Mir elogia Suzuki e afirma que desenvolvimento congelado é “boa notícia”

Joan Mir elogiou a forma da GSX-RR e considerou que o congelamento do desenvolvimento resultante da pandemia do novo coronavírus não será um problema para a Suzuki

Joan Mir avaliou que o congelamento do desenvolvimento das motos para a temporada 2021 da MotoGP não será um problema para a Suzuki. O #36 considerou que a marca de Hamamatsu deu um passo à frente e encontrou um bom nível de competitividade com a GSX-RR.
 
Por conta da pandemia do novo coronavírus, a temporada da MotoGP ainda não começou, mas, na fase de testes, o protótipo nipônico mostrou uma boa evolução. Mir fechou o teste da Malásia com o 11º tempo, 0s382 mais lento que Fabio Quartararo, o líder. No Catar, Joan avançou para a sexta colocação, apenas 0s271 atrás de Maverick Viñales, o ponteiro. Nas duas ocasiões, o #36 ficou atrás de Álex Rins, o companheiro de Suzuki.
Joan Mir (Foto: Divulgação/MotoGP)
Paddockast #60
OS PIORES PILOTOS DA HISTÓRIA DA F1

Ouça:

Spotify | iTunes | Android | playerFM

Em uma tentativa de conter os custos, a categoria decidiu, em meados de abril, congelar o desenvolvimento aerodinâmico e de motores até 2021. Com a medida, os times vão chegar ao primeiro evento da próxima temporada com as motos homologadas ainda neste ano e, a partir daí, o regulamento normal de atualizações será colocado em vigor, o que significa dizer que as fábricas sem concessões não poderão evoluir o motor e terão direito a apenas uma atualização aerodinâmica por piloto.
 
Em uma entrevista coletiva online promovida pela Suzuki, Mir afirmou que o veto ao desenvolvimento não foi um fator na renovação de seu contrato até 2022.
 
“Não afetou a minha decisão. É uma boa notícia para nós, porque tínhamos uma boa base. Nós já vimos que o conjunto da Suzuki para 2020 vai muito bem”, opinou. “Outros estão piores do que nós, temos algo de vantagem. Mas eles vão melhorar com os dados, a eletrônica. Isso não foi esquecido”, reconheceu.
 
Ainda, o espanhol, que vai para o segundo ano na classe rainha, avaliou que conseguiu evoluir ao longo da pré-temporada e apontou quem vê como principal rival para o início do campeonato. A MotoGP espera iniciar a temporada em Jerez em meados de julho.
 
“Na pré-temporada, melhorei meu ponto fraco. Meu estilo é agressivo e, assim, perdia tempo. Tenho de corrigir isso. No teste, melhorei nesta área, fui mais suave. Mas onde eu tinha de manter a agressividade, mantive, como nas freadas”, relatou. “Com estas motos, você precisa de um ano para se acostumar. Outro objetivo do teste era estar sempre no top-5 e conseguimos”, lembrou. 
 
“Agora, por forma, o primeiro rival seria Jack Miller, que pôde treinar de moto todos os dias”, completou.
 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

assine agora