MotoGP

Márquez vê aspectos “positivos e negativos” em chassi revestido por fibra de carbono: “Foi diferente”

Marc Márquez aproveitou o dia de testes em Jerez de la Frontera para testar a moto com que Stefan Bradl disputou o GP da Espanha do fim de semana. O #93 falou em aspectos positivos e negativos

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Resultado de imagem para emoji racing Grandes Entrevistas: Luca Marini
🏍️ Confira a classificação do Mundial de MotoGP após o GP da Espanha

Marc Márquez avaliou que o chassi revestido de fibra de carbono é “diferente” do quadro tradicional de sua RC213V. O #93 aproveitou o dia de testes coletivos em Jerez para provar a moto com que Stefan Bradl disputou o GP da Espanha.
 
A HRC está trabalhando no chassi revestido para tentar diminuir o peso da moto e ganhar flexibilidade. O chassi atual da Honda é de alumínio.
 
 
Falando à imprensa, Márquez disse não ter planos de levar a nova moto para a pista imediatamente, mas celebrou o fato de ter feito comentários na mesma linha do piloto de testes.
Marc Márquez provou a moto de Stefan Bradl em Jerez (Foto: Honda)
Resultado de imagem para emoji microfonePaddockast #16: Devemos amar Senna acima de tudo e todos? E domínio da Mercedes torna F1 chata?

 Ouça no Spotify
 Ouça no iTunes
 Ouça no Android
 Ouça no playerFM

“Eu fiz o tempo de volta com a moto do Bradl, era outra moto”, disse Márquez. “Fiz uma saída com o pneu usado e uma com o novo para entender”, seguiu.
 
“Foi positivo, porque entendemos muitas coisas. Foi só para dar um feedback para a HRC”, explicou. 
 
Márquez classificou a experiência como “diferente” e falou em aspectos positivos e negativos com a nova moto. 
 
“Foi diferente, com coisas positivas e negativas”, apontou. “Mas o mais importante é que a minha avaliação foi exatamente a mesma de Bradl. Ele vai continuar testando e melhorando, tentando novos itens.”, continuou.
 
“É importante termos os mesmos comentários e a mesma sensação do piloto de testes”, defendeu. 
 
Questionado sobre o que estava buscando com a nova moto, Márquez respondeu: “Estávamos buscando confiança com a dianteira. Você ganha coisas, perde outras coisas, então é sempre uma harmonização”.
 
Durante o fim de semana em Jerez, Márquez citou que a Honda tinha trabalhado com o freio motor da RC213V por conta de um problema que interferiu na queda que o tirou do GP das Américas. E foi justamente essa a área onde o #93 focou no teste.
 
“Na minha moto atual, eu estava trabalhando bastante na entrada de curva, naquela área do freio motor”, apontou. “Foi onde tivemos mais problemas nas primeiras três corridas e já disse que nós melhoramos muito, mas ainda têm alguns pontos fracos, então trabalhamos nisso”, comentou.
 
“Nós encontramos algo que era interessante e mais algumas coisas para o futuro”, concluiu.


 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.