MotoGP

Márquez segura Rossi e crava sétima pole-position no Circuito das Américas. Dovizioso é apenas 13º

Marc Márquez não deu chances para a concorrência e conseguiu a sétima pole-position em Austin. 0s273 mais lento, Valentino Rossi ficou com o segundo posto, com Cal Crutchlow aparecendo para fechar a primeira fila. Andrea Dovizioso foi eliminado ainda no Q1 e vai largar só em 13º

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
Marc Márquez fez de novo. Neste sábado (13), o #93 conquistou sua sétima pole-position em Austin, estendendo mais um pouco a série invicta no traçado texano ― ainda que não tenha iniciado a prova do ano passado na ponta por conta de uma punição.
 
Depois de os treinos da manhã terem sido cancelados por conta de uma tempestade de raios, os pilotos voltaram à pista nesta tarde para encontrar um asfalto úmido. Com o passar do TL4, porém, as condições foram melhorando, permitindo que os slicks entrassem em ação já no terço final da atividade.
 
Quando chegou a hora da tomada de tempo, o asfalto estava praticamente seco, já que o sol tinha voltado a brilhar em Austin. Márquez, então, fez valer sua força em território norte-americano e, com 2min03s787, assegurou a posição de honra do grid.
Marc Márquez (Foto: Divulgação/MotoGP)
Valentino Rossi manteve a boa forma do fim de semana e assegurou o segundo posto no grid, 0s273 mais lento que Márquez. Mais 0s087 atrás, Cal Crutchlow vai fechar a primeira fila do grid.
 
Com 2min04s416, Jack Miller ficou com o quarto posto, à frente de Pol Espargaró, que foi recebido com uma enorme festa nos boxes da KTM. 0s702 atrás de Márquez, Maverick Viñales ficou com o sexto posto.
 
Álex Rins vem na sequência, seguido por Danilo Petrucci, Fabio Quartararo e Franco Morbidelli, que fecha um top-10 separado por 1s491.
 
Jorge Lorenzo, aliás, passou por um momento curioso. Tal qual aconteceu com Márquez em 2015, o #99 teve um problema com a RC213V justamente na reta principal. O piloto de Palma de Maiorca, então, deixou a moto apoiada no muro e correu em direção aos boxes, mas o protótipo acabou caindo.
 
Jorge conseguiu voltar aos boxes com tempo para pegar a moto reserva e voltar para a pista, mas ficou apenas em 11º, à frente apenas de Francesco Bagnaia, que sofreu duas quedas nesta tarde.
 
Depois de um primeiro dia apagado, Andrea Dovizioso tropicou mais uma vez neste sábado. O #4 foi barrado ainda no Q1 ao ser batido pelo companheiro de Ducati por só 0s016 e vai largar apenas em 13º, à frente de Joan Mir, Takkaki Nakagami, Aleix Espargaró, Andrea Iannone. Miguel Oliveira conseguiu o 18º, superando Johann Zarco, o 19º, por 1s281. Karel Abraham, Hafizh Syahrin e Tito Rabat completam o grid.
 
Resultado de imagem para emoji microfonePaddockast #14: O melhor piloto de MotoGP de todos os tempos



 Ouça no Spotify
 Ouça no iTunes
 Ouça no Android
 Ouça no playerFM

Márquez voa em Austin para cravar melhor volta do último treino da MotoGP para GP das Américas

Depois da classificação da Moto3, foi a vez da MotoGP ir para a pista para realizar o quarto treino livre. Mesmo com piso molhado, o tempo estava abrindo e a temperatura aumentando, batendo 19ºC. O asfalto atingia 25ºC.
 
Com cinco minutos de sessão já completados, os tempos começaram a surgir na tabela da sessão. Miller, com 2min19s745, era o piloto que surgia na primeira colocação. O australiano era seguido por Viñales e Rins.
 
Neste ponto da sessão, Márquez aparecia no quinto posto da folha de tempos – o piloto usava pneus médio dianteiro e traseiro. Enquanto isso, Dovizioso era apenas o 19º - o italiano calçava macio dianteiro e traseiro.
 
Mas não demorou muito para que o #93 da Honda logo tratasse de saltar para a primeira colocação. O piloto baixou consideravelmente a marca anterior, anotando 2min17s172. Viñales, Rossi, Dovizioso e Petrucci vinham em seguida.
 
Com 20 minutos para a bandeira quadriculada, os pilotos começaram a se dirigir para os boxes para a parada programada da sessão. Grande parte do pelotão estava já nas garagens.
 
Enquanto isso, Valentino se manteve no circuito e aproveitou, com a progressiva melhora das condições, fazer o tempo mais rápido do ensaio. O italiano anotou 2min16s168, e era seguido pelo companheiro Maverick.
 
Os pilotos começaram a voltar para o traçado e já tinham que encarar uma nova marca a ser batida. Com 2min14s650, Rins se arremessou para a primeira colocação da tabela, seguido por Miller e Rossi.
 
Três minutos restavam no relógio e com o traçado cada vez melhor em Austin, os tempos caiam vertiginosamente. Márquez era quem aparecia na primeira posição com 2min06s956, com Oliveira, Rins, Viñales e Crutchlow completando o top-5.
Bandeira quadriculada e a ordem final da tabela foi Márquez, Crutchlow, Rossi, Morbidelli, Rins, Viñales, Dovizioso, Nakagami, Miller e Zarco fechando os dez primeiros.

Lorenzo surge no fim para garantir uma das vagas do Q2. Surpreendente, Petrucci também avança

Sem muito tempo para descanso, parte dos pilotos logo voltou para a pista para a primeira parte da classificação. Eram eles Andrea Dovizioso, Joan Mir, Danilo Petrucci, Aleix Espargaró, Takaaki Nakagami, Jorge Lorenzo, Johann Zarco, Andrea Iannone, Karel Abraham, Tito Rabat, Miguel Oliveira e Hafizh Syahrin.
 
Cronômetro rodando em Austin e quase todos os pilotos foram para a pista imediatamente. Na escolha de pneus. Mir, Nakagami, Abraham, Rabat e Oliveira escolheram macio dianteiro e traseiro. Aleix Espargaró, Iannone e Sahrin optaram por médio dianteiro e macio traseiro. Dovizioso e Zarco ainda não haviam deixado os boxes.
 
Oliveira foi o primeiro nome a figurar na primeira colocação na tabela. Entretanto, o português logo foi superado por Mim, e a dupla era quem sustentava as duas vagas para avançar ao Q2.
 
Miguel voltou mais uma vez para a ponta da folha de tempos ao anotar 2min07s111. 0s123 mais lento que o piloto, Iannone era o segundo colocado e quem passava para a próxima fase da classificação. Mir, Dovizioso e Nakagami vinham depois.
Valentino Rossi ficou com o segundo posto (Foto: Divulgação/MotoGP)
Nos minutos finais, tudo mudou em Austin. Dovizioso fez volta voadora e, único na casa de 2min05s, tratou de saltar para a primeira colocação. Quem vinha acompanhando o titular da Ducati era Aleix Espargaró.
 
De forma surpreendente, Lorenzo apareceu no cronômetro zerado para empurrar todos uma posição para baixo e vir na primeira colocação com 2min05s855. O #4 ainda era quem aparecia em segundo.
 
Mas as coisas não paravam de mudar em solo norte-americano. Ainda com as voltas rápidas em aberto, Mir tratou de tirar Dovizioso do top-5, mas depois foi empurrado por Petrucci que, com Jorge, avançou ao Q2.

Márquez se mostra em casa, voa na classificação e conquista sétima pole para GP das Américas

Lorenzo e Petrucci logo se juntaram a Viñales, Márquez, Rossi, Miller, Crutchlow, Rins, Pol Espargaró, Morbidelli, Quartararo e Bagnaia para disputarem a fase final da classificação e brigar pela pole-position.
 
Então, na primeira volta rápida volta rápida completada, Márquez tratou de anotar o tempo mais rápido do final de semana em 2min03s787. Enquanto isso, uma cena curiosa era vista no circuito: Lorenzo tinha um problema em sua moto, a encostava no canto da pista e saia correndo para os boxes.
 
Mas a ação do traçado seguia. Agora, atrás do #93 da Honda, vinha Rossi na segunda colocação, com Miller, Rins, Crutchlow, Petrucci, Viñales, Quartararo, Morbidelli, Lorenzo, Pol Espargaró e Bagnaia.

Com cinco minutos para o fim, quase todos os pilotos fizeram uma rápida passada pelos boxes. Quando estava na reta, Márquez viu sua moto chacoalhar bruscamente, mas o piloto conseguiu manter o controle.
 
Na escolha dos pneus, o pelotão estava bastante misturado. Márquez e Crutchlow optaram por médio e macio. Rossi, Miller, Rins e Quartararo, macio usado e macio; Viñales, Morbidelli e Bagnaia, macio e macio.
Andrea Dovizioso foi eliminado ainda no Q1 (Foto: Divulgação/MotoGP)
Era a reta final da classificação e restavam apenas poucos segundos para a bandeira quadriculada. Marc ainda sustentava a pole-position, com Rossi, Crutchlow, Miller, Pol Espargaró e Rins completando as duas primeiras filas.

E como o rei em casa, o pentacampeão colocou mais uma pole no bolso, mais uma em terras norte-americanas. Rossi é quem sai em segundo, com Crutchlow fechando a primeira fila do grid de largada.
 
Miller, Pol Espargaró, Viñales, Rins, Petrucci, Quartararo, Morbidelli, Lorenzo e Bagnaia completam a lista dos pilotos que passaram pelo Q2.

MotoGP 2019, GP das Américas, Austin, Grid de Largada:

1 M MÁRQUEZ Honda 2:03.787  
2 V ROSSI Yamaha 2:04.060 +0.273
3 C CRUTCHLOW LCR Honda 2:04.147 +0.360
4 J MILLER Pramac Ducati 2:04.416 +0.629
5 P ESPARGARÓ KTM 2:04.472 +0.685
6 M VIÑALES Yamaha 2:04.489 +0.702
7 A RINS Suzuki 2:04.534 +0.747
8 D PETRUCCI Ducati 2:04.696 +0.909
9 F QUARTARARO SIC Yamaha 2:04.941 +1.154
10 F MORBIDELLI SIC Yamaha 2:05.278 +1.491
11 J LORENZO Honda 2:05.383 +1.596
12 F BAGNAIA Pramac Ducati 2:05.887 +2.100
13 A DOVIZIOSO Ducati 2:05.907 +2.120
14 J MIR Suzuki 2:06.147 +2.360
15 T NAKAGAMI LCR Honda 2:06.324 +2.537
16 A ESPARGARÓ Aprilia Gresini 2:06.464 +2.677
17 A IANNONE Aprilia Gresini 2:06.527 +2.740
18 M OLIVEIRA Tech3 KTM 2:06.543 +2.756
19 J ZARCO KTM 2:06.824 +3.037
20 K ABRAHAM Avintia Ducati 2:07.129 +3.342
21 H SYAHRIN Tech3 KTM 2:07.308 +3.521
22 T RABAT Avintia Ducati 2:07.417 +3.630
         
REC M MÁRQUEZ Honda 2:03.575 160.2  km/h
MV M MÁRQUEZ Honda 2:02.135 162.4 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 21ºC | pista: 31ºC



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.