Luta pelo pódio e melhor volta: Rossi celebra “boa corrida” na Malásia

Quarto colocado no GP da Malásia, Valentino Rossi saiu satisfeito da penúltima corrida da temporada, já que conseguiu ser forte do início ao fim da prova. Italiano celebrou o fato de ter conseguido a melhor volta da corrida pela primeira vez desde 2016

Valentino Rossi saiu satisfeito do GP da Malásia de domingo (4). O titular da Yamaha pressionou Andrea Dovizioso pelo terceiro lugar até a bandeirada, mas acabou a corrida em quarto, só 0s354 atrás do conterrâneo da Ducati. 
 
Ao contrário do que aconteceu nas corridas mais recentes, Rossi não teve queda de performance na parte final da prova, mas sofreu com a falta de velocidade da YZR-M1, especialmente no confronto com Andrea.
 
Ainda assim, Rossi celebrou o fato de ter permanecido na briga pelo pódio até a bandeirada, especialmente em uma corrida fisicamente tão exigente. O #46 também comemorou o registro da melhor volta da corrida, algo que não conseguia desde o GP da França de 2016.
Valentino Rossi (Foto: Yamaha)
Paddockast #40
QUEM VOCÊ ENTREVISTARIA NO GP DO BRASIL DE F1?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

“Estou feliz, pois, de qualquer forma, foi uma boa corrida para nós. Especialmente considerando nossa velocidade e nossos resultados nas corridas anteriores”, disse Rossi. “Eu queria tentar o pódio, pois, com certeza, o pódio é outra história, mas, infelizmente, não consegui bater Dovi”, seguiu.
 
“Mas a corrida foi boa, também fiz a volta mais rápida e um novo recorde de volta. Me senti bem com a moto, pilotei bem, com certeza perdi um pouco começado de [sexto] no grid. Mas eu curti, então foi um bom fim de semana”, resumiu.
 
Ao contrário do que aconteceu nas últimas corridas, Rossi não teve queda de performance na parte final da prova. Em Sepang, o italiano passou as últimas 13 voltas pressionando Dovizioso pelo terceiro lugar, mas, depois de várias tentativas, teve de se contentar com o quarto lugar, já que a velocidade da Yamaha não lhe permitiu uma defesa eficaz nos contra-ataques do #4.
 
“Aqui foi muito melhor. Pude pilotar bem até o fim”, comentou. “Fui mais rápido que Dovi nas curvas longas, mas, na freada, era difícil para eu ultrapassar, também porque eu sempre chegava no ponto de frenagem um pouco longe demais”, continuou.
 
“Eu o ultrapassei várias vezes, mas, na aceleração na reta, ele sempre me passou de volta. Eu tentei o máximo, porque, com certeza, o terceiro lugar é muito diferente do quarto, pois estar no pódio é muito melhor”, ponderou. “Mas, de qualquer forma, foi uma boa corrida. Desta vez, trabalhamos bem com a vida do pneu e fui forte até a última volta”, ressaltou.
 
Além disso, Rossi celebrou o fato de ter tido uma boa performance em uma das corridas fisicamente mais difíceis do calendário.
 
“Estou muito feliz por ser forte aqui, porque também fisicamente é, com certeza, a corrida mais dura da temporada. Então isso é importante”, considerou. “Nós ainda precisamos trabalhar, porque a moto foi muito boa na classificação, somos muito fortes com pneus novos. Depois, na corrida, nós sofremos um pouco mais, porque fazemos o tempo de volta no limite do pneu, então, certamente, estressamos um pouco mais o pneu”, indicou.
 
“Além disso, nós temos falta de velocidade máxima, então quando você luta com motos mais rápidas, é muito difícil”, destacou.
 
Por fim, Rossi falou da vitória de Maverick Viñales e reconheceu que o espanhol usou a melhor tática possível.
 
“Maverick foi muito bem, porque tomou a ponta no início e, quando você está sozinho, pode fazer suas linhas e fazer a diferença nas curvas, onde a nossa moto é forte”, apontou. “Quando você luta com motos que são mais rápidas na reta, você não pode ultrapassar nas curvas. Então é difícil. Então o melhor caminho é como Maverick fez hoje”, concluiu.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube