MotoGP

Oliveira avalia GP das Américas como “corrida difícil”, mas comemora pontos: “Precisamos ficar felizes”

Miguel Oliveira conseguiu tirar pontos positivos de sua prova em Austin. Mesmo falando em um GP das Américas difícil, o português afirmou que a equipe poderia ficar feliz por ter conquistado mais alguns pontos para a classificação

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Miguel Oliveira esperava mais do GP das Américas, mas ficou satisfeito com o resultado que alcançou. Recuperando-se de uma largada não tão positiva, viu a bandeira quadriculada em 14º, somando mais alguns pontos para a classificação da MotoGP.
 
O português largou para a prova norte-americana em 18º. Entretanto, na primeira volta, figurava em 20º, perdendo terreno. Mas aos poucos foi escalando o pelotão, cruzando a linha de chegada dentro da zona de pontos.
 
O titular da Tech3 reconheceu a difícil corrida que teve, mas mostrou satisfação com os dois tentos somados. “Com certeza foi uma corrida difícil, uma largada bastante decepcionante. Não estava esperando largar tão mal, mas então encontrei o ritmo, pilotei bem, quer dizer, dentro do que estava esperado”, disse.
Miguel Oliveira (Foto: Tech3)
“Precisamos ficar felizes com este resultado, pois, no final, terminamos onde queríamos, que foi dentro dos pontos. Esse é um circuito definitivamente difícil de pilotar e estar nos pontos aqui é muito bom”, seguiu.
 
“Tiramos muitos pontos positivos dessa corrida, aprendemos e entendemos mais da moto. Minha posição na moto precisa ser diferente, então estamos trabalhando nessa direção para me fazer me sentir mais confortável, então definitivamente é hora de olhar para as boas coisas que conquistamos nesse final de semana”, continuou.
 
A próxima etapa do Mundial de Motovelocidade acontece daqui três semanas, em Jerez de la Frontera, e é vista com bastante otimismo por Miguel. “Agora vamos para Jerez, uma pista que gostamos bastante. A moto parece que tem bom desempenho lá, então mal posso esperar”, encerrou.