Márquez supera Viñales por 0s3 e anota sétima pole da temporada. Apagado, Dovizioso sai apenas em 11º na Austrália

Marc Márquez aproveitou o bom ritmo da RC213V e conquistou neste sábado (21) sua sétima pole-position na temporada 2017. 0s333 mais lento, Maverick Viñales aparece na sequência, com Johann Zarco fechando a primeira fila. Apagado no treino classificatório, Andrea Dovizioso vai largar apenas em 11º

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Rei das poles em 2017, Marc Márquez conseguiu mais uma vez. Aproveitando a boa performance da Honda e a trégua da chuva em Phillip Island na tarde deste sábado (21), o líder do Mundial superou Maverick Viñales 0s333 na parte final da classificação para conquistar a posição de honra do grid pela sétima vez no ano.
 
Em um treino marcado pela presença das seis montadoras no Q2, a fase final da classificação, três delas passaram pelo topo da tabela. Usando o vácuo do #93, Andrea Iannone foi o primeiro a liderar, mas logo foi batido por Marc. Na sequência, Johann Zarco assumiu a ponta, mas acabou batido pelo #25 pouco depois.
 
Em seu penúltimo giro no traçado de Victoria, Márquez alcançou 1min28s386 e arrematou a pole, à frente de Viñales e Zarco. Iannone abre a segunda fila da grelha.
Marc Márquez faturou a pole em Phillip Island  (Foto: Michelin)
Correndo em casa pouco mais de três semanas depois de fraturar a perna direita, Jack Miller ficou com a quinta colocação, diante de Pol Espargaró, que assegurou o melhor resultado da KTM no ano. 
 
Valentino Rossi vem logo depois, acompanhado por Aleix Espargaró e Bradley Smith. Cal Crutchlow caiu na parte final da sessão e acabou em décimo.
 
Vice-líder do Mundial, Andrea Dovizioso sofreu um revés importante neste sábado e, apagado, ficou apenas em 11º, 1s110 atrás do tempo da pole.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Álex Rins até chegou perto de avançar ao Q2, mas acabou batido por Smith por 0s119 e vai ter de largar na 13ª colocação. Sofrendo com as dores de uma entorse no tornozelo esquerdo ― fruto de uma queda forte no terceiro treino livre ―, Jorge Lorenzo vai largar apenas em 16º.

 
Quem também não conseguiu passar da primeira fase da classificação foi Danilo Petrucci, que caiu na curva dez em sua última volta e ficou com o 18º posto no grid.
 

Márquez aparece no fim para encaixar volta voadora e liderar quarto treino livre. Dovizioso escapa ileso de queda
 

A chuva que se fez presente na classificação da Moto3 mais cedo parecia ter dado trégua quando a MotoGP foi para a pista. O termômetro indicava 15ºC, enquanto o asfalto batia a temperatura de 28ºC.
 
Com 1min32s399, Aleix Espargaró foi o primeiro piloto a fazer uma volta rápida. Quem aparecia atrás do titular da Aprilia era Danilo Petrucci. Mas não demoraria a que o tempo do espanhol fosse batido, e era Álex Rins quem assumiria a ponta da sessão, com 1min31s839.
 
A medida que o tempo ia passando, os tempos consequentemente iam caindo no circuito australiano. Após Jack Miller e Pol Espargaró anotarem os tempos mais velozes, Rins voltou a pontear a tabela. Mas pouco depois, o #42 foi ao chão. Sem grandes danos, logo subiu na moto e voltou para a sessão.
 
Quem também acabou caindo durante o quarto treino foi o postulante ao título Andrea Dovizioso. O piloto acabou perdendo a sua moto e foi deslizando para fora do traçado na curva 10. Logo o piloto se levantou e saiu da pista, voltando para o box da Ducati de carona.
 
O relógio indicava 17 minutos para o fim, e quem aparecia agora com a melhor marca da sessão era Johann Zarco. O piloto da Tech3 anotava o tempo de 1min30s157, enquanto era seguido muito de perto por Pol Espargaró, 0s002 mais lento, e Andrea Iannone. Neste ponto, parte do grid estava parado.
 
Mais para trás, o atual líder da classificação Marc Márquez aparecia na quinta colocação com uma desvantagem de 0s166 para o ponteiro #5.
 
Nos últimos dez minutos de sessão, quando os competidores começavam a retornar para o traçado, Aleix retomou mais uma vez a ponta da sessão, anotando a marca de 1min30s080, com Zarco em segundo, Pol e terceiro, Iannone e Crutchlow completando o top-5.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Quem vinha apresentando desempenho bastante discreto na sessão era a dupla da Yamaha. Enquanto Valentino Rossi era apenas o 13º na parte final do treino, Maverick Viñales ocupava apenas o 17º posto da tabela.
 
Quem também tinha um ritmo sem grandes brilhos era Jorge Lorenzo. Após o grande acidente que sofreu no terceiro treino, quando caiu da moto e rolou algumas vezes na área de escape, foi reportado que o piloto tinha dores em seu quadril.
 
Na reta final da sessão, com menos de cinco minutos para o cronômetro zerar, Marc Márquez então apareceu na sessão. Anotando 1min29s786, o titular da Honda tomava para si a ponta da tabela. Ele era seguido por Iannone, que também melhorou sua marca. Não satisfeito, o #93 baixou seu tempo na volta seguinte, agora com 1min29s541.
 
Com o cronômetro já travado na Austrália, ninguém mais bateu a marca de Márquez. Arco, 0s198 mais lento que o ponteiro, ficou com o segundo posto da tabela. Iannone apareceu em terceiro, com Aleix e Pol cravando o top-5.

Junto com Rossi, Smith avança e coloca segunda KTM na fase final da classificação. Lorenzo larga apenas em 16º
 
Como ficou definido pelos treinos livres, o Q1 contou com Lorenzo, Rossi, Abraham, Smith, Rins, Redding, Petrucci, Baz, Rabat, Lowes, Barberá, Bautista e Parkes.
 
Após a ponta passar por pilotos como Smith, Rabat e Abraham, era o #99 quem sustentava a marca mais veloz da sessão, com o tempo de 1min30s085. A diferença do primeiro para o segundo coloado era de apenas 0s069.
 
Foi quando faltavam menos de dez minutos para o encerramento do Q1, Valentino Rossi se enfiou na briga e instalou a melhor volta, com 1min29s665. O italiano era seguido por Rins, que anotou 1min29s824. No momento, a dupla era quem avançava para o Q2.
Maverick Viñales ficou a 0s333 da pole (Foto: Yamaha)
O cronômetro indicava pouco mais de sete minutos para o fim, e grande parte dos pilotos se encaminharam para os boxes das suas equipes. Quando a transmissão mostrou Lorenzo na garagem da Ducati, o piloto mancava um pouco.
 
No momento, o #46 ponteava a sessão, seguido por Rins, Abraham, Rabat e Smith. Os competidores então começaram a se dirigir de volta para o traçado, com apenas os dois mais velozes do Q1 ainda nos boxes.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Foi na reta final do treino que alguma ação voltou a ser vista em Phillip Island. Enquanto Rossi aproveitou para baixar seu tempo para 1min29s346, Smith pulou para a segunda colocação, avançando junto com o italiano para a fase final da classificação.
 
Enquanto isso, Petrucci sofria um acidente parecido com o de Dovizioso na curva 10. Apesar da velocidade, o piloto logo se recuperou e saiu andando do traçado.
 
Então, Rins larga em 13º, seguido por Rabat, Abraham, Lorenzo, Baz, Petrucci, Barberá, Redding, Parkes, Bautista e Lowes.
Márquez aparece no final, supera Viñales e conquista pole na Austrália. Discreto, Dovizioso é apenas 11º: 
 
Aprovados no Q1, Rossi e Smith se juntaram a Aleix Espargaró, Márquez, Dovizioso, Crutchlow, Viñales, Miller, Iannone, Zarco e Pedrosa na disputa pela pole.
 
Para as primeiras voltas, a maior parte dos pilotos optou por pneus médios, com exceção de Dovizioso, Zarco, Milles e Rossi, que optaram pela borracha macia. Enquanto isso, Iannone removeu o seu kit aerodinâmico da moto.
 
O #29 foi o primeiro a imprimir um giro rápido na parte final da classificação. O titular da Suzuki encaixou o tempo de 1min29s265. 
 
Mas é claro que Márquez não deixaria barato e tomaria de assalto o topo da folha de tempos. Em uma volta voadora, o atual líder da classificação anotou a marca de 1min28s884. O espanhol era seguido por Iannone, Miller, Zarco e Rossi. Enquanto isso, Dovizioso era apenas o 12º.
 
O cronômetro atingiu a marca de oito minutos para o fim da sessão, e os pilotos então se dirigiram para as garagens de suas equipes. Quem ainda seguia na pista era Viñales, Aleix Espargaró, Pedrosa e Dovizioso. Mas eles logo também iriam para os boxes.
 
Faltavam cinco minutos e todos os pilotos voltaram para a pista. Na reta final do Q2, Crutchlow acabou sofrendo um acidente na curva 4. O piloto acabou caindo, mas logo remontou em sua moto.
Pol Espargaró conseguiu o melhor resultado da KTM no ano (Foto: Michelin)
Então, com 1min28s744, Zarco saltava para a ponta da tabela e assumindo a pole-position provisória com menos de dois minutos para o cronômetro zerar em Phillip Island.
 
Mas na reta final da sessão, foi a vez de Viñales dar a volta voadora e tomar a ponta da folha de tempos. O espanhol anotou 1min28s719, superando o titular da Tech3 por uma diferença mínima de 0s025.
 
É claro que Márquez não deixaria barato e compraria a briga com os adversários. O espanhol anotou 1min28s386 e superou o #25 pela ponta da tabela. Ninguém mais conseguiria superar o titular da Honda, que conquistou a sua sétima pole da temporada.
 
Quem larga da segunda colocação é Viñales, com Zarco, Iannone, Miller e Pol Espargaró completando o rol dos seis mais velozes da classificação. Rossi é sétimo, com Aleix Espargaró, Smith e Crutchlow logo em seguida.
 
Sendo a única Ducati do Q2, Dovizioso teve desempenho bastante discreto, e 1s110 mais lento que o ponteiro, sai apenas da 11ª posição. Pedrosa é o 12º.

MotoGP, GP da Austrália, Phillip Island, Grid de largada:
 
1 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:28.386  
2 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:28.719 +0.333
3 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA 1:28.744 +0.358
4 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI 1:28.937 +0.551
5 43 JACK MILLER AUS MARC VDS HONDA 1:28.964 +0.578
6 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM 1:29.030 +0.644
7 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:29.203 +0.817
8 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA 1:29.271 +0.885
9 38 BRADLEY SMITH ING KTM 1:29.321 +0.935
10 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 1:29.429 +1.043
11 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI 1:29.496 +1.110
12 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:29.546 +1.160
13 42 ÁLEX RINS ESP SUZUKI 1:29.824 +1.438
14 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA 1:29.847 +1.461
15 17 KAREL ABRAHAM RTC ASPAR DUCATI 1:29.961 +1.575
16 99 JORGE LORENZO ESP DUCATI 1:30.085 +1.699
17 76 LORIS BAZ ESP AVINTIA DUCATI 1:30.224 +1.838
18 9 DANILO PETRUCCI ITA DUCATI 1:30.471 +2.085
19 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI 1:30.543 +2.157
20 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI 1:30.806 +2.420
21 23 BROC PARKES AUS TECH3 YAMAHA 1:30.889 +2.503
22 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ASPAR DUCATI 1:30.900 +2.514
23 22 SAM LOWES ING APRILIA 1:31.158 +2.772
             
RECORDE MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:28.108 181.7 km/h
MELHOR VOLTA JORGE LORENZO ESP YAMAHA 1:27.899 182.1km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 13°C | pista: 27ºC

#GALERIA(7217)

RITMO DE FESTA

PADDOCK GP CHEGA À EDIÇÃO 100 COM HISTÓRIAS IMPERDÍVEIS DE EDGARD MELLO FILHO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube