Nakagami testa Honda de 2020 em Misano e opina: “Não senti nada negativo”

Correndo pela satélite LCR apesar do contrato com a Honda, o japonês de Chiba usa neste ano uma RC213V da temporada passada

Takaaki Nakagami fez um balanço positivo da moto de 2020 da Honda após a terça-feira de testes coletivos da MotoGP em Misano. O japonês considerou que a versão mais nova da RC213V não tem “nada negativo” e contou que conseguiu fazer tempos de volta bem consistentes com o protótipo que hoje pertence a Marc e Álex Márquez e a Cal Crutchlow.

Apesar de ser contratado diretamente pela HRC, a divisão esportiva da marca da asa dourada, Nakagami usa uma moto defasada, a versão do ano passado da RC213V. Ainda assim, Takaaki é o melhor entre os pilotos da Honda na classificação: aparece em nono, com 53 pontos, 23 atrás do líder Andrea Dovizioso.

Takaaki Nakagami corre com a moto de 2019 da Honda (Foto: LCR)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

A temporada da marca, porém, está afetada pela ausência de Marc Márquez. O hexacampeão da MotoGP fraturou o braço direito no GP da Espanha, abertura da temporada, e ainda está afastado em recuperação.

Após o teste, Nakagami contou que não viu nada muito expressivo na moto atual, mas tampouco tinha grandes queixas a fazer.

“Não muito, muito positivo, pois, claro, o motor é um pouco diferente, com mais potência. Mas o chassi é realmente similar e não tenho nenhuma sensação diferente. Nada negativo ou positivo”, disse Nakagami. “Mas não senti nada negativo com essa moto, então, o tempo de volta é bem consistente com a nova moto”, seguiu.

“Infelizmente, caí a curva 1, mas sabemos que foi por causa das ondulações. Tive um grande impacto no momento, não consegui controlar bem e perdi a frente. Então, sabemos o que aconteceu”, explicou. “Mas em relação a todo o resto, me senti bem confortável com a moto de 2020, mas também com a nossa moto, que é a de 2019.O bom é que o tempo de volta é bem consistente com as duas motos, não só com a nova”, comentou.

Nakagami completou um total de 63 voltas no teste, a melhor delas em 1min31s803 ― com o protótipo com que está acostumado ―, e fechou com o segundo melhor tempo, 0s271 atrás de Maverick Viñales, o líder.

“Só testamos de manhã, mas também não queria perder o feeling com a moto [de 2019]. Este fim de semana é muito importante para nós”, frisou. “Depois da queda, voltei aos boxes, mudamos para a nossa moto e trabalhamos para tentar melhoras, mas achei as duas motos muito boas”, completou.

Nakagami ainda não tem contrato para a temporada 2021, mas a expectativa é de que ele siga com a LCR, já que Cal Crutchlow já foi dispensado pela Honda.

LEIA TAMBÉM
+ Francis Bradfield, o homem que protesta contra o racismo sozinho na MotoGP
+ Na Garagem: Cadalora vence com folga na estreia de Jacarepaguá nas 500cc

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube