MotoGP

Márquez admite erro em Austin, mas divide culpa com Honda e diz que foi “só cagada, não súper cagada”

Marc Márquez acabou abandonando o GP das Américas após cair na pista norte-americana. Segundo ele, a moto da Honda tinha problemas e ele não soube dosar o ritmo e as decisões para lidar da melhor forma com a adversidade. A culpa é de ambos, pois

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
Depois de entrar no GP das Américas como líder da MotoGP e extremamente favorito, Marc Márquez sofreu uma queda que parecia cena de filme pastelão e acabou abandonando a corrida. Um erro, ele admite, mas se defendendo: não foi uma "súper cagada".
 
Márquez falou sobre o assunto em entrevista ao jornal espanhol 'AS'. Segundo o atual campeão, o erro no Texas foi daquele tipo que vai ficar entalado na garganta até a hora em que confirmar o título - se confirmar. Mas os problemas, ele destaca, foram também da Honda.
 
"É o tipo de espinha que você só tira da garganta ganhando o campeonato, porque assim não pesa em nada", falou sobre o acidente.
Marc Márquez (Foto: Repsol)
"No momento, o importante é que estamos a nove pontos do líder, o que não é nada. Isso é o mais importante, além de entender o motivo da queda. Lembremos, eu tinha dito que havia um problema pequeno que precisávamos solucionar - e solucionamos. Não posso dizer o que era, mas foi solucionado, o que é importante", afirmou.
 
"Isso não alivia a minha queda, porque eu caí mesmo, mas a reação da moto vem propiciada por alguma coisa. Austin é um circuito muito especial, tem algumas curvas bem peculiares e freadas largas, e estava acontecendo algo que não deveria [com a moto]. Na volta da queda, aquilo atuou. Eu já vinha me queixando, mas no final das contas é um erro meu, porque tenho que interpretar quando o problema atua e quando não, e não soube fazer isso", admitiu.
 
Questionado sobre se o erro, então, não havia sido só dele, soltou a pérola. "Não foi uma súper cagada, somente uma cagada."