Miller faz aposta com pneus slicks, bate Pedrosa e fatura pole na Argentina. Márquez falha e larga só em sexto

Jack Miller fez uma aposta ao calçar os pneus slicks em uma pista secando e faturou a pole-position para o GP da Argentina de MotoGP. 0s177 mais lento, Dani Pedrosa ficou com o segundo posto, com Johann Zarco completando a primeira fila. Bem ao longo de todos os treinos, Marc Márquez falhou em Termas de Río Hondo e vai largar só em sexto

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O inesperado aconteceu em Termas de Río Hondo. Apostando em pneus slicks em uma pista secando, Jack Miller quebrou neste sábado (7) a invencibilidade de Marc Márquez em treinos classificatórios no traçado de Santiago Del Estero e conquistou sua primeira pole na MotoGP.
 
Ao contrário do que aconteceu com Moto3 e Moto2, a MotoGP foi ligeiramente poupada pelo clima. Apesar de o céu seguir bastante nublado em Termas de Río Hondo, a chuva deu uma trégua na classificação, permitindo ao menos a formação de um trilho mais seco ― ou menos molhado como Karel Abraham chegou a pontuar para a transmissão oficial da categoria.

Mesmo assim, a condição do asfalto não era boa o suficiente para encorajar os pilotos a abrirem a fase final da classificação com os slicks. Os calçados lisos, porém, não tardaram a aparecer, com Jack Miller indo para a pista em meados da sessão já calçando um macio na frente e um médio atrás. O australiano passou, então, a ser a referência dos demais.

 
No pit-stop, Márquez e Cal Crutchlow também trocaram para os slicks, mas voltaram quase que imediatamente para recuperar os calçados de pista molhada. 
 
Com os pneus de chuva aparecendo como a aposta da vez, Álex Rins e Dani Pedrosa passaram pela pole provisória nos minutos finais da sessão, mas não foram páreos para Miller, que, mesmo cometendo um erro em sua decisiva volta, conseguiu chegar a 1min47s153 para tomar a liderança do #26 por 0s177.
 
Johann Zarco também conseguiu melhorar na parte final da sessão e vai largar em terceiro, à frente de Tito Rabat, que segue mostrando que ganhou vida nova a bordo da Ducati da Avintia. Rins completa o top-5.
 
Dono das quatro poles anteriores em Termas de Río Hondo, Márquez falhou desta vez e vai fechar a segunda linha da grelha, 0s601 atrás de Miller.
 
Aleix Espargaró também chegou a flertar com a ponta do grid, mas ficou só em sétimo, á frente de Andrea Dovizioso. Maverick Viñales surge na sequência, acompanhado por Cal Crutchlow. Valentino Rossi e Andrea Iannone completam as quatro primeiras linhas do grid.
 

Jorge Lorenzo, por outro lado, não conseguiu passar do Q1. O espanhol esteve perto de passar para a fase seguinte da classificação, mas, já com o cronômetro zerado, saiu da zona de corte após Aleix Espargaró tomar a liderança da primeira etapa do treino. Além disso, Karel Abraham também foi 0s185 melhor que o #99 e ficou com o 13º posto.

Márquez voa e lidera sem problemas TL4. Dovizioso segue em má fase com Ducati

Quando a MotoGP foi para a pista para o quarto treino, as condições estavam bastante molhadas para os pilotos. A temperatura indicada no termômetro havia caído ligeiramente, marcando 19º. O asfalto chegava a 21ºC.
 

No início do quarto treino, os competidores não demoraram em marcar as suas voltas rápidas. Mesmo com o piso molhado, os tempos seguiam baixando, com diferentes nomes passando pelo topo da tabela.
 
Com 23 minutos para o fim, então, era Márquez quem havia se encaixado na liderança do pelotão. O espanhol marcava o tempo de 1min50s285 e era seguido por Redding, Lorenzo, Miller e Crutchlow.
 
Mais para trás da tabela, deixando claro um final de semana problemático na Argentina, Dovizioso era apenas o sétimo colocado.
 
Não demorou muito para o espanhol baixar ainda mais sua marca. O #93 agora sustentava uma liderança com o tempo de 1min49s591, com uma vantagem de 1s4 mesmo com condições não tão ideais.

Olhando de maneira geral para a tabela, faltavam pouco mais de 17 minutos para o final da sessão e 2s3 separavam os nove primeiros pilotos da folha de tempos. Neste momento, Márquez, Lorenzo, Rossi, Dovizioso e Miller estavam nos boxes.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Com 11 minutos para encerrar as atividades, então, Márquez voltou para a pista. Um pouco para trás, Zarco fazia boa volta e se colocava na quarta posição, atrás apenas de Redding e Crutchlow e à frente de Petrucci.
Com cinco minutos para o fim, a pista começou a melhorar as condições e uma trilha de asfalto seco já era possível ser vista.
 
Com o fim da sessão, então, Márquez liderou com 1min49s358, seguido por Crutchlow, Pedrosa, Lorenzo e Petrucci. O atual líder da temporada, Dovizioso foi apenas o 14º.

Aleix Espargaró surpreende, voa e garante vaga para o Q2 com Dovizioso. Lorenzo fica fora
Seguindo o tempo dos treinos combinados, o Q1 contava com Álvaro Bautista, Alex Espargaró, Scott Redding, Danilo Petrucci, Andrea Doivizioso Jorge Lorenzo, Hafizh Syahrin, Bradley Smith, Pol Espargaró, Takaaki Nakagami, Franco Morbidelli, Karel Abraham, Thom Lüthi e Xavier Simeón.
 
Quando o relógio começou a contar os 15 minutos para o Q1, os pilotos logo trataram de irem para a pista. A grande parte dos competidores optou por ambos pneus médios, com apenas Petrucci, Redding, Pol Espargaró e Morbidelli fugindo da configuração com macio traseiro.
 
Após a primeira movimentação no traçado, não era surpresa que a dupla da Ducati assumisse a ponta da tabela. Dovizioso tinha a primeira vaga do Q2 com 1min50s500, com Lorenzo marcando 1min50s547.
Pouco tempo se passou e o #99 baixou sua marca, assumindo a ponta da tabela com 0s270 de vantagem em cima do italiano. Redding vinha em terceiro, com Aleix Espargaró e Alvaro Baustista completando o rol dos cinco primeiros.
 
Com os cronômetros zerados, Aleix Espargaró surgiu para encaixar uma volta voadora. Com isso, conseguiu a primeira vaga para o Q2 da classificação, com Dovizioso assegurando a segunda.
 
Com a melhora repentina do espanhol, quem ficou de fora de tentar a briga pela pole-position foi Lorenzo. O piloto ainda se viu também superado por Abraham, conquistando apenas a 14ª posição do grid.

Miller faz aposta certeira com pneus slick e conquista pole na Argentina

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Para os 15 minutos decisivos da classificação, foram para a pista Marc Márquez, Cal Crutchlow, Dani Pedrosa, Tito Rabat, Andrea Dovizioso, Maverick Viñales, Valentino Rossi, Álex Rins, Johann Zarco, Aleix Espargaró e Andrea Dovizioso.
 
O primeiro piloto a dar uma volta rápida foi Zarco, com 1min49s261. Aleix Espargaró mostrou estar em grande fase, tomando a ponta ao superar o tempo de Márquez com 0s340.
 
Dos competidores que estavam disputando o Q2, Miller foi o primeiro a colocar pneus slick. Quem o seguiu logo depois foi Márquez e Crutchlow. No entanto, a dupla logo voltou para os boxes para calças os compostos para pista molhada.
 
Com cinco minutos para o fim, Aleix seguia na ponta, com Márquez em segundo, Zarco, Crutchlow e Miller completando o rol dos cinco mais velozes da classificação.
Os pilotos começaram a baixar bastante os seus tempos, com as condições da pista melhorando. Com isso, Rins foi quem assumiu a ponta com a pole provisória ao anotar 1min47s743.
 
Na reta final, então, foi a vez de Pedrosa encaixar uma volta voadora em Termas de Río Hondo. O espanhol da Honda cravou 1min47s330 para tomar a ponta da tabela, enquanto Rabat surgia em segundo.
Marc Márquez vai largar fora da pole na Argentina pela primeira vez (Foto: Reprodução)
Bandeira quadriculada já tremulava, o cronômetro já havia zerado, mas Miller ignorou tudo isso. Com pista molhada e pneus slick, o piloto veio para voar e conquistar uma surpreendente pole-positon na Argentina.
 
Quem larga da segunda colocação é Pedrosa, com Zarco encerrando a primeira fila. Rabat e Rins completam o rol dos cinco melhores da classificação da parte da tarde.
 
Márquez conseguiu apenas a sexta colocação do grid de largada, enquanto Dovizioso sai apenas em oitavo no GP da Argentina deste domingo.
 

MotoGP 2018, GP da Argentina, Termas de Río Hondo, Grid de largada:

1 43 JACK MILLER AUS PRAMAC DUCATI 1:47.153  
2 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:47.330 +0.177
3 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA 1:47.365 +0.212
4 53 TITO RABAT ESP AVINTIA DUCATI 1:47.681 +0.528
5 42 ÁLEX RINS ESP SUZUKI 1:47.743 +0.590
6 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:47.754 +0.601
7 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA GRESINI 1:47.845 +0.692
8 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA  DUCATI 1:48.247 +1.094
9 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:49.044 +1.891
10 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 1:49.304 +2.151
11 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:49.326 +2.173
12 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI 1:49.975 +2.822
13 17 KAREL ABRAHAM RTC ÁNGEL NIETO DUCATI 1:49.878 +2.725
14 99 JORGE LORENZO ESP  DUCATI 1:50.063 +2.910
15 45 SCOTT REDDIING ING APRILIA GRESINI 1:50.175 +3.022
16 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM 1:50.324 +3.171
17 10 XAVIER SIMÉON BEL AVINTIA DUCATI 1:50.364 +3.211
18 9 DANILO PETRUCCI ITA PRAMAC DUCATI 1:50.449 +3.296
19 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ÁNGEL NIETO DUCATI 1:50.606 +3.453
20 12 THOMAS LÜTHI SUI MARC VDS HONDA 1:50.833 +3.680
21 38 BRADLEY SMITH ING KTM 1:51.007 +3.854
22 21 FRANCO MORBIDELLI ITA MARC VDS HONDA 1:51.012 +3.859
23 55 HAFIZH SYAHRIN MAL TECH3 YAMAHA 1:51.142 +3.989
24 30 TAKAAKI NAKAGAMI JAP LCR HONDA 1:51.387 +4.234
             
RECORDE VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:39.019 174.7 km/h
MELHOR VOLTA MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:37.683 177.1 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA MOLHADA   ar: 20°C | pista: 22ºC

#GALERIA(8340)

CEDO DEMAIS?

ALONSO ENTRA NO ‘MODO EMPOLGOU’ ANTES DO TEMPO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube