MotoGP

MotoGP volta com Quartararo forte e Márquez e Dovizioso favoritos em Brno

O primeiro dia de atividades em Brno teve todas as seis fábricas do grid representadas em um top-15 coberto por 1s1. Com 1min58s246, Fabio Quartararo assegurou o melhor tempo do dia, 0s023 melhor que Marc Márquez, o segundo colocado

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo
A MotoGP voltou das férias nesta sexta-feira (2) mostrando mais um pouco daquilo que exibiu na primeira metade do ano: o talento de Fabio Quartararo, a presença constante de Marc Márquez no topo da tabela e as fábricas embaralhadas.
 
No primeiro dia de atividades em Brno, Quartararo fechou a sexta-feira com a marca de 1min55s802, 0s023 melhor do que Márquez, o segundo colocado. Jack Miller aparece na sequência para colocar uma terceira marca no top-3.
 
As fábricas, aliás, estiveram todas representadas no top-15. A melhor Suzuki foi a de Álex Rins, que ficou em sexto, com Miguel Oliveira aparecendo em 13º, com a KTM. A melhor Aprilia foi a de Aleix Espargaró, o 15º.
Fabio Quartararo e Marc Márquez foram bem nesta sexta (Foto: SIC)
Ao fim do treino, Quartararo admitiu sua surpresa com a marca de 1min55s, registrada no treino desta tarde.
 
“Quando vi Maverick fazer 56s0 com o macio, disse: ‘Isso é realmente rápido, mesmo com o macio’”, contou Fabio. “Quando o coloquei, vi muita diferença em relação ao médio e ao duro. Fiquei impressionado, porque normalmente melhoramos meio segundo com o macio, mas desta vez foi um grande passo. Fiquei impressionado de baixar para 55s”, admitiu.
 
Nesta sexta-feira, aliás, os pilotos se queixaram das condições da pista, que tem muitas ondulações no asfalto. Fabio, no entanto, minimizou o problema. 
 
“Têm muitas ondulações, mas não em todo o circuito. Tive de ser muito preciso na minha volta rápida para não cometer nenhum erro”, explicou. “No final, você se acostuma às ondulações e é a mesma coisa para todo mundo”, ponderou.
 
Segundo na tabela, Márquez reconheceu a velocidade do #20, mas ressaltou que Andrea Dovizioso foi quem mostrou o melhor ritmo.
 
“Quartararo está na frente, mas, em termos de ritmo, somos Dovizioso e eu os melhores. Dovizioso é o mais completo aqui”, apontou Marc. “Depois, as duas Yamaha estão melhores do que no ano passado e, no mínimo, têm condições de brigar pelo pódio. E, se encaixarem tudo, pela vitória. Serão os três e [Álex] Rins, que também fez um bom treino”, continuou.
 
Neste primeiro dia em Brno, Márquez testou o novo chassi de carbono desenvolvido pela Honda, mas segue se sentindo melhor com o quadro original de 2019.
 
“Hoje nós trabalhamos com os pneus e com dois chassis diferentes. O objetivo principal era me reencontrar com a moto e com a confiança. Porque, às vezes, você pode ser rápido, mas sem a confiança necessária. E nós conseguimos isso”, relatou o líder do Mundial. “A partir daí, nós provamos os dois chassis, pois, para amanhã, queremos as duas motos iguais, já que o tempo será instável”, seguiu. 
 
“Fizemos a volta rápida com o chassi novo, mas continuo me sentindo um pouquinho mais cômodo com o chassi que usei até aqui. Não gosto de dizer o mais velho, mas o chassi de 2019”, completou.

Paddockast #27
Schumacher e Vettel: UNIDOS POR UM RECORDE


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Dono do quarto tempo do dia, Dovizioso ponderou que não é possível fazer uma análise precisa da concorrência, já que os pilotos trabalharam com a previsão do tempo na cabeça.
 
“Somos rápidos, mas isso não significa que nós somos os mais velozes”, começou Andrea. “Com os pneus usados, no entanto, conseguimos fazer 1min57s5 e, na minha opinião, isso não é ruim, porque todos estão fazendo muito esforço. Muitos foram fortes com pneus novos, mas isso não importa, porque estamos falando de duas voltas”, minimizou.
 
“Eu vi Marc bem, mas já esperava isso. Viñales também é rápido, mas não acho que o trabalho que ele fez nesta tarde possa ser avaliado, pois ele fez um mini long-run com os pneus macios, que acho que não poderão ser usados na corrida”, indicou. “Os outros fizeram muitos testes em uma sessão, porque amanhã provavelmente vai chover, então não está muito claro o que eles podem fazer”, opinou.
 
Citado por Márquez entre os rivais, Rins fechou o dia com 0s423 de atraso para o ponteiro, mas aproveitou para testar uma nova carenagem na GSX-RR.
 
“A nova carenagem ajuda, é positiva”, avaliou Álex. “Ela nos permite manter a roda muito mais colada ao solo e isso nos faz ter mais velocidade”, explicou.
Andrea Dovizioso (Foto: Red Bull Content Pool)
“A ideia era provar a nova carenagem no teste de segunda-feira, mas pressionei muito, batalhamos com os japoneses e finalmente pudemos testar hoje. Ainda não está decidido, mas pode ser que a gente rode com ele na corrida”, comentou. “Nosso objetivo é terminar no pódio”, avisou.
 
Do lado da Yamaha, Maverick Viñales e Valentino Rossi terminaram o dia satisfeitos. Quinto na tabela, o espanhol ressaltou que a YZR-M1 trabalhou bem em Brno. 
 
“Honestamente, estou realmente feliz com hoje, porque nós trabalhamos duro para a corrida. Então, se chover amanhã, temos o trabalho feito, e acho que fizemos bem”, avaliou Viñales. “O ritmo de corrida é realmente bom e eu me sinto muito bem com a moto. Fiz meu tempo de volta um pouco antes do que o resto, o que pode ser um pouco complicado, mas eu tinha de fazer isso para que pudesse me concentrar em trabalhar para a corrida”, continuou. 
 
“Na última parte do treino, nós trabalhamos na distância da corrida e foi bom, a moto estava trabalhando bem”, frisou. “O desgaste do pneu é difícil para todo mundo, o pneu decai muito, então precisamos entender que especificação desgasta menos ao longo de 20 voltas. É difícil, mas vamos ver o que podemos fazer”, completou.
 
Nono na tabela, Valentino teve uma quebra de motor nesta tarde, mas ficou feliz com o desfecho deste primeiro dia na República Tcheca. 
 
“Tive problema com o motor da primeira moto, era um pouco velho. Não sabemos o que aconteceu, mas, de qualquer forma, quebrou”, resumiu. “A previsão para amanhã não é fantástica, então é importante ficar no top-10. Ficamos em nono, então podemos esperar pelo clima de amanhã e, se chover, já estamos no Q2. Do contrário, teremos de forçar também amanhã de manhã”, ponderou. 
 
“De qualquer forma, o ritmo e o tempo de volta não é tão mal. Foi um bom primeiro dia”, encerrou.

O GP da Tchéquia de MotoGP está marcado para o domingo, às 9h (de Brasília). Acompanhe aqui a cobertura do GRANDE PRÊMIO.



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.