Pedrosa aparece no fim e puxa 1-2 da Honda com Crutchlow no primeiro treino da MotoGP na Argentina. Dovizioso é 8º

Dani Pedrosa apareceu nos instantes finais do treino desta sexta-feira (6) para cravar 1min40s303 e garantir a liderança da primeira sessão de treinos da MotoGP. 0s042 mais lento, Cal Crutchlow ficou em segundo, à frente de Andrea Iannone. Líder da MotoGP, Andrea Dovizioso ficou em oitavo

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Honda saiu na frente na primeira sessão de treinos livres para o GP da Argentina. Mas não com o suspeito de sempre. Com 1min40s303, Dani Pedrosa fechou a manhã desta sexta-feira (6) no topo da folha de tempos.
 
Companheiro do #26, Marc Márquez foi quem abriu os trabalhos na ponta, mas encontrou resistência de série de adversários. Titular da Suzuki, Andrea Iannone abriu a última parte da sessão no topo da folha de tempos, mas não conseguiu segurar o ritmo das Honda de Pedrosa e Cal Crutchlow.
Dani Pedrosa liderou o primeiro treino na Argentina (Foto: Reprodução)

Assim, Dani ficou com a liderança com 0s042 de margem para Crutchlow, que, por sua vez, tem 0s041 de frente para Iannone. Já 0s3 atrás do ponteiro, Johann Zarco ficou com o quarto posto.

 
Melhor Ducati, Jack Miller foi 0s412 mais lento que o líder e ficou com a quinta colocação, à frente de Márquez. Valentino Rossi aparece em sétimo, seguido por Andrea Dovizioso.
 
Jorge Lorenzo apareceu ligeiramente irritado na sessão, mas acabou em nono, com Danilo Petrucci completando o top-10.
LEIA TAMBÉM

Stop & Go: Franco Morbidelli

Saiba como foi o primeiro treino da MotoGP na Argentina:
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A previsão apontava chuva, mas a MotoGP conseguiu começar o primeiro treino do fim de semana com pista seca. Quando a classe rainha entrou na pista, os termômetros marcavam 22,2°C, com a pista alcançando 28,4°C. A velocidade do vento era de 5 km/h.
 
Com 1min44s217, Marc Márquez foi o primeiro no topo da tabela, à frente de Valentino Rossi, Jack Miller, Hafizh Syahrin e Álvaro Bautista. Na volta seguinte, o #93, que tinha um pneu duro na frente e um macio atrás, baixou para 1min42s280 para se manter na liderança, agora à frente de Crutchlow.
 
Na sequência, ainda com Márquez na ponta, Rossi saltou para o segundo lugar, seguido por Miller e Lorenzo. Pouco depois, porém, o cenário mudou, já que Crutchlow passou em 1min41s542 e tomou a liderança. Miller agora vinha em terceiro, à frente de Lorenzo, Viñales, Rossi e Pedrosa.
 
Com o titular da LCR ainda no topo, Syahrin baixou para 1min41s713 e assumiu a segunda colocação, apenas 0s171 mais lento que Cal. A Tech3 tem um certo talento para encontrar jovens pilotos.
 
Com quase 15 minutos de treino, Miller alcançou 1min41s468 e colocou a Ducati na ponta, 0s074 melhor que Crutchlow. O australiano tinha um par de pneus macios.
 
Completados os primeiros 15 minutos da atividade, o top-10 tinha: Miller, Crutchlow, Syahrin, Márquez, Lorenzo, Rossi, Viñales, Petrucci, Rins e Aleix. Com só seis voltas, Dovizioso aparecia apenas em 22º.
 
A partir deste ano, a pista argentina conta com dois tipos diferentes de asfalto, já que alguns trechos da pista foram recapeados para eliminar ondulações. O feedback dos pilotos, no entanto, é de que o asfalto novo tem menos aderência.
 
Com um par de pneus macios, Márquez cravou 1min41s081 recuperou a ponta, 0s387 à frente de Miller. Iannone agora vinha em terceiro, enquanto Dovizioso aparecia em décimo.
 
Na sequência, Rossi, que calçava a M1 com um macio na frente e um médio atrás, saltou para o segundo lugar, reduzindo para 0s123 a vantagem de Márquez.
Com pouco mais de 15 minutos para o fim, Danilo Petrucci sofreu uma queda na curva 13, mas escapou sem consequências físicas. O piloto da Pramac, porém, teve de voltar a pé para os boxes.
 
Antes disso, aliás, Márquez apertou o passo e entrou em 1min40s, mantendo a ponta. Crutchlow, então, foi 0s203 mais lento e subiu para a segunda colocação, à frente de Rossi, Iannone e Miller.
Pouco depois, Iannone, que tinha um pneu médio na traseira da Suzuki, anotou 1min40s422 e pulou para a primeira posição, 0s434 melhor que Crutchlow, o novo segundo colocado. Márquez era terceiro, seguido por Rossi, Miller e Viñales. 
 
1s321 mais lento que Iannone, Lorenzo ocupava a décima colocação e, de volta aos boxes, estava visivelmente incomodado. Seria com a performance?
Depois de uma última rodada de pit-stops, Zarco voltou para a pista com um macio na frente e um médio atrás e saltou para o quinto posto, mas perdeu uma posição na sequência, com Miller avançando para a quarta colocação.
 
Márquez também melhorou e assumiu o segundo lugar, 0s359 atrás de Iannone. Crutchlow, Miller, Rossi e Pedrosa formavam o top-6.
 
Em sua 15ª volta, Dovizioso anotou 1min40s938 e assumiu o quarto posto, 0s516 mais lento que o líder. Ileso após o tombo, Petrucci também melhorou e subiu para a quinta colocação.
 
Rossi, então, subiu para terceiro, mas caiu uma posição na sequência, com Zarco saltando para a segunda colocação, 0s206 atrás de Iannone. 
 
Pouco antes da bandeira quadriculada, Pedrosa surgiu com 1min40s303 e assumiu a ponta, com Crutchlow se colocando 0s042 atrás. Iannone caiu para terceiro, à frente de Zarco, Márquez, Rossi e Dovizioso.
Nos instantes finais da sessão, Márquez conseguiu escapar do que podia ser um incidente feio. O #93 errou a freada e teve de ‘rebolar’ para evitar se enroscar nos demais pilotos do pelotão. Viñales não ficou lá muito satisfeito.
 
 
CEDO DEMAIS?

ALONSO ENTRA NO ‘MODO EMPOLGOU’ ANTES DO TEMPO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube