar o campeonato, e acho que podemos tentar conseguir uma vitória ainda. Se isso não foi possível, então o pódio é o objetivo”, falou Jorge em entrevista ao site espanhol ‘Motocuatro’, nesta quinta-feira (18).
 

Lorenzo se disse feliz na Yamaha e negou arrependimento por não ter assinado com a Honda (Foto: Yamaha)

Diante da fase vencedora da Honda na atual temporada, o campeão de 2010, então, passou a falar sobre as diferenças no desenvolvimento da sua M1 com relação às motos laranja. “A equipe está sempre pensando em como melhorar. Temos peças novas, mas agora só podemos trabalhar em como melhor os ajustes da moto. Já a Honda demonstra a cada prova que está muito forte. Eles conseguiram melhorar muito depois de Laguna Seca, deram um salto enorme e tem sido muito difícil de lutar contra eles. É uma moto que não tem pontos fracos”, explicou.

“A Yamaha trabalha durante o ano para fazer a moto do ano seguinte e, durante a temporada, não introduz muitas novidades, mas temos coisas novas. Algumas funcionam e outras não. É um pouco diferente do que a Honda, que vem melhorando a moto ao longo da temporada. A moto que temos agora é a moto que vamos usar até o fim do ano”, completou Lorenzo.

Jorge lembrou do momento de maior dificuldade em 2012. “Passamos momentos difíceis neste ano, principalmente quando perdemos um motor na Holanda. Ali pensei que havia perdido todas as minhas chances de lutar pelo Mundial. E foi uma circunstância que se arrastou por toda a temporada, porque não pudemos tirar proveito máximo dos motores. E agora temos de ser justos e dizer que será um final de ano complicado também”, disse.

Ainda que esteja lutando contra a superioridade da Honda, o espanhol, que teve o nome bastante cotado para ir para a equipe nipônica em 2013 no lugar de Casey Stoner, afirmou que não se arrepende de ter renovado com a Yamaha. “Estou muito feliz na Yamaha. Eu tive a oportunidade de ir para Honda e não fui. E não me arrependo”, assegurou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube