Lorenzo voa, supera recorde de Sepang e lidera terceiro treino da MotoGP. 0s7 mais lento, Rossi fica em quarto

Jorge Lorenzo exibiu um ritmo fortíssimo no terceiro treino livre da MotoGP na Malásia e ficou com a liderança com 0s111 de vantagem para Marc Márquez. Dani Pedrosa garantiu o terceiro tempo, à frente de Valentino Rossi

A cobertura completa do GP da Malásia no GRANDE PRÊMIO

Jorge Lorenzo não está para brincadeira na Malásia. Depois de mostrar um bom ritmo na sexta-feira, o espanhol apareceu ainda mais forte neste sábado (24) e não deixou pedra sobre pedra em Sepang.

 
Primeiro a romper a barreira de 2min00s nesta manhã, o espanhol registrou seu melhor tempo em 1min59s544, 0s247 mais rápido que o recorde da pole estabelecido por Marc Márquez no ano passado.
Jorge Lorenzo voou neste sábado na Malásia (Foto: Yamaha)
Dono de um bom histórico na pista malaia, Dani Pedrosa foi o primeiro a tentar superar o #99, mas falhou na metade final e ficou a 0s439 de Jorge. Em seu último giro, Marc também fez uma tentativa, mas a última parcial não saiu perfeita, deixando o campeão vigente em segundo, 0s111 atrás do ponteiro.
Líder do Mundial, Valentino Rossi entrou e saiu dos boxes da Yamaha várias vezes nesta manhã, ainda tentando identificar a causa das vibrações que o incomodaram na sexta-feira. O italiano fez sua melhor volta em 2min00s253 e ficou com o quarto tempo.
 
Usando o pneu traseiro macio, Héctor Barberá cravou 2min00s332 e ficou com o quinto tempo, seguido por Cal Crutchlow. Já 0s938 atrás do líder, Aleix Espargaró colocou a Suzuki na sétima colocação.
 
Melhor entre os pilotos do time de fábrica da Ducati, Andrea Dovizioso deu seu melhor giro em 2min00s604 e ficou com o oitavo posto, à frente de Pol Espargaró. Maverick Viñales completa a lista dos dez melhores.
 
Saiba como foi o terceiro treino da MotoGP em Sepang:
 
A camada de poluição seguia densa em Sepang, mas não atrapalhava a realização dos treinos do Mundial de Motovelocidade. Na hora do terceiro treino da MotoGP, os termômetros marcavam 29°C, com o asfalto chegando aos 32°C. A velocidade dos ventos estava em 8 km/h.
 
Após os dois primeiros treinos do fim de semana, Jorge Lorenzo, Dani Pedrosa, Marc Márquez, Andrea Iannone, Valentino Rossi, Cal Crutchlow, Aleix Espargaró, Andrea Dovizioso, Scott Redding e Danilo Petrucci começaram o terceiro exercício com vaga garantida direto no Q2, a fase final do treino classificatório.
 
Tão logo o treino começou, Héctor Barberá cravou 2min01s019 e assumiu o sexto posto no resultado combinado, 0s773 atrás do líder. Pouco depois, Petrucci virou 0s003 mais rápido que o piloto da Avintia e se colocou em sexto.
 
Com 2min00s971, Dovizioso se instalou atrás de Rossi, 0s773 mais lento que Lorenzo. Petrucci, Barberá, Crutchlow e Aleix fechavam o top-10.
 
Lá na ponta, Lorenzo baixou para 2min00s198, a melhor marca do fim de semana, abrindo 0s095 de diferença para Pedrosa. Pouco depois, Márquez foi 0s039 mais rápido que o companheiro de Honda e se instalou na segunda colocação.
Marc Márquez foi quem mais se aproximou de Jorge Lorenzo (Foto: Honda)
Rossi, por sua vez, também baixou sua marca, mas não alterou sua posição. Com 2min00s649, o #46 apenas reduziu para 0s451 seu atraso em relação a Lorenzo, entrando nos boxes pouco depois. 
 
Com dez minutos de treino, os pilotos começaram a seguir para os boxes. Lorenzo ainda liderava a sessão, com Márquez, Pedrosa, Iannone, Rossi, Dovizioso, Petrucci, Barberá, Crutchlow e Aleix completando o top-10 do resultado combinado.
No retorno à pista, Rossi calçava a YZR-M1 #46 com um par de pneus médios novos, os compostos mais macios disponíveis para os pilotos de fábrica. Em sua primeira volta rápida, Valentino baixou para 2min00s472 e saltou para a quarta colocação,s 0s274 atrás de Lorenzo.
 
Na volta seguinte, o italiano foi impecável nos dois primeiros setores de Sepang, mas perdeu um pouquinho de tempo nas duas parciais seguintes. Ainda assim, Rossi baixou sua marca para 2min00s360, reduzindo a margem de Jorge para 0s162. O piloto de Tavullia, então, se dirigiu aos boxes da Yamaha mais uma vez.

Com 2min00s332, Barberá subiu para a quarta colocação, 0s028 à frente de Rossi, que caiu para quinto. Aleix vinha em sexto, seguido por Iannone, Dovizioso, Petrucci e Crutchlow. Com exceção dos pilotos de Honda e Yamaha e seus respectivos satélites, todos os demais podem usar o composto macio traseiro.
Valentino Rossi passou várias vezes pelos boxes da Yamaha na sessão (Foto: Yamaha)
Restando cerca de 16 minutos para o fim da sessão, a maioria dos pilotos estava de volta aos boxes, mas Márquez e Rossi, por exemplo, seguiam rodando. Valentino, entretanto, retornou à garagem da Yamaha pouco depois.
 
Aos poucos, a pista foi ganhando em movimentação, enquanto os boxes foram sendo esvaziados. Viñales logo conseguiu baixar seu tempo de volta para 2min01s178, saltando para o 11º posto, 0s139 de uma vaga direto no Q2. O piloto da Suzuki ainda estava usando o composto médio traseiro da Bridgestone.
 
Ao longo dessa terceira sessão, Rossi entrou e saiu dos boxes da Yamaha diversas vezes, buscando a causa das vibrações que afetaram a M1 na sexta-feira. 
 
Depois de quase 12 minutos parado nos boxes da Yamaha, Lorenzo voltou para a pista para cravar 1min59s544 e abrir impressionantes 0s710 de vantagem para Márquez, o segundo colocado. A marca do espanhol era 0s247 melhor que o recorda da pole estabelecido por Márquez em 2013.
 
Com pouco mais de três minutos para o fim da sessão, Rossi voltou para a pista mais uma vez, de novo com pneus médios novos.
 
Pouco depois, Danilo Petrucci caiu na curva 7 de Sepang, mas não se feriu. Ainda assim, o treino acabou mais cedo para o italiano. 
 
Com 2min00s739, Maverick saltou para o décimo posto no resultado combinado, 0s030 atrás de Pol Espargaró, o nono.
 
Dono de um bom ritmo na sexta-feira, Pedrosa abriu uma boa volta, mas perdeu nas duas parciais finais. Ainda assim, o #26 subiu para a segunda colocação, reduzindo a vantagem de Lorenzo para 0s439. Com 2min00s371, Crutchlow saltou para o sexto posto, 0s827 atrás de Lorenzo. 
 
Em seu último giro, Rossi saltou para o terceiro posto, mas logo caiu para quarto, com Márquez assumindo o segundo lugar, 0s111 atrás de Lorenzo. O #93 foi excelente nas três primeiras parciais, mas perdeu tempo no setor final.

MotoGP, GP da Malásia, Sepang, 3º Treino livre:

 
1
99
JORGE LORENZO
ESP
YAMAHA
1:59.544
 
2
93
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
1:59.655
+0.111
3
26
DANI PEDROSA
ESP
HONDA
1:59.983
+0.439
4
46
VALENTINO ROSSI
ITA
YAMAHA
2:00.253
+0.709
5
8
HECTOR BARBERÁ
ESP
AVINTIA DUCATI
2:00.332
+0.788
6
35
CAL CRUTCHLOW
ING
LCR HONDA
2:00.371
+0.827
7
41
ALEIX ESPARGARÓ
ESP
SUZUKI
2:00.482
+0.938
8
4
ANDREA DOVIZIOSO
ITA
DUCATI
2:00.604
+1.060
9
44
POL ESPARGARÓ
ESP
TECH3 YAMAHA
2:00.709
+1.165
10
25
MAVERICK VIÑALES
ESP
SUZUKI
2:00.739
+1.195
11
29
ANDREA IANNONE
ITA
 DUCATI
2:00.783
+1.239
12
38
BRADLEY SMITH
ING
TECH3 YAMAHA
2:00.968
+1.424
13
9
DANILO PETRUCCI
ITA
PRAMAC DUCATI
2:01.016
+1.472
14
45
SCOTT REDDING
ING
MARC VDS HONDA
2:01.086
+1.542
15
6
STEFAN BRADL
ALE
APRILIA GRESINI
2:01.303
+1.759
16
69
NICKY HAYDEN
EUA
ASPAR HONDA
2:01.318
+1.774
17
68
YONNY HERNÁNDEZ
COL
PRAMAC DUCATI
2:01.557
+2.013
18
19
ÁLVARO BAUTISTA
ESP
APRILIA GRESINI
2:01.742
+2.198
19
24
TONI ELÍAS
ESP
FORWARD YAMAHA
2:01.923
+2.379
20
43
JACK MILLER
AUS
LCR HONDA
2:02.057
+2.513
21
63
MIKE DI MEGLIO
FRA
AVINTIA DUCATI
2:02.135
+2.591
22
50
EUGENE LAVERTY
IRN
ASPAR HONDA
2:02.699
+3.155
23
76
LORIS BAZ
FRA
FORWARD YAMAHA
2:02.845
+3.301
24
13
ANTHONY WEST
JAP
AB HONDA
2:03.791
+4.247
25
55
DAMIAN CUDLIN
AUS
IODA ART
2:07.639
+8.095
 
 
 
 
 
 
 
RECORDE
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
2:01.150
164.7 km/h
MELHOR VOLTA
JORGE LORENZO
ESP
YAMAHA
1:59.544
166.9 km/h
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Condições do tempo
 
PISTA SECA
 
ar: 29ºC | pista: 32ºC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube