MotoGP

Márquez vê Lorenzo “se adaptando bem” a Honda e admite: “Ele vai dificultar as coisas para mim”

Depois de dois testes com Jorge Lorenzo a bordo da RC213V, Marc Márquez considerou que o #99 está se adaptando bem a Honda. O #93 reconheceu que vai ter trabalho com o novo companheiro de equipe
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Marc Márquez (Foto: Honda)
Pela primeira vez desde que chegou a MotoGP, Marc Márquez terá um companheiro de equipe diferente de Dani Pedrosa. Mas, mesmo esperando ter sua vida dificultada com a chegada do #99, o piloto de Cervera se mostrou positivo com a incorporação do rival de Palma de Maiorca a Honda.
 
Passados os testes de Valência e Jerez, Márquez vê Lorenzo se adaptando bem a RC213V, mas reconhece que o espanhol terá de lidar com a pressão de entrar em um time vencedor.
Márquez não espera problemas de relacionamento com Lorenzo (Foto: Michelin)
“Quando você chega em um projeto vencedor, você tem pressão e tem de se sair bem”, disse Márquez em entrevista ao diário espanhol ‘Marca’. “Ele chega a Honda com uma moto que conquistou o campeonato do mundo. Sempre existe a pressão de lutar por vitórias e títulos, e a verdade é que ele está se adaptando bem”, seguiu.
 
Márquez disse, ainda, que espera ter seu trabalho dificultado por Lorenzo, mas torceu para, juntos, eles possam melhorar o protótipo da asa dourada.
 
“Tenho certeza de que ele vai dificultar as coisas para mim. Claro! Ele é pentacampeão do mundo e espero que, entre nós dois, nós ajudemos a evoluir a moto”, declarou.
 
Questionado se os dois já tiveram chance de trocar suas impressões, Marc contou que já conversou com Lorenzo sobre a RC213V e disse que os dois indicaram as mesmas direções.
 
“A Honda sempre marca as passagens de avião dos dois pilotos juntas e nós conversamos no voo de volta”, contou. “Nós compartilhamos informações e ambos coincidimos nos pontos em que podemos melhorar a moto. Isso é positivo para todo mundo”, frisou.
 
Por fim, Márquez disse não esperar uma dinâmica muito complexa com Lorenzo, já que os dois precisam manter um relacionamento profissional e se dar bem, deixando a rivalidade na pista.
 
“Nos dois conversamos e sabemos que existe uma rivalidade, claro, mas também sabemos que isso sempre fica na pista”, comentou. “Fora dela, temos de ser profissionais a todo o momento”, opinou.
 
“Com Dani Pedrosa era igual: tentávamos ser o melhor e compartilhamos muitas coisas. É importante se dar bem”, concluiu.