‘Pai’ da M1 diz que Rossi “ainda tem potencial muito alto” e prevê aumento da tensão com Lorenzo

Masao Furusawa, responsável pelo projeto que levou a Yamaha ao caminho das vitórias em 2004, acredita que Valentino Rossi ainda tem potencial muito alto apesar da má fase vivida na Ducati. Nipônico também espera aumento na tensão entre o italiano e Jorge Lorenzo

Masao Furusawa deixou a Yamaha em 2010, mas, ao contrário de Valentino Rossi, saiu do time nipônico para se aposentar. A crise na Ducati, no entanto, tirou o engenheiro de seu descanso, já que ele foi chamado pela fábrica de Borgo Panigale para ajudá-los no projeto da Desmosedici.

Mesmo em interessado em ajudar, Furusawa negou o convite para evitar problemas entre os italianos e a Yamaha, onde construiu sua boa reputação.
 

Furusawa confia no potencial de Rossi no retorno à Yamaha (Foto: MotoGP)


Em entrevista ao jornalista nipônico Akira Nishimura, Furusawa afirmou que apesar do retorno de Rossi ao time, ele não voltará a trabalhar com a casa de Iwata.

“É bastante improvável. Porque eu acredito que a Yamaha tem potencial o suficiente para vencer pelos próximos dois anos. Depois disso – quer dizer, em 2015 ou depois – posso fazer alguma consultoria, no entanto, Valentino já terá se aposentado da MotoGP”, afirmou. “Essa empresa de consultoria [que o engenheiro pretende iniciar] vai ser especializada na dinâmica dos veículos e em criar soluções para o barulho e as vibrações, o que significa que será uma atividade tanto prazerosa como lucrativa para a minha vida de aposentado”, continuou.

Questionado se acredita que Rossi voltará a exibir o desempenho que o consagrou, Masao afirmou que o italiano ainda tem muito potencial, mas ressaltou que Jorge Lorenzo não é mais o mesmo piloto que Valentino enfrentou até 2010.

“Bom, terão várias opiniões, mas, pessoalmente, acredito que ele ainda tem um potencial muito alto”, avaliou. “No entanto, Jorge se tornou mais consistente e rápido do que nunca. Não é fácil batê-lo, mesmo para o Valentino. Deve ser uma boa briga entre eles. Vamos ver.”

“Presumo que a tensão entre eles crescerá novamente. Não ficaria surpreso se o plano do Valentino for bater o Jorge antes da aposentadoria. Ele é um piloto muito determinado”, frisou. “Sinto muito pelos rapazes na garagem, porque eles vão ter dor de estômago outra vez!”, brincou.

“Fora isso, acho que a YZR-M1 pode ser mais estável. Esta moto competitiva foi desenvolvida com a ajuda do Valentino e levou muito tempo. Com ele voltando para a Yamaha, o rumo deste desenvolvimento será ainda mais claro”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube