Na Garagem: há 19 anos, ‘Il Dottore’ Rossi vencia a primeira no Mundial

No dia 18 de agosto de 1996 marcava a 11ª etapa daquele ano, o GP da República Tcheca. Numa temporada polarizada entre os japoneses Haruchika Aoki e Masaki Tokudome, Rossi surpreendeu e marcou a pole-position, a primeira da sua carreira

Na coluna de hoje, vamos abrir espaço para um convidado muito especial. No dia 18 de agosto de 1996, Valentino Rossi obteve a primeira das suas 111 vitórias no Mundial de Motovelocidade, o campeonato máximo do motociclismo. A vitória aconteceu num dos circuitos mais tradicionais da categoria, em Brno, na República Tcheca.

O italiano é o segundo maior vencedor da certame – apenas Giacomo Agostini, com 122 vitórias, viu a bandeira quadriculada mais vezes do que Rossi. Quando falamos de títulos, Agostini também é o único com mais conquistas que o Doutor. ‘Ago’ soma oito canecos, contra sete de Valentino. Os dois conquistaram 75% dos títulos italianos na MotoGP.

Valentino Rossi é o principal astro da MotoGP (Foto: AP)
Números tão impressionantes fazem a comparação com Michael Schumacher surgir de modo fácil. Por quatro ocasiões, o italiano testou a Ferrari: 2003, 2004, 2006 e 2010. Nas duas primeiras vezes e em 2008, foi apenas diversão, com Valentino participando de um shakedown com os amigos Michael Schumacher e Felipe Massa.
 
Mas em 2006, quando a dupla titular da Ferrari andou em Valência, o Doutor testou a sério. Schumacher dava indícios de aposentadoria já no início do ano e quando Rossi esteve à bordo da Ferrari, muitos especulavam se ele repetiria a trajetória de John Surtees e deixaria uma carreira vitoriosa na MotoGP para pilotar um dos carros vermelhos de Maranello.
 
Rossi não foi mal para um novato: Schumacher fez sua volta mais rápida em 1min11s640; Massa, com uma F2004, marcou 1min11s288. Rossi fechou seu melhor giro em 1min12s362. Na Chuva, o italiano escapou da pista algumas vezes. “Foi um teste revelador, pois foi a primeira vez que eu estive na pista para valer com pilotos de F1. Preciso treinar mais em pista molhada, mas a recepção da Ferrari foi fantástica”.
 
Porém, a Ferrari acabou assinando com Kimi Räikkönen para 2007; Rossi, por sua vez, renovou com a Yamaha. Foi o mais próximo que o #46 esteve da F1, apesar de todo o burburinho. O barulho fazia sentido: a Ferrari se despedia do piloto mais vitorioso da história da equipe e procurava um nome de peso para substituir Schumacher. Junte-se à carência por um ídolo italiano: depois de 1953, a Itália nunca mais ganhou um Mundial de F1. Por fim, as quatro rodas não eram um mundo exótico para Vale: ele começou no kart e migrou para as motos apenas aos 14 anos, em 1993.
 
Um começo não muito promissor nas duas rodas, ressalte-se: a primeira moto, uma Cagiva Mito foi destruída na primeira curva, apenas 100 metros depois da partida. Reconstruída a moto, Valentino fez outro teste. Durou o dobro da distância do primeiro: a moto foi espatifada com apenas duas curvas e 200 metros de percurso. Apesar das pancadas, Rossi descobriu ali o que queria fazer para o resto da vida.
 
Da moto espatifada à primeira vitória no Mundial de Motovelocidade foram menos de três anos. Depois de correr nos campeonatos italiano e europeu de 125cc em 1994 e 1995, Rossi chegou à categoria 125cc da MotoGP em 1996 com apenas 17 anos. Ainda faltava muito para chegar a ser Doutor, mas aquele estudante aprendia rápido: nas dez primeiras corridas da sua primeira temporada na MotoGP, foram sete corridas nos pontos e um pódio, mais dois abandonos.
A estreia no Mundial foi em 1996, pelas 125cc (Foto: Getty Images)
No dia 18 de agosto de 1996 marcava a 11ª etapa daquele ano, o GP da República Tcheca. Numa temporada polarizada entre os japoneses Haruchika Aoki e Masaki Tokudome, Rossi surpreendeu e marcou a pole-position, a primeira da sua carreira. A vitória, também inédita, veio após uma batalha com o espanhol Jorge ‘Aspar’ Martínez na última volta da prova.
 
Martínez passou Rossi na abertura da volta final da prova. O bambino de Tavullia respondeu poucas curvas depois, retomando a primeira posição. Sem se dar por vencido, o espanhol passou Rossi mais uma vez nessa mesma volta. Depois da última descida antes da linha de chegada do circuito tcheco, Rossi pôs de lado e passou Aspar, num sprint final que pegou o espanhol de surpresa. A diferença entre ambos dá mostra de quão dura foi a disputa: apenas 0s245.
 
Em 1997, Rossi mostrou o que faria dali em diante no Mundial. Foram 11 vitórias (seis delas consecutivas, entre França e Grã-Bretanha) mais dois pódios nas 125cc. Um domínio só comparável ao de Mick Doohan nas 500cc. Depois disso, ele obteve o título das 250cc e sete títulos na MotoGP.  Rossi detém o recorde de maior intervalo entre a primeira e a última vitória. Ele é dono da mesma marca no quesito pole-positions.
Agradeço a sugestão de Juliana Tesser para a coluna de hoje.

AS IMAGENS DA CARREIRA DE VALENTINO ROSSI
#GALERIA(5251)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube