Marc Márquez celebra pré-temporada e minimiza 1ª queda com Ducati: “Era hora”

Mesmo reconhecendo que faltam alguns décimos para estar entre os ponteiros da MotoGP 2024, Marc Márquez saiu satisfeito com a pré-temporada. O espanhol não deu importância para a primeira queda com a Ducati

Marc Márquez deu de ombros para a primeira queda que sofreu desde que se juntou à Gresini. O espanhol, que fez um balando positivo da pré-temporada da MotoGP, considerou que “era hora” do primeiro tombo com a moto da Ducati.

Ainda se adaptando com a mudança da Honda para a GP23, Marc levou o primeiro tombo com a moto italiana apenas no dia final da pré-temporada no Catar. Ano passado, o espanhol bateu o próprio recorde de quedas, com 29.

Relacionadas


“A verdade é que foi o primeiro dia que aumentei a intensidade na moto”, disse Márquez ao serviço de streaming espanhol DAZN. “Foi o primeiro dia em que eu disse ‘se cair, caí’. E, de fato, veio a primeira queda. Mas era hora”, seguiu.

“Era o último dia da pré-temporada. Era hora de chegar a esse ponto”, defendeu. “Na verdade, a queda foi no fim do dia. Fazendo um long-run, quando estava me desafiando para melhorar alguns pontos”, relatou.

VEJA TAMBÉM
▶️
 10 pilotos para ficar de olho na MotoGP 2024

Marc Márquez vai formar dupla com Álex Márquez na Gresini (Foto: Gresini)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Às vésperas do início do campeonato, o mais velho dos Márquez assumiu, também, que ainda está um pouco distante dos ponteiros.

“Tem algumas curvas onde eu perco, especialmente em comparação com Pecco Bagnaia, Enea Bastianini e Jorge Martín, que são os que tenho referência na mesma fábrica”, indicou. “Vamos ver o que acontece no GP. Mas ainda estamos um pouco distante desses três ou quatro pilotos que estão fazendo a diferença”, reconheceu.

Ainda assim, Marc se mostrou satisfeito, especialmente por estar se divertindo em cima da moto.

“Com o que tenho, vou dar o meu melhor”, assegurou. “Estou me divertindo, que é o mais importante. Estou curtindo. Se vou estar na frente ou não, veremos”, continuou.

“Logicamente, se você está na frente, vai se divertir mais, mas é verdade que, no momento, Pecco, Bastianini e Martín têm um pouco mais do que o resto. Mas nós já conseguimos diminuir a distância que tínhamos na Malásia, por exemplo”, comentou. “Agora, ainda temos dois ou três décimos faltando, que são os mais difíceis de reduzir. Ainda faltam algumas coisas”, frisou.

Por fim, mesmo que reconheça que ainda não está entre os ponteiros, Marc fez uma avaliação positiva da pré-temporada.

“O importante é que a avaliação da pré-temporada é boa”, garantiu. “Nós fizemos uma pré-temporada sólida, sem ficar nervoso, respeitando o tempo que precisávamos para conhecer a moto”, encerrou.

MotoGP volta a acelerar no final de semana de 7 a 9 de março, em Lusail, no Catar, para a abertura da temporada 2024. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento, assim como das outras classes do Mundial de Motovelocidade durante todo o ano.

Novo diretor-técnico é maior acerto da Yamaha em luta para sair do limbo
Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da MotoGP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.