MotoGP

Morbidelli celebra bons testes, mas mantém pés no chão com falhas da M1: “Sofremos com pneus usados”

Franco Morbidelli encaixou bem com a Yamaha, mas nem por isso se ilude em relação aos problemas da moto. #21 lembrou dificuldades da YZR-M1 com pneus usados e avaliou que a casa de Iwata precisa encontrar mais tração
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Franco Morbidelli foi um dos destaques dos primeiros testes da MotoGP visando a temporada 2019. Estreando na Yamaha, o #21 esteve sempre entre os ponteiros, fechando as atividades de Valência e Jerez na sexta colocação.
 
“Estou muito feliz com o resultado dos testes. Nós testamos muitas coisas. Estava tentando me adaptar à moto e aprender. Foi um bom processo nesses dois testes e estou feliz com o trabalho que fizemos”, disse Morbidelli.
 
Depois de um ano com a RC213V da Marc VDS, Morbidelli encontrou uma Yamaha mais suave do que a Honda com que estava habituado e ainda tenta adaptar seu estilo de pilotagem.
Ramón Forcada vai comandar o tíme de mecãnicos de Franco Morbidelli (Foto: SIC)
“A moto é realmente suave e, para ser rápido, acho que você tem de ser suave e tentar fluir”, explicou. “É isso que estou tentando fazer no momento e estou feliz com a forma como está funcionando”, continuou.
 
Mesmo animado com a performance nos primeiros testes, Morbidelli sabe que a YZR-M1 vem sofrendo quando a aderência diminui.
 
“Nós temos uma boa velocidade com pneus novos, mas precisamos melhorar o ritmo... Nós sofremos com pneus usados. Isso não é segredo”, comentou. “Quando você coloca um pneu novo, você tem muita aderência e aí você tem um desgaste mais cedo ou mais tarde. Normalmente, quanto mais duro o pneu, mais tarde acontece esse desgaste inicial. Mas, quando isso acontece, nós sofremos mais do que os outros”, relatou.
 
“Preciso de mais aderência”, sublinhou. “Eu tentei dar o meu feedback para os caras da Yamaha e apenas deixá-los trabalhar. Espero que eles trabalhem em uma boa direção”, torceu.
 
Apesar de saber que vai começar a temporada 2019 com uma moto igual as de Valentino Rossi e Maverick Viñales, Morbidelli evitou traçar metas para o ano de estreia da SIC.
 
“Acho que precisamos esperar um pouco mais para entender onde vamos terminar em 2019. Ainda estamos em 2018, então vamos esperar e ver depois de algumas corridas no próximo ano”, declarou.
 
Franco, no entanto, foi só elogios à nova equipe. Na avaliação do #21, o time está “trabalhando brilhantemente”.
 
“É tudo muito novo para nós, mas começamos com o pé direito”, avaliou Franco. “Está tudo correndo bem e vai só melhorar conforme passarmos mais tempo juntos e acertarmos as coisas que ainda faltam, mesmo que não sejam muitas. Tudo começou muito bem”, concluiu.