Marc Márquez evita metas em Jerez e põe condição física como limitador de performance

Piloto da Honda explicou que relaxou mais do que treinou após o GP de Portugal e considerou que o uso contínuo de antibióticos ainda é um limitador de performance

Marc Márquez entrou na pista tão logo o cronômetro foi acionado (Vídeo: MotoGP)

Marc Márquez evitou traçar metas no reencontro com Jerez de la Frontera. Palco da lesão que o manteve afastado das pistas por nove meses, o traçado andaluz recebe o GP da Espanha de MotoGP deste fim de semana.

Márquez quebrou o braço direito em um acidente na abertura da temporada 2020 e, depois de uma tentativa precoce de volta e três cirurgias, o espanhol perdeu 15 corridas e voltou à ativa só no GP de Portugal, terceira etapa do campeonato deste ano.

WEB STORY
⇝ Fatos e curiosidades sobre o GP da Espanha de MotoGP

Marc Márquez contou que segue tomando antibióticos (Foto: Divulgação/MotoGP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Depois de um fim de semana emotivo em Portimão, o irmão de Álex vê as coisas de volta à normalidade na Espanha.

“Sim, Portimão foi um fim de semana especial por todos os lados”, disse Márquez. “Mas aqui eu sinto que está tudo mais tranquilo, o que é importante. Parece um fim de semana normal”, seguiu.

O que não mudou em relação ao GP passado é a condição física do piloto, que segue a orientação médica e não está se submetendo a grandes esforços.

“Não sinto que minha condição física está muito diferente. Está muito parecida”, apontou. “Espero pilotar melhor já desde o TL1. Minha meta é tentar ser mais estável com a minha condição física durante todo o fim de semana em um circuito que eu conheço, onde tenho boas e más memórias”, declarou.

“Mas mais memórias boas do que ruins, o que será importante. Não tenho uma meta clara, só pilotar a moto, fazer mais quilômetros, tentar me sentir melhor com a posição na moto”, explicou. “Sabemos melhor onde está nosso limite. Não é a moto, não são os pneus. Sou eu. Sabemos onde está o limite, sabemos onde precisamos melhorar, mas precisamos de tempo, dias e quilometragem na moto”, considerou.

Apesar de os médicos terem pedido que Marc evitasse treinos extenuantes entre as corridas, o piloto da Honda acredita que é o uso contínuo de antibióticos que seguem afetando a condição física. Márquez segue em tratamento por causa por causa da infecção diagnosticada na lesão em dezembro passado.

“Claro, de Portimão para cá, só treinei um pouco na academia, pedalei um pouco. Mas estou indo com calma, pois meu corpo pediu para relaxar um pouco depois de Portimão, pois uma coisa é o osso, o braço, o músculo. Outra é que ainda estou tomando muitos antibióticos e leva tempo para recuperar”, justificou. “É verdade que é difícil se sentir assim aos 28 anos, mas sei que logo vou me livrar dos antibióticos e tudo será mais fácil. Fiquei em casa, relaxando”, concluiu.

LEIA MAIS
⇝ Quartararo leva melhor em revanche com Portimão e mostra maturidade na MotoGP
⇝ Polêmicas em Portimão ligam alerta da MotoGP com novos painéis e limites de pista
⇝ Inconstante, Viñales tem desafio de provar que GP de Portugal pífio foi acidente
⇝ Até quando? Haters sobem tom e afastam pilotos da MotoGP das redes sociais
⇝ Chegada à Europa confirma evolução da Aprilia e aproxima Aleix Espargaró do pódio
⇝ Permuta e homenagem conjunta: a nova relação entre MotoGP e Fórmula 1
⇝ Rossi fornece máquina de lavar e macula imagem unindo VR46 e Arábia Saudita

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube