Nakagami testa Honda de 2020 em Misano e opina: “Não senti nada negativo”

Correndo pela satélite LCR apesar do contrato com a Honda, o japonês de Chiba usa neste ano uma RC213V da temporada passada

Takaaki Nakagami fez um balanço positivo da moto de 2020 da Honda após a terça-feira de testes coletivos da MotoGP em Misano. O japonês considerou que a versão mais nova da RC213V não tem “nada negativo” e contou que conseguiu fazer tempos de volta bem consistentes com o protótipo que hoje pertence a Marc e Álex Márquez e a Cal Crutchlow.

Apesar de ser contratado diretamente pela HRC, a divisão esportiva da marca da asa dourada, Nakagami usa uma moto defasada, a versão do ano passado da RC213V. Ainda assim, Takaaki é o melhor entre os pilotos da Honda na classificação: aparece em nono, com 53 pontos, 23 atrás do líder Andrea Dovizioso.

Takaaki Nakagami corre com a moto de 2019 da Honda (Foto: LCR)

Relacionadas


Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

A temporada da marca, porém, está afetada pela ausência de Marc Márquez. O hexacampeão da MotoGP fraturou o braço direito no GP da Espanha, abertura da temporada, e ainda está afastado em recuperação.

Após o teste, Nakagami contou que não viu nada muito expressivo na moto atual, mas tampouco tinha grandes queixas a fazer.

“Não muito, muito positivo, pois, claro, o motor é um pouco diferente, com mais potência. Mas o chassi é realmente similar e não tenho nenhuma sensação diferente. Nada negativo ou positivo”, disse Nakagami. “Mas não senti nada negativo com essa moto, então, o tempo de volta é bem consistente com a nova moto”, seguiu.

“Infelizmente, caí a curva 1, mas sabemos que foi por causa das ondulações. Tive um grande impacto no momento, não consegui controlar bem e perdi a frente. Então, sabemos o que aconteceu”, explicou. “Mas em relação a todo o resto, me senti bem confortável com a moto de 2020, mas também com a nossa moto, que é a de 2019.O bom é que o tempo de volta é bem consistente com as duas motos, não só com a nova”, comentou.

Nakagami completou um total de 63 voltas no teste, a melhor delas em 1min31s803 ― com o protótipo com que está acostumado ―, e fechou com o segundo melhor tempo, 0s271 atrás de Maverick Viñales, o líder.

“Só testamos de manhã, mas também não queria perder o feeling com a moto [de 2019]. Este fim de semana é muito importante para nós”, frisou. “Depois da queda, voltei aos boxes, mudamos para a nossa moto e trabalhamos para tentar melhoras, mas achei as duas motos muito boas”, completou.

Nakagami ainda não tem contrato para a temporada 2021, mas a expectativa é de que ele siga com a LCR, já que Cal Crutchlow já foi dispensado pela Honda.

LEIA TAMBÉM
+ Francis Bradfield, o homem que protesta contra o racismo sozinho na MotoGP
+ Na Garagem: Cadalora vence com folga na estreia de Jacarepaguá nas 500cc

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da MotoGP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.