MotoGP

"Mais forte", Aprilia faz discurso ambicioso e coloca presença frequente no pódio como meta para 2020

Chefe da Aprilia, Romano Albesiano colocou como meta estar frequentemente na briga pelo pódio na temporada 2020. Novo diretor-executivo da equipe, Massimo Rivola defendeu o discurso ambicioso

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
2019 mal começou, mas a Aprilia já traçou metas para a próxima temporada. Diretor-técnico do time, Romano Albesiano afirmou que a fábrica italiana tem de lutar pelo pódio “na maioria das corridas” de 2020.
 
Das atuais seis fábricas do grid, a Aprilia é a única que ainda não esteve no top-3 desde que voltou à MotoGP, em 2015.
 
Diretor-técnico da Aprilia, Albesiano celebrou o fato de a RS-GP ter se aproximado das rivais, mas reconheceu que ainda é preciso fazer mais. Mesmo assim, Romano acredita que a escuderia italiana vive seu melhor momento.
2019 mal começou, mas a Aprilia já tem metas para 2020 (Foto: Aprilia)
“O nível médio da MotoGP está aumentando ano a ano e o positivo é que nós reduzimos o atraso para os ponteiros”, disse Albesiano. “Tecnicamente, estou feliz. Estamos dentro do cronograma do nosso programa e muito mais fortes do que nos anos anteriores”, seguiu.
 
“Toda a atividade do departamento de corridas está focada na MotoGP, então estamos tirando o melhor ― somos um time melhor na garagem, com dois pilotos fantásticos e uma equipe de testes super forte com um piloto fantástico lá, o Bradley [Smith]”, seguiu.
 
“Acho que é a Aprilia mais forte de todas”, comentou. 
 
Ainda, Albesiano comemorou que agora pode ter mais liberdade para focar na parte técnica, já que Massivo Rivola chegou para assumir o posto de diretor-executivo.
 
“Massimo chegou trazendo uma nova era ao departamento ― nova força, entusiasmo. E, para mim, isso é fantástico, porque eu posso realmente fazer o meu trabalho, que é o que eu realmente amo. Dia após dia, vou para o meu escritório com o espírito certo”, comentou. “Nós temos muitas ideias, muitas coisas para desenvolver ― temos mais ideias do que pessoas para desenvolvê-las”, comentou.
 
“O resultado que queremos alcançar ― acho que no próximo ano temos de estar prontos para lutar pelo pódio na maioria das corridas”, frisou. “Essa é a nossa meta. É superdesafiadora, mas temos a possibilidade de fazer isso”, assegurou.
 
Recém-chegado à equipe, Rivola afirmou que quer ver Andrea Iannone no pódio ainda neste ano, mas “não porque todo mundo na frente caiu, mas porque a moto está lá e a performance foi boa”.
 
Com 20 anos de experiência na F1, Rivola admitiu que é um desafio adicionar mais uma conquista ao vitorioso currículo da Aprilia, mas defendeu a ambiciosa meta.
 
“Nós temos 54 títulos nas costas e eu adoraria trazer o 55º o mais cedo possível”, afirmou Massimo. “Eu sei que isso é ambicioso. Sei que se não formos ambiciosos, nunca chegaremos onde queremos estar. Então gosto de ser ambicioso”, defendeu.
 
“Sei que leva tempo, sei que precisamos crescer em muitas áreas”, reconheceu. “Nós temos uma base muito boa, então temos uma margem muito boa para crescer em muitos aspectos e áreas, pois temos boas pessoas que podem ensinar aos outros que vão chegar no futuro”, concluiu.