Márquez ignora piso molhado e lidera treino atípico na Itália. Lorenzo e Rossi ficam fora do top-10

Apesar do asfalto traiçoeiro, Marc Márquez conseguiu impor seu ritmo e lançou mão dos pneus slicks nos minutos finais para garantir a liderança do primeiro treino livre em Mugello. Com a moto laboratório da Ducati, Michele Pirro anotou a segunda marca, à frente de Stefan Bradl

As imagens da sexta-feira no Mundial de Motovelocidade em Mugello
Acompanhe a cobertura do GP da Itália no GRANDE PRÊMIO
Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

O asfalto molhado de Mugello tratou de mudar a ordem natural dos treinos da MotoGP. Nesta sexta-feira (31), a primeira sessão livre da classe rainha do Mundial de Motovelocidade foi marcada pela grande presença dos pilotos CRT andando entre os ponteiros, com os medalhões da categoria aparecendo fora do top-10.

 
Apesar do piso escorregadio, Marc Márquez calçou a RC213V com pneus slicks macios e registrou 1min54s797 como sua melhor marca, garantindo a ponta da tabela de tempos. Com a moto laboratório da Ducati, que treinou há poucos dias no circuito da Toscana, Michele Pirro anotou a segunda marca, à frente de Stefan Bradl. 
Márquez foi o mais rápido no primeiro treino livre da MotoGP em Mugello (Foto: Honda)

A primeira CRT, moto que conta com chassi artesanal e motor derivado de produção, aparece na quarta posição, com Karel Abraham registrando sua melhor volta em 1min55s874, 1s077 atrás de Márquez. Yonny Hernández, que chegou a liderar a sessão, aparece em quinto.
 
A melhor Yamaha no treino desta manhã foi a de Bradley Smith. O novato da Tech3 anotou 1min55s981 na melhor de suas 15 voltas em Mugello e ficou com o sexto posto, à frente de Nicky Hayden. 
 
Líder da temporada, Dani Pedrosa ficou com o oitavo posto da folha de tempos. O espanhol registrou sua melhor volta em 1min56s534, 1s737 mais lento que seu companheiro de Honda.
 
Cal Crutchlow aparece na nona colocação, à frente de Ben Spies, que volta às pistas neste fim de semana após ter perdido duas etapas por conta de uma lesão no ombro. 
Álvaro Bautista ficou com o 11º tempo nesta manhã, à frente de Aleix Espargaró e Andrea Iannone. Jorge Lorenzo, que optou por ficar nos boxes nos minutos finais, ficou com o 14º posto, seguido por Andrea Dovizioso, que sofreu uma queda nos minutos finais. 
 
Hiroshi Aoyama, Colin Edwards e Randy De Puniet aparecem em seguida, à frente de Valentino Rossi, que ficou apenas com o 19º tempo. 
Saiba como foi o primeiro treino da MotoGP em Mugello:
 
O primeiro treino da MotoGP em Mugello começou com a temperatura do ar e da pista na casa dos 13ºC. Por conta da chuva que atingiu a região da Toscana horas antes, o asfalto estava úmido, mas com a previsão de chuva, os pilotos não tardaram a deixar os boxes para a sessão de 45 minutos. 
 
Márquez começou na ponta com 2min04s839, à frente de Espargaró e Bradl. Com a Ducati de testes, Pirro logo assumiu a liderança, com Pedrosa se instalando na terceira colocação. 
 
Lorenzo anotou 2min04s778 e subiu para o segundo lugar, mas caiu para terceiro na sequência, com Bradl assumindo a liderança da sessão. Márquez registrou 2min01s427 na sequência e passou a ocupar o primeiro posto.
 
Pedrosa baixou seu tempo de volta para 2min02s431 na sequência, subindo para a segunda colocação, à frente de Pirro, Crutchlow, Iannone, Espargaró, Dovizioso, Bautista, Bradl e Abraham. 
 
Lorenzo tomou à frente com 2min00s730. Márquez aparecia 0s473 atrás, seguido por Crutchlow e Espargaró. Bradl tinha a quinta marca, com Abraham em sexto, Pedrosa em sétimo e Bautista em oitavo. Pirro, Dovizioso e Rossi apareciam na sequência. 
 
Na sequência, Crutchlow se instalou no topo da tabela, com sua melhor volta em 2min00s547. Lorenzo, Márquez, Dovizioso e Rossi completavam top-5.
 
Logo foi a vez de Pedrosa se instalar no alto da folha de tempos. O piloto da Honda anotou 1min59s718, 0s829 mais rápido que Crutchlow, que tinha o segundo posto. Lorenzo vinha em terceiro, à frente de Pirro, Márquez, Bautista, Smith, Rossi, Dovizioso e Spies. 
 
Com menos de 20 minutos para o fim da sessão, apenas Hiroshi Aoyama e Yonny Hernández não tinham deixado os boxes para anotar volta rápida. 
 
Na sequência, Lorenzo baixou seu tempo para 2min00s376, assumindo a segunda posição, 0s658 atrás de Pedrosa. Calçando sua ART com pneus slick, Hernández anotou 1min59s194 com cerca de 12 minutos para o fim da atividade, e se instalou no topo da tabela de tempos, 0s524 mais rápido que Pedrosa. 
 
Depois de uma rápida passagem pelos boxes da Honda, Dani voltou para a pista com os pneus slicks macios na RC213V. Neste ponto, com menos de dez minutos para o fim da sessão, Hernández tinha 1s972 de vantagem no topo da tabela de tempos. 
 
Márquez também lançou mão dos slicks e voltou para a pista, ao contrário de Rossi, que seguiu usando pneus de chuva e escapou da pista na curva 12. Valentino conseguiu evitar a queda e voltou para o treino normalmente, se dirigindo aos boxes da Yamaha.
 
Marc assumiu o segundo posto, 0s378 atrás de Yonny. Bradl subiu para terceiro, à frente de Dani e Lorenzo. Com pouco mais de cinco minutos para o fim, Lukas Pesek sofreu uma queda, abandonando o treino. 
 
Com 1min56s506, Márquez tomou a ponta, seguido por Bradl. Nos minutos finais, Dovizioso perdeu a frente na curva 1 e caiu, pegando uma carona para voltar aos boxes da Ducati. 
 
Na sequência, Hernández baixou seu tempo, assumindo o segundo posto, 0s178 atrás de Márquez. Pirro vinha em terceiro, à frente de Bradl, Smith, Abraham, Pedrosa, Lorenzo, Dovizioso, Crutchlow e Pirro. Antes do fim do treino, Petrucci sofreu uma queda, também abandonando a atividade. 
 
Com 1min56s104, Pirro assumiu a liderança com a moto laboratório da Ducati, mas logo perdeu a posição para Márquez. Bradl também melhorou e passou a ocupar a segunda colocação. Abraham vinha em quarto, à frente de Hernández e Smith. 
 
Depois de uma passagem pelos boxes, Rossi voltou para a pista, mas poucos segundos antes de o cronômetro ser zerado. Tentando impor um forte ritmo, Márquez perdeu a trajetória na curva 4 e escapou da pista. Andando na grama para voltar para a pista, o espanhol caiu, mas logo levantou a moto e seguiu para os boxes.
 
MotoGP, GP da Itália, Mugello, 1º Treino Livre:
1
Marc MÁRQUEZ
ESP
Honda
 
1:54.797
 
12
2
Michele PIRRO
ITA
Ducati
 
1:55.195
+0.398
13
3
Stefan BRADL
ALE
LCR Honda
 
1:55.288
+0.491
17
4
Karel ABRAHAM
TCH
AB
 
1:55.874
+1.077
12
5
Yonny HERNÁNDEZ
COL
Paul Bird
 
1:55.907
+1.110
13
6
Bradley SMITH
ING
Tech3 Yamaha
 
1:55.981
+1.184
15
7
Nicky HAYDEN
EUA
Ducati
 
1:55.991
+1.194
17
8
Dani PEDROSA
ESP
Honda
 
1:56.534
+1.737
13
9
Cal CRUTCHLOW
ING
Tech3 Yamaha
 
1:56.984
+2.187
15
10
Ben SPIES
EUA
Pramac Ducati
 
1:57.045
+2.248
13
11
Álvaro BAUTISTA
ESP
Gresini Honda
 
1:57.910
+3.113
17
12
Aleix ESPARGARÓ
ESP
Aspar
 
1:58.076
+3.279
15
13
Andrea IANNONE
ITA
Pramac Ducati
 
1:58.478
+3.681
16
14
Jorge LORENZO
ESP
Yamaha
 
2:00.174
+5.377
10
15
Andrea DOVIZIOSO
ITA
Ducati
 
2:00.457
+5.660
14
16
Hiroshi AOYAMA
JAP
Avintia
 
2:00.801
+6.004
9
17
Colin EDWARDS
EUA
Forward
 
2:01.082
+6.285
12
18
Randy DE PUNIET
FRA
Aspar
 
2:01.108
+6.311
9
19
Valentino ROSSI
ITA
Yamaha
 
2:01.455
+6.658
13
20
Héctor BARBERÁ
ESP
Avintia
 
2:02.673
+7.876
14
 
TEMPO 107%
TL1
 
 
2:02.832
 
 
 
Lukas PESEK
TCH
Ioda
 
2:04.160
+9.363
11
 
Bryan STARING
AUS
Gresini Honda
 
2:04.511
+9.714
17
 
Danilo PETRUCCI
ITA
Ioda
 
2:05.741
+10.944
4
 
Michael LAVERTY
ING
Paul Bird
 
2:05.759
+10.962
12
 
Claudio CORTI
ITA
Forward
 
2:06.323
+11.128
6
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Condições do tempo
 
Pista Molhada
 
ar: 14°C | pista: 14°C
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
MV
Dani PEDROSA
ESP
Honda
 
1:47.284
176.0 km/h
REC
Dani PEDROSA
ESP
Honda
 
1:47.705
175.3 km/h
VMR
Marc MÁRQUEZ
ESP
Honda
 
1:54.797
164.4 km/h

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube