Pedrosa desencanta, massacra rivais e marca 1ª pole da temporada 2015 em Sepang. Rossi larga à frente de Lorenzo

Dani Pedrosa mostrou um ritmo bastante superior e conquistou sua primeira pole-position da temporada 2015 da MotoGP. Marc Márquez ficou com o segundo posto, com Valentino Rossi tirando Jorge Lorenzo da primeira fila

A cobertura completa do GP da Malásia no GRANDE PRÊMIO

Demorou, mas saiu. Dani Pedrosa foi imbatível na tarde desta sábado (24) em Sepang e conquistou sua primeira pole-position da temporada com uma volta de 1min59s053, um novo recorde para o circuito de Sepang.

 
Exibindo um bom ritmo ao longo de todo o fim de semana, Dani não teve trabalho para deixar a concorrência para trás, e nem mesmo Marc Márquez conseguiu fazer o mesmo bom uso da RC213V. 0s409 mais lento, o #93 ficou com o segundo posto do grid.
Dani Pedrosa conquistou sua primeira pole na temporada 2015 (Foto: Honda)
Líder do Mundial, Valentino Rossi deu um passo importante em sua luta pelo décimo título. Em seu último giro, o #46 cravou uma volta em 1min59s726 e tomou a última vaga na primeira fila de Jorge Lorenzo, que vai ter de se contentar com o quarto posto.
O espanhol, aliás, estava tão confiante em seu ritmo que foi da pista direto para o parque fechado, onde foi avisado que não tinha um lugar na primeira fila. A diferença para Valentino foi de 0s011.
 
Já 1s146 atrás do líder, Cal Crutchlow vai largar em quinto, à frente de Andrea Iannone. Maverick Viñales sai em oitavo, seguido por Bradley Smith. Héctor Barberá fecha o top-10.
 
11 pontos à frente de Lorenzo na classificação, Rossi terá em Sepang sua primeira chance de título, mas precisa levar a diferença para 26 pontos. O GP da Malásia também vai tornar o italiano o piloto com mais corridas no Mundial de Motovelocidade.
 
Pedrosa sobra e lidera 4º treino em Sepang. Lorenzo escapa ileso de queda
 
A temperatura subiu um pouco em relação ao registrado mais cedo, especialmente no asfalto. Na hora do quarto treino livre, os termômetros marcavam 33ºC, com a pista chegando aos43ºC.
 
Com 2min00s998, Andrea Iannone abriu a sessão na ponta, 0s124 à frente de Jorge Lorenzo. Dani Pedrosa era o terceiro, seguido por Marc Márquez e Valentino Rossi.
 
No giro seguinte, Márquez assumiu brevemente a ponta, mas foi superado por Pedrosa, que virou 0s433 melhor. Iannone caiu para terceiro, agora à frente de Lorenzo, Andrea Dovizioso e Rossi.
 
O #46 baixou sua marca na sequência, pulando para o quinto posto, mas ainda 0s772 atrás de Pedrosa, que seguia no topo da tabela. Dovizioso era o sexto colocado, à frente de Aleix Espargaró, Bradley Smith, Danilo Petrucci e Cal Crutchlow.
 
Na ponta, Márquez conseguiu reduzir a vantagem de Pedrosa, mas seguia a 0s357 do companheiro de Honda. Terceiro, Iannone tinha mais de 0s5 de atraso para o líder.
Valentino Rossi superou Jorge Lorenzo na classificação pela 2ª vez na temporada (Foto: Yamaha)
Em seu quinto giro no início da tarde, Rossi baixou sua marca para 2min01s160, reduzindo o atraso em relação à Pedrosa para 0s689.
 
Quase em meados da sessão, os pilotos foram aos boxes pela primeira vez. Pedrosa liderava, com Márquez, Iannone, Lorenzo, Rossi, Dovizioso, Aleix, Smith, Petrucci e Crutchlow completando o top-10.
 
Tão logo voltou à pista, Lorenzo sofreu uma queda após perder a frente na curva 15, a última de Sepang, mas não se feriu. O espanhol logo abandonou a moto e voltou de carona aos boxes da Yamaha. 
 
Com dez minutos para o fim do TL4, o #99 entrou correndo na garagem, mas apesar de ter um macacão pronto para trocar, optou por seguir como estava e ir trabalhar com a equipe.
 
Alguns minutos mais tarde, Lorenzo voltou para a pista calçando a YZR-M1 com um par de pneus duros. Rossi, por outro lado, tinha os compostos médios.
 
Já na parte final da sessão, Rossi se viu sendo seguido por Márquez pela pista malaia e mostrou irritação. O clima entre os dois não está nada ameno, já que o italiano cismou que o espanhol ajudou Lorenzo em Phillip Island.
 
Pouco depois, Márquez baixou sua marca para 2min00s793, reduzindo para 0s322 seu atraso em relação em relação ao companheiro de Honda. Iannone seguia em terceiro, à frente de Lorenzo e Rossi, que estavam separados por 0s038.
 
Ao fim dos 30 minutos de sessão, ninguém conseguiu superar a marca de Pedrosa, que ficou com a liderança do TL4. Márquez fez o segundo tempo, com Iannone, Lorenzo, Rossi, Dovizioso, Aleix e Pol Espargaró, Redding e Smith fechando o top-10.
Viñales e Smith avançam ao Q2
 
Obedecendo a ordem estabelecida pelos treinos livres, os 15 pilotos que participaram do Q1 foram: Stefan Bradl, Danilo Petrucci, Anthony West, Álvaro Bautista, Toni Elías, Maverick Viñales, Bradley Smith, Jack Miller, Scott Redding, Eugene Laverty, Damian Cudlin, Mike di Meglio, Yonny Hernández, Nicky Hayden e Loris Baz. Em termos de pneus, apenas o #38 e o #45 não podiam usar o composto traseiro macio.
 
Assim que os 15 pilotos completaram a primeira volta, foi Smith quem se instalou no topo da tabela, com a marca de 2min01s216, 0s086 à frente de Viñales. Redding era o terceiro.
 
Pouco depois, Petrucci abriu um bom giro, mas abortou a volta e entrou nos boxes. O italiano tinha o quarto tempo, 0s209 atrás do líder. Os demais o seguiram na sequência, ainda liderados por Smith e Viñales.
Jorge Lorenzo perdeu a vaga na primeira fila por 0s011 (Foto: Yamaha)
Rapidamente, os pilotos voltaram para a pista em busca das duas vagas restantes no Q2. Bradl logo baixou para 2min01s346 e assumiu o terceiro posto, 0s130 atrás de Smith. Redding também foi melhor, mas não conseguiu passar do quarto lugar.
 
Pouco depois, já com a bandeira quadriculada tremulando, Viñales tomou a ponta com 2min00s753, 0s012 melhor que Smith, que já estava nos boxes, 0s581 à frente de Bradl. 
 
Redding fez uma nova tentativa, mas não conseguiu melhorar e ficou com o quarto tempo, 0s614 atrás do piloto da Suzuki. No instante final, Petrucci tomou de Bradl o terceiro posto.
 
Assim, Viñales e Smith avançam ao Q2, enquanto Petrucci larga em 13º, à frente de Bradl, Redding, Miller, Bautista, Hernández, Hayden, Baz, Elías, Laverty, Di Meglio, West e Cudlin.
 
Ao fim da sessão, Miller sofreu uma queda na curva 7 e a moto pegou fogo, precisando da atenção dos fiscais.

Pedrosa sobra e é pole. Rossi tira 1ª fila de Lorenzo
 
Mais rápidos no Q1, Viñales e Smith se juntaram a Dovizioso, Barberá, Pedrosa, Iannone, Crutchlow, Aleix e Pol Espargaró, Rossi, Márquez e Lorenzo para os 15 minutos finais do treino classificatório. 
 
Como sempre faz, Lorenzo não tardou a deixar os boxes para dar início ao treino classificatório, mas, desta vez, não foi o primeiro a entrar na pista, já que encontrou um batalhão de pilotos no pit-lane assim que saiu. 
 
Aliás, a equipe chefiada por Ramón Forcada conseguiu reparar a moto com que o piloto caiu no quarto treino a tempo do Q2, mas o espanhol não se preocupou em trocar de roupa para a sessão mais importante do sábado.
 
Em seu primeiro giro, Lorenzo fez a volta colado em Márquez e seguido de perto por Iannone.
 
Com 1min59s682, Márquez começou na ponta, 0s055 à frente de Lorenzo. Iannone vinha em terceiro, seguido por Rossi e Dovizioso. Pedrosa, então, anotou 1min59s053 e assumiu a ponta, enfiando uma margem de 0s629 no companheiro de Honda.
 
Tão logo os primeiros registros foram computados, os pilotos entraram em sua maioria nos boxes. Pedrosa liderava, à frente de Márquez, Lorenzo, Iannone e Rossi.
Marc Márquez levou um belo susto na sessão classificatória (Foto: Honda)
Na saída dos boxes, Rossi foi espertinho e saiu atrás de Iannone. O piloto da Ducati tentou ser mais ligeiro e esperar pelo #46, que não foi bobo e preferiu ficar atrás do piloto da Ducati.
 
Tentando baixar sua marca, Márquez levou um belo susto na curva 12, mas, de maneira incrível, conseguiu evitar a queda e voltou imediatamente aos boxes da Honda. O #93 tinha o segundo tempo.
 
Com 1min59s810, Rossi saltou para a quarta colocação, 0s073 atrás de Lorenzo, mas já 0s757 mais lento que Pedrosa. Iannone vinha em quinto.
 
Os pilotos fizeram uma nova passagem pelos pits e voltaram para a pista para o ataque final à pole-position. Mais uma vez, Rossi e Iannone desceram o pit-lane juntos, desta vez com o piloto da Yamaha à frente. Lorenzo, por sua vez, ia atrás de Aleix Espargaró.
 
Com o cronômetro zerado, Lorenzo confirmou a volta de 1min59s737, permanecendo no terceiro posto. Pouco depois, Rossi baixou para 1min59s726 e tomou o terceiro posto do companheiro de Yamaha.

MotoGP, GP da Malásia, Sepang, classificação:

1 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:59.053  
2 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:59.462 +0.409
3 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:59.726 +0.673
4 99 JORGE LORENZO ESP YAMAHA 1:59.737 +0.684
5 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 2:00.199 +1.146
6 29 ANDREA IANNONE ITA  DUCATI 2:00.224 +0.224
7 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI 2:00.423 +0.423
8 25 MAVERICK VIÑALES ESP SUZUKI 2:00.478 +0.478
9 38 BRADLEY SMITH ING TECH3 YAMAHA 2:00.652 +0.652
10 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI 2:00.724 +0.724
11 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP SUZUKI 2:00.724 +0.724
12 44 POL ESPARGARÓ ESP TECH3 YAMAHA 2:00.794 +0.794
13 9 DANILO PETRUCCI ITA PRAMAC DUCATI 2:01.223 +1.223
14 6 STEFAN BRADL ALE FORWARD YAMAHA 2:01.346 +1.346
15 45 SCOTT REDDING ING MARC VDS HONDA 2:01.367 +1.367
16 43 JACK MILLER AUS LCR HONDA 2:01.725 +1.725
17 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP APRILIA GRESINI 2:01.727 +1.727
18 68 YONNY HERNÁNDEZ COL PRAMAC DUCATI 2:01.748 +1.748
19 69 NICKY HAYDEN EUA ASPAR HONDA 2:01.829 +1.829
20 76 LORIS BAZ FRA FORWARD YAMAHA 2:01.862 +1.862
21 24 TONI ELIAS ESP FORWARD YAMAHA 2:02.415 +2.415
22 50 EUGENE LAVERTY IRN ASPAR HONDA 2:02.460 +2.460
23 63 MIKE DI MEGLIO FRA AVINTIA DUCATI 2:02.964 +2.964
24 13 ANTHONY WEST AUS IODA ART 2:03.855 +3.855
25 55 DAMIAN CUDLIN AUS AB HONDA 2:06.051 +6.998

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube