Oliveira vê pneu dianteiro como vilão da KTM no Catar: “Perdemos muita aderência”

A abertura da temporada 2021 da MotoGP não foi das mais fáceis para Miguel Oliveira e a KTM com o 13º lugar no Catar. E o português achou o culpado para a performance abaixo do esperado em Losail

Depois de terminar a temporada 2020 com pole e vitória no GP de Portugal, o campeonato 2021 começou ruim para Miguel Oliveira. Estreando pela equipe de fábrica da KTM, o português foi apenas o 13º colocado no GP do Catar, sempre distante das primeiras posições durante todo o fim de semana.

Promovido da Tech3 para a KTM de fábrica, Oliveira já encontrou um culpado para descontrar a frustração do resultado ruim no primeiro fim de semana em Losail. De acordo com o português, os pneus Michelin oferecidos foram responsáveis pela fraca atuação, especialmente os compostos mais macios.

A marca francesa ofereceu três tipos diferentes de compostos dianteiros e traseiros para escolhas, com todos os pilotos do grid escolhendo o conjunto macio nas motos.

Miguel Oliveira teve desempenho discreto ao longo do fim de semana (Foto: KTM)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Duelo Hamilton x Verstappen bate recorde de audiência em Reino Unido, Holanda e EUA

“Não conseguimos terminar melhor por causa do pneu dianteiro. Perdemos muita aderência no meio da corrida e isso comprometeu nossa performance. Perdi tempo evitando uma queda. Sinto que nossa moto é forte, mas não conseguimos competir ao longo da corrida por conta do composto. Para ser honesto, é bem decepcionante porque a seleção de pneus é feita por eliminação, não por escolha. Não é nossa escolha espontânea usar os pneus macios, mas porque não podíamos ter outros”, afirmou Oliveira após a corrida.

“A combinação entre o chassi e a borracha dos pneus médios é errada, nós comunicamos desde o primeiro dia de testes aqui e, de fato, ninguém usa. Quando estamos com os duros, no calor [durante o dia], somos competitivos”, completou.

Oliveira fechou a prova 11s4 atrás de Maverick Viñales, o vencedor no Catar. Apesar do resultado decepcionante, foi o melhor piloto da KTM na abertura da temporada. Brad Binder, seu companheiro de equipe, terminou em 14º. A dupla da Tech3 teve menos sorte, com Iker Lecuona em 17º e Danilo Petrucci caiu ainda na primeira volta.

Siga o GRANDE PRÊMIO nas redes sociais:
YouTube | Facebook | Twitter Instagram | Pinterest | Twitch | DailyMotion

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube