Mir vence no segundo match-point e conquista título da Moto3 em prova encerrada por chuva na Austrália

Joan Mir venceu uma corrida encurtada pela chuva e conquistou o título da temporada 2017 da Moto3 com o nono triunfo do ano. Livio Loi ficou com o segundo posto

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O Mundial de Moto3 tem um novo campeão. Depois de desperdiçar o primeiro match-point no Japão, Joan Mir aproveitou a segunda chance e, com uma atuação segura ao longo das 23 voltas da corrida deste domingo (22), conquistou a coroa com sua nona vitória na temporada 2017.
 
Como sempre acontece, a prova da Moto3 foi de muitas trocas de posição, mas Mir tinha condições relativamente fáceis para assegurar seu lugar no rol dos campeões. Em uma corrida de intensas trocas de posição e muitos tombos, Joan tentou escapar na ponta, mas não conseguiu abrir.
Mir posa com seu troféu (Foto: MotoGP/Divulgação)
A classificação do Mundial de Motovelocidade após o GP da Austrália

Com sete voltas para o fim, a direção de prova encerrou a disputa em bandeira vermelha por conta da chega da chuva ― os pilotos tinham largado com slicks ―, validando o resultado da volta anterior, o que garantia à Mir seu nono triunfo no ano.

 
0s351 atrás, Livio Loi ficou com o segundo posto, à frente de Jorge Martín, que segue buscando sua primeira vitória no Mundial. Gabriel Rodrigo aparece na sequência, à frente de Enea Bastianini.
 
Único com chances matemáticas de barrar o título de Mir, Romano Fenati mostrou boa performance, mas acabou em sexto, à frente de Ayumu Sasaki, Adam Norrodim, Tatsuki Suzuki e Lorenzo Dalla Porta.
Com o resultado, Mir chegou aos 296 pontos, 70 a mais que Romano Fenati, o segundo na tabela. Canet tem a terceira colocação no campeonato, seguido por Martín e Di Giannantonio.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Saiba como foi o GP da Austrália de Moto3:
 

Numa cravada certeira dos meteorologistas, o domingo em Phillip Island era de chuva. Mas depois de um warm-up com muita água, a chuva deu uma trégua e quando os pilotos alinhavam no grid, o traçado já secava. Os termômetros marcavam 15°C, com o asfalto chegando a 22°C. A velocidade do vento era de 19 km/h.
 
Pela oitava vez na temporada, Jorge Martín tinha a pole-position, igualando o recorde de Jack Miller em 2014 e Álex Rins em 2013. O piloto da Gresini, porém, chega a este 48º GP da carreira ainda em busca de seu primeiro triunfo.
 
O argentino Gabriel Rodrigo vinha na sequência, à frente de Joan Mir, que tem neste domingo seu segundo match-point para o título de 2017. Juanfran Guevara abre a segunda fila da grelha, seguido por Romano Fenati, o único com chances matemáticas de impedir a conquista do #36.
 
Os pilotos foram para a pista com pneus de chuva, no entanto, acabaram mudando para os slicks. A Dunlop levou para a prova da região de Victoria dianteiros macios e médios e traseiros médios ‘M1’ e duros ‘H3’.
 
Assim que as luzes se apagaram no circuito de Phillip Island, Martín chegou a fazer uma boa largada, perdeu a ponta, mas logo reassumiu a primeira posição. Quem aparecia em segundo era Guevara, com Fenati em terceiro. Enquanto isso, Mir era o quinto colocado.
 
No final da primeira volta, quem sustentava a liderança agora era Rodrigo, com Guevara na segunda colocação, seguido por Fenati, Martín e Mir.
 
Enquanto isso, um festival de quedas era visto no traçado. Primeiro, John McPhee e Darryn Binder foram ao chão logo no giro de abertura da prova. O #40 chegou a retomar a disputa. Na volta seguinte era a vez de Niccolò Antonelli cair.
 
Em um grande movimento, as Hondas engoliram as KTMs, com Romano e Fabio di Giannantonio assumindo as primeira e segunda colocações, respectivamente. Quem vinha logo atrás era Guevara, com Rodrigo e Mir em seguida.
 
Quando faltavam 19 voltas para o final, Arón Canet protagonizou uma forte queda. Na curva quatro, o piloto perdeu o controle de sua moto e acabou voando, parando na caixa de brita. Ele logo se levantou e voltou para a pista.
 
Foi então em um salto impressionante que Mir voltou para a parte da frente do pelotão. O #36 engoliu seus adversários para então assumir a ponta do pelotão. Com o resultado momentâneo, o piloto era campeão da temporada.
Joan Mir (Foto: MotoGP/Divulgação)
Para manter as chances de título acesas, Fenati tinha então que fazer uma prova de recuperação, já que agora aparecia em sétimo. O piloto ia escalando o pelotão aos poucos após ter caído para o décimo posto.
 
Com 16 voltas para o fim a bandeira de chuva tremulou em Phillip Island, indicando uma leve garoa.
 
Em um grande embate de nada menos que 11 pilotos, tudo mudou. Rodrigo tomou a ponta, enquanto Fenati não se deu por vencido e novamente aparecia em segundo. Enquanto isso, Guevara era o terceiro, com Bastianini e Martín fechando o top-5. Mir, que antes era o primeiro, agora estava em nono, e o campeonato voltou a abrir.
 
A corrida seguia extremamente competitiva. Novamente, tudo mudou na pista, com Ramírez aparecendo na primeira colocação, enquanto Loi e Rodrigo fechavam o top-3. Fenati surgia apenas em quinto, enquanto Mir era o sexto.
 
O espanhol da Honda, no entanto, não se deu por vencido. Com 13 voltas para o encerramento da prova, Mir pulou para a terceira colocação. Não demorou muito para que ele assumisse a ponta novamente.
 
O embate pela primeira colocação seguia animado na Austrália. Rodrigo chegou a tomar a ponta do titular da Kiefer, mas na curva seguinte ele deu o troco e retomou a liderança. Bastianini, então, decidiu se intrometer na briga da dupla e, no giro seguinte, pegou a primeira colocação, mas logo Rodrigo o passaria.
 
A cada piscada uma mudança de posição. Nove giros indicavam o encerramento da disputa, e novamente Mir era quem sustentava a ponta e o título. Loi o seguia de perto, com Martín aparecendo em terceiro. Enquanto isso, Fenati era apenas o sexto.
 
Com oito voltas para o fim, a bandeira de chuva tremulou no circuito e, na volta seguinte, uma forte chuva se fez presente no circuito australiano. Por conta da quantidade de água, bandeira vermelha foi necessária e a atividade interrompida.
 
A ordem no momento era Mir, Loi, Martín, Rodrigo e Bastianini. Com o resultado, o espanhol da Kiefer assegurou o título da Moto3, sagrando-se o primeiro campeão do Mundial de Motovelocidade de 2017.

Moto3, GP da Austrália, Phillip Island, Final:

 
1 36 JOAN MIR ESP KIEFER Honda 24:51.490 15 voltas
2 11 LIVIO LOI BEL KIEFER Honda +0.350  
3 88 JORGE MARTÍN ESP GRESINI Honda +0.359  
4 19 GABRIEL RODRIGO ARG RBA Mahindra +0.388  
5 33 ENEA BASTIANINI ITA ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda +0.408  
6 5 ROMANO FENATI ITA ONGETTA Honda +0.808  
7 71 AYUMU SASAKI JAP SIC Racing Team KTM +0.834  
8 7 ADAM NORRODIN MAL SIC Racing Team Honda +1.291  
9 24 TATSUKI SUZUKI JAP SIC58 Honda +3.648  
10 48 LORENZO DALLA PORTA ITA ASPAR Mahindra +4.005  
11 8 NICOLÒ BULEGA ITA VR46 KTM +4.036  
12 84 JAKUB KORNFEIL TCH SAXOPRINT Peugeot +4.085  
13 65 PHILIPP OETTL ALE SCHEDL GP KTM +4.251  
14 16 ANDREA MIGNO ITA VR46 KTM +6.004  
15 96 MANUEL PAGLIANI FRA CIP Mahindra +6.540  
16 64 BO BENDSNEYDER HOL RED BULL KTM AJO +19.418  
17 41 NAKARIN ATIRATPHUVAPAT TAI TEAM ASIA Honda +25.293  
18 14 TONY ARBOLINO ITA SIC58 Honda +40.800  
19 6 MARÍA HERRERA ESP ASPAR Mahindra +40.858  
20 27 KAITO TOBA JAP TEAM ASIA Honda +43.698  
21 42 MARCOS RAMÍREZ ESP WORLDWIDE KTM +1:38.853  
22 70 TOM TOPARIS AUS CUBE KTM +1 volta  
23 58 JUANFRAN GUEVARA ESP RBA Mahindra +1 volta  
24 40 DARRYN BINDER RSA WORLDWIDE KTM +3 voltas  
  44 ARÓN CANET ESP ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda NC  
  4 PATRIK PULKKINEN FIN SAXOPRINT Peugeot NC  
  12 MARCO BEZZECCHI ITA CIP Mahindra NC  
  95 JULES DANILO FRA ONGETTA Honda NC  
  21 FABIO DI GIANNANTONIO ITA GRESINI Honda NC  
  23 NICCOLÒ ANTONELLI ITA RED BULL KTM AJO NC  
  17 JOHN MCPHEE ING BRITISH TALENT TEAM Honda NC  
             
POLE JORGE MARTÍN ESP GRESINI Honda 1:37.030 165.0 km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA GABRIEL RODRIGO ARG RBA Mahindra 1:37.898 163.5 km/h
RECORDE JACK MILLER AUS ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda 1:36.302 166.2 km/h
MELHOR VOLTA ÁLEX MÁRQUEZ ESP ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda 1:36.050 166.7 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 15ºC | pista: 24ºC
 

#GALERIA(7220)

RITMO DE FESTA

PADDOCK GP CHEGA À EDIÇÃO 100 COM HISTÓRIAS IMPERDÍVEIS DE EDGARD MELLO FILHO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube