MotoGP

Márquez comemora evolução, mas minimiza resultado dos testes: “Na pré-temporada, todo mundo é rápido”

Marc Márquez celebrou o fato de ter melhorado sua performance ao longo dos três dias de testes da MotoGP em Losail. O piloto da Honda, no entanto, entende que a pré-temporada não dá uma imagem real da competitividade da classe rainha

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
LEIA TAMBÉM
⇨ Entre dúvidas e certezas, MotoGP fecha testes com diagnóstico de 2019 imprevisível

Marc Márquez deixa o Catar confiante no potencial da Honda de brigar pelo pódio na abertura da temporada 2019. O #93, no entanto, entende que a pré-temporada não fornece um resultado claro da ordem de forças da MotoGP.
 
Ainda em fase de recuperação de uma cirurgia no ombro esquerdo, Márquez abriu os testes em Losail com um atraso considerável, mas conseguiu fechar a bateria com o quarto melhor tempo, 0s405 atrás de Maverick Viñales, o líder.
Marc Márquez considerou que o teste não dá resultado fiel do que está por vir (Foto: Repsol)
“No primeiro dia, nós começamos muito atrás, éramos 1s mais lentos. Ontem, nós estávamos mais perto, e hoje podemos dizer que estamos em um bom nível para brigar pelo pódio”, avaliou Márquez. “Isso é importante em um circuito onde normalmente temos dificuldade”, ponderou.
 
“Estou especialmente feliz, porque ontem eu fiz 50 voltas. Estava um pouco preocupado para ver como o ombro estaria hoje. Estava ok, então fiz 53. Me sinto pronto para começar bem a temporada”, avisou.
 
Ainda, Márquez considerou que os testes não transmitem uma ideia real do nível de cada piloto e afirmou ver a Ducati como a principal ameaça.
 
“Na pré-temporada, todo mundo é rápido”, comentou. “E, na primeira corrida, todo mundo será rápido, porque todo mundo testou. A imagem real chega na Argentina, em Austin e em Jerez, onde não testamos”, continuou.
 
“É uma coisa ter o dia todo, poder pilotar como quer, aí é mais fácil fazer o tempo de volta. Mas, no fim de semana da corrida, tudo é mais difícil. Vamos ver, mas não tem sentido pressionar agora”, avaliou. “As duas Ducati parecem estar na frente, mas estão muito próximas, então eles são muito inteligentes”, reconheceu.