Márquez bate Petrucci e mantém série invicta com pole na Alemanha. Yamaha some na chuva, e Rossi é nono

Marc Márquez encontrou Danilo Petrucci como desafiante neste sábado (1), mas conseguiu manter sua série invicta com a oitava pole consecutiva em Sachsenring. O piloto da Pramac sai em segundo, à frente de Dani Pedrosa. Com a Yamaha apagada na chuva, Valentino Rossi ficou apenas em nono, com Maverick Viñales em 11º

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;


Marc Márquez é mesmo o rei de Sachsenring. O #93 precisou encarar Danilo Petrucci neste sábado (1), mas se impôs nos minutos finais do treino que definiu o grid de largada do GP da Alemanha para conquistar a pole-position no traçado da Saxônia pelo oitavo ano seguido.
Em um treino realizado com a pista bastante molhada, Petrucci reafirmou sua grande fase ao dominar a maior parte dos 15 minutos da sessão, mas Márquez reagiu na parte final da disputa. Com a última volta em 1min27s302, o piloto da Honda assegurou o direito de liderar o pelotão na pista de Oberlungwitz pela oitava vez seguida, 0s160 mais rápido que o titular da Pramac.
Dani Pedrosa, por sua vez, também fez valer o bom histórico na pista alemã e ficou como terceiro posto, à frente de Cal Crutchlow, que reafirmou a boa performance da RC213V na pista.
Marc Márquez faturou a pole-position em Sachsenring de novo (Foto: Michelin)
Bem ao longo de todos os treinos, Jonas Folger foi a melhor Yamaha e conquistou o quinto posto no grid em sua corrida de casa, 0s908 mais lento que o tempo da pole. Jorge Lorenzo aparece como melhor representante do time de fábrica da Ducati para fechar a segunda fila da grelha.
 
Depois de avançar no Q1, Pol Espargaró conquistou o melhor resultado da KTM e ficou em sétimo, 0s124 à frente do irmão Aleix e sua Aprilia. 
 
Com a Yamaha absolutamente apagada na chuva, Valentino Rossi conseguiu apenas o nono posto, tendo feito seu melhor giro mais de 1s3 mais lento que Márquez.
 
Líder do Mundial, Andrea Dovizioso não conseguiu nada muito melhor e, 0s034 mais lento que o #46, vai sair em décimo. Maverick Viñales tampouco se saiu bem e vai largar apenas em 11º.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Desta vez, Johann Zarco não conseguiu se destacar. Em um Q1 realizado na chuva, o francês fez sua melhor volta em 1min28s444 e vai largar apenas em 19º, seu pior grid nesta temporada de estreia na MotoGP

Márquez lidera treino esvaziado pela chuva
 
Uma chuva breve caiu em meados do treino classificatório da Moto3, mas não alterou significativamente as condições do asfalto, permitindo que o último treino da MotoGP começasse com os slicks. A temperatura estava em 19°C, com o asfalto chegando a 24°C. A velocidade do vento era de 34 km/h.
 
Aleix Espargaró foi o primeiro a ocupar o topo da tabela, 0s304 à frente de Barberá. Petrucci vinha na sequência, à frente de Bautista, Miller e Folger.
 
No giro seguinte, Márquez assumiu o comando, 0s477 melhor que Aleix. Pedrosa, Crutchlow, Rossi e Rins vinham em seguida.
 
Em sua quarta volta, Márquez chegou a 1min21s822, abrindo 0s522 de margem para Pedrosa, o segundo colocado. Zarco pulou para terceiro, seguido por Viñales, Aleix, Folger e Rossi.
 
Wild-card e piloto de testes da KTM, Kallio saltou brevemente para o terceiro posto, mas foi caindo na sequência, conforme os demais iam melhorando. Ainda assim, destaque para a competitividade do finlandês.
Danilo Petrucci dificultou a vida de Marc Márquez (Foto: Michelin)
Enquanto isso, Márquez seguia na ponta, mas mais pressionado por Pedrosa, que vinha 0s1 atrás e tentando encostar. Folger, Zarco e Crutchlow apareciam logo na sequência.
 
Na metade da sessão, a primeira parada nos boxes. Márquez seguiu no comando da brincadeira, 0s105 à frente de Pedrosa. Bautista era o terceiro, com Folger, Crutchlow, Aleix, Dovizioso, Zarco, Viñales e Iannone.
 
As bandeiras de chuva, então, foram acionadas, esvaziando a pista enquanto os pilotos esperavam por uma condição mais definida.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Assim como aconteceu mais cedo, a chuva logo parou e, com o vento, o asfalto podia secar rapidamente. Com cinco minutos para o fim, Bradley Smith colocou um fim ao silêncio e voltou para a pista. Lorenzo, Rins e Iannone se juntaram ao britânico pouco depois, acompanhados por Aleix.
 
Ao fim dos 30 minutos do TL4, Márquez ficou com a liderança, à frente de Pedrosa, Bautista, Folger, Zarco, Crutchlow, Aleix, Dovizioso, Viñales e Iannone. Rossi foi 12º.
 
Separados por 0s007, Petrucci e Pol Espargaró avançam ao Q2
 
Conforme estabelecido pelos três primeiros treinos livres, o Q1 contou com a presença de Zarco, Barberá, Petrucci, Abraham, Lowes, Iannone, Kallio, Smith, Rins, Miller, Pol, Redding, Rabat e Baz.
 
Depois de uma breve trégua climática, a chuva voltou a cair para valer em Sachsenring, forçando os pilotos a se ‘vestirem’ para a ocasião.
 
Com 1min30s361, Pol foi o primeiro a aparecer no topo da tabela, 0s069 à frente de Miller. Terceiro, Iannone já vinha 0s432 abaixo da linha de corte. Zarco, por outro lado, demorou um pouco mais para entrar na pista e ainda não tinha marcado tempo.
As Yamaha de Valentino Rossi e Maverick Viñales sumiram na chuva (Foto: Michelin)
Na passagem seguinte, Rins assumiu o comando com 1min30s283, 0s059 mais rápido que Baz, o segundo colocado. Logo depois, Loris deu o troco no espanhol, mas foi Petrucci quem saltou para a ponta, 0s113 à frente de Miller. Pol vinha em terceiro, 0s522 mais lento que o australiano.
 
Com pouco menos de sete minutos para o fim, Iannone anotou 1min28s506 e assumiu a liderança do Q1, com Petrucci aparecendo em segundo, 0s121 atrás. Miller era terceiro, a 0s364 da fase seguinte da classificação. Neste ponto da sessão, a chuva tinha parado mais uma vez.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Petrucci, então, assumiu brevemente a ponta, mas caiu para terceiro ao ser superado por Miller e Iannone, respectivamente, quase imediatamente. Barberá era o quarto, à frente de Baz. Zarco vinha apenas em oitavo.
 
Danilo reagiu no giro seguinte, chegou a 1min27s688 e assumiu a ponta, abrindo 0s279 de diferença para Miller. Iannone era agora o terceiro, 0s136 atrás de uma vaga no Q2. A chuva? Ah, já tinha voltado.
 
Na sequência, Pol Espargaró avançou para o terceiro posto, se colocando a 0s049 de Miller, que já tinha encerrado os trabalhos e estava nos boxes da Marc VDS. O único parado, aliás.
 
Com a bandeira quadriculada tremulando na Alemanha, Pol saltou para o segundo posto, apenas 0s007 de Petrucci. Assim, Miller larga em 13º, à frente de Baz, Smith, Iannone, Kallio, Barberá, Zarco, Abraham, Lowes, Rins, Redding e Rabat.

Lowes, aliás, sofreu uma forte queda nos instantes finais ao pisar na linha branca. O britânico, porém, escapou ileso.
 
Petrucci dificulta, mas Márquez crava pole
 
Aprovados no Q2, Petrucci e Pol se juntaram a Dovizioso, Bautista, Viñales, Pedrosa, Crutchlow, Aleix, Rossi, Márquez, Folger e Lorenzo na briga pela pole-position.
 
Com a pista liberada, ninguém demorou a sair. A condição de pista seguia complicada, já que a chuva não tinha dado trégua.
Andrea Dovizioso também ficou apagado na chuva (Foto: Michelin)
Quando todos computaram a primeira volta, foi Petrucci quem surgiu no topo da tabela, 1s761 à frente de Pedrosa, o segundo colocado. Lorenzo, Viñales e Rossi vinham na sequência.
 
No giro seguinte, Petrucci permaneceu na ponta, agora 0s568 à frente de Pedrosa. Folger, Pol e Crutchlow apareciam em seguida.
 
No topo da tabela, Folger chegou a assumir brevemente a ponta, mas foi superardo por Petrucci e Pedrosa. O #9 retomou o comando com 0s596 de margem.
 
Em grande fase, o piloto da Pramac seguiu forçando e chegou a 1min27s462, quase 0s5 à frente de Pedrosa, o segundo colocado. Crutchlow era terceiro, enquanto a Yamaha parecia se afogar na poça d’água. Viñales, aliás, se enroscou com Márquez.
 
Márquez reagiu a avançou para a segunda colocação, 0s24 atrás de Danilo. Seria o fim da série dourada do #93 na Alemanha?
 
Com pouco mais de dois minutos para o fim, Márquez cravou 1min27s443 e passou Petrucci pela ponta por apenas 0s019. Pedrosa era o terceiro, à frente de Crutchlow e Folger. Viñales vinha só em décimo, com Rossi aparecendo em 12º.
 
Na volta final, Rossi calçou o pneu médio de chuva e conseguiu avançar apenas para o nono posto, 1s226 atrás de Márquez.
 
Márquez, então, baixou para 1min27s302 e manteve a ponta, 0s160 à frente de Petrucci. Pedrosa completa a primeira fila.
 

#GALERIA(7097)

MotoGP, GP da Alemanha, Sachsenring, Classificação:

1 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:27.302  
2 9 DANILO PETRUCCI ITA DUCATI 1:27.462 +0.160
3 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:27.949 +0.647
4 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 1:28.089 +0.787
5 94 JONAS FOLGER ALE TECH3 YAMAHA 1:28.210 +0.908
6 99 JORGE LORENZO ESP DUCATI 1:28.383 +1.081
7 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM 1:28.402 +1.100
8 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA 1:28.526 +1.224
9 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:28.669 +1.367
10 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI 1:28.703 +1.401
11 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:28.823 +1.521
12 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ASPAR DUCATI 1:28.968 +1.666
13 43 JACK MILLER AUS MARC VDS HONDA 1:27.979 +0.677
14 76 LORIS BAZ ESP AVINTIA DUCATI 1:28.015 +0.713
15 38 BRADLEY SMITH ING KTM 1:28.103 +0.801
16 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI 1:28.285 +0.983
17 36 MIKA KALLIO FIN KTM 1:28.404 +1.102
18 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI 1:28.444 +1.142
19 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA 1:28.625 +1.323
20 17 KAREL ABRAHAM RTC ASPAR DUCATI 1:28.659 +1.357
21 22 SAM LOWES ING APRILIA 1:29.504 +2.202
22 42 ÁLEX RINS ESP SUZUKI 1:29.578 +2.276
23 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI 1:30.028 +2.726
24 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA 1:31.658 +4.356
             
RECORDE MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:21.530 162.0 km/h
MELHOR VOLTA MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:20.336 164.5 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA MOLHADA   ar: 18°C | pista: 23ºC

POLÊMICA MOSTRA QUE VETTEL PISOU NA BOLA E HAMILTON FOI MALANDRO EM BAKU

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube