Mr. Pole de 2021, Quartararo cresce na hora certa e ameaça sonho italiano de Bagnaia

O piloto da Ducati mostrou um ritmo forte durante todo o fim de semana, mas viu o francês dar um passou à frente na classificação e faturar a quarta pole consecutiva de 2021

Jason Dupasquier sofre acidente grave no fim da classificação da Moto3 em Mugello (Vídeo: Reprodução)

Fabio Quartararo vai ser a pedra no sapato de Francesco Bagnaia na busca pelo sonho italiano. Ainda perseguindo a primeira vitória na MotoGP, o piloto da Ducati mostrou bom ritmo ao longo de todo o fim de semana, mas acabou superado pelo rival de Nice pela pole-position por 0s230 neste sábado (29).

Pecco fechou a sexta-feira com o melhor tempo da classe rainha e repetiu a dose nesta manhã, mas na hora da classificação, foi Fabio quem apareceu dominante. Curiosamente, a primeira fila do grid reproduz a classificação do campeonato, já que, assim como na tabela de pontos, é Johann Zarco quem aparece para completar o top-3.

Fabio Quartararo cravou a pole no GP da Itália (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

“Esta foi, provavelmente, a melhor volta que fiz na minha vida”, disse Fabio. “Este é um tipo de pista no qual você pode realmente sentir a adrenalina. Eu estava no limite em todos os lugares. No primeiro setor, me movia o tempo todo, mas disse: ‘Vou conseguir’”, seguiu.

“Realmente queria fazer a volta mais rápida hoje e funcionou. Estou, de fato, ansioso para ver a volta onboard, pois tenho certeza que será incrível”, comentou. “Hoje foi um bom dia. Eu queria mesmo essa pole, pois é importante para a corrida”, comentou.

Ao longo do quarto treino, que é bastante mais representativo para a corrida, porém, foi Quartararo quem se mostrou mais forte, com um ritmo de corrida superior ao dos demais.

“Não sei se sou o piloto mais forte, mas estamos aí. Temos um bom ritmo e, especialmente, me encontro bem. Não fui muito além do limite. Sabemos que a classificação é uma das minhas coisas favoritas e me cai muito bem”, comentou.

Como tem acontecido ao longo de todo ano, estar escoltado pelas Ducati não é um bom sinal, já que as Desmosedici são bastante mais fortes que a YZR-M1 em termos de velocidade. Ainda assim, o líder do Mundial está confiante em um bom resultado.

Francesco Bagnaia quer revanche com Quartararo em Mugello (Foto: Ducati)

“Vamos bem em todos os setores da pista, menos no ultimo. Na mudança de direção, a moto já não rende mais. Nos setores 1 e 3 estamos bastante bem, só vamos tentar fazer uma boa largada e tratar de estar com os ponteiros”, avisou.

Para tentar fazer frente ao poderio da Ducati, a Yamaha estreou neste fim de semana o dispositivo holeshot na dianteira da M1, um recurso que baixa a frente da moto para dar mais downforce.

“Vou usar os novos dispositivos, pois é uma pista em que é possível usar. No entanto, não tenho um feeling perfeito, não estou muito confortável, mas para fazer uma boa largada, teremos de usá-lo. Na corrida, tenho certeza de que vamos encontrar as sensações mais facilmente”, ponderou. “Fazer frente à Ducati na largada é uma questão maior. Eles têm muita experiência. Não fizemos tantas largadas para testar, não usamos todo o potencial que o dispositivo tem. Tenho certeza de que vamos aprender mais cada vez que o utilizarmos”, insistiu.

Por fim, Fabio dedicou o resultado a Jason Dupasquier, que sofreu um forte acidente na classificação da Moto3 e está hospitalizado.

“Quero dedicar essa pole a Jason Dupasquier, que teve uma queda muito feia hoje. Espero que ele esteja bem. Estou rezando por ele e pela família dele”, disse.

Segundo no grid, Bagnaia saiu satisfeito do sábado e confiante de que pode ter um bom fim de semana. O italiano mostrou um bom ritmo de corrida ao longo dos treinos e é quem mais se aproxima da performance de Quartararo.

“Foi um dia muito positivo, então estou feliz”, comentou. “O tráfego me atrapalhou na classificação, mas, felizmente, fiz meu melhor tempo perto do fim da sessão”, continuou.

Johann Zarco fecha a primeira fila na Itália (Foto: Pramac)

Pecco elogiou o titular da Yamaha pelo bom trabalho e torceu para que a disputa na corrida seja apenas entre os dois.

“Fabio fez um trabalho extraordinário e fez um tempo que é difícil até de imaginar”, elogiou. “Espero que sejamos só nós dois. Do contrário, será muita coisa. Olhando para o TL4, acho que são quatro ou cinco pilotos na briga pela vitória, mas acho que sou um pouco mais rápido com os pneus usados”, observou.

Além do sonho italiano, Bagnaia também quer uma revanche com Quartararo pelo GP do Japão de 2018 na Moto2. Há pouco mais de dois anos, Fabio saiu vencedor em Motegi, mas acabou desclassificado por conta de um erro na pressão do pneu e entregou o triunfo ao italiano.

“Realmente gostaria de lutar com Fabio para que possa ter uma revanche da corrida de Motegi de 2018”, destacou.

Terceiro na tabela e no grid, Johann Zarco também celebrou o bom dia e considerou que tem chance de mostrar bom potencial em Mugello.

“Estou muito feliz. Começar na primeira fila é sempre uma vantagem. A sensação melhorou em comparação a ontem, mas acredito que amanhã na corrida veremos potencial”, analisou.

A análise da Michelin é de que os pilotos devem optar por um par de médios para o GP da Itália, mas o duro também é uma opção para a dianteira, já que pode fornecer mais estabilidade.

Além do trio da ponta, Álex Rins foi outro que mostrou ritmo forte, mas teve um problema na classificação e vai largar apenas em oitavo. Ainda assim, o espanhol acredita em um bom desempenho para recolocar a temporada no eixo após três zeros seguidos.

Álex Rins quer deixar para trás a sequência de abandonos (Foto: Divulgação/MotoGP)

“Me senti forte com a moto durante todo o fim de semana, então esperava estar mais para frente do grid, mas, de qualquer forma, começar na oitava colocação é positivo”, opinou. “O TL3 e o TL4 foram realmente bons, mas a classificação foi mais difícil”, relatou.

“Minha meta amanhã será fazer uma boa largada e me envolver com o pelotão da ponta. Acho que meu ritmo de volta é bom, assim como meu ritmo de corrida, mas têm muitos pilotos fortes, então acho que será uma corrida muito intensa. Podemos perder um pouco na reta, mas nas curvas seremos mais fortes”, encerrou.

A largada do GP da Itália, sexta etapa da temporada 2021 da MotoGP, está marcada para domingo, às 9h. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

LEIA TAMBÉM
⇝ Yamaha e Ducati mostram forças opostas e disputam protagonismo na MotoGP em 2021
⇝ Ducati ou Yamaha: quem vai equipar a VR46 na temporada 2022 da MotoGP?
⇝ Descoberta de Barros e fruto do motocross: Moreira é nova joia do motociclismo brasileiro
⇝ Quartararo versus Miller: a trajetória dos protagonistas da temporada 2021 na MotoGP

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar