MotoGP

Pedrosa dispara na ponta e vence prova marcada por toque polêmico entre Rossi e Márquez. Lorenzo é 2º na Malásia

Dani Pedrosa não deu chances aos rivais e disparou na ponta para vencer com facilidade na Malásia. Jorge Lorenzo ficou com o segundo posto, à frente de Valentino Rossi, que teve um lance polêmico com Marc Márquez

Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo
A cobertura completa do GP da Malásia no GRANDE PRÊMIO

Não foi a corrida que todos esperavam ver. Dani Pedrosa fez o esperado e, dono de um ritmo superior, disparou na ponta neste domingo (25) para vencer com facilidade em Sepang, mas a atuação do espanhol não foi, nem de longe, o destaque da corrida.
 
Depois de uma semana onde Valentino Rossi direcionou sua artilharia contra Marc Márquez, acusando o piloto da Honda de favorecer o Jorge Lorenzo na disputa em Phillip Island, os dois se encontraram na pista e a tensão logo transpareceu.
 
Jorge Lorenzo fez uma largada ruim, mas logo se livrou da dupla da Ducati e partiu para cima do companheiro de Yamaha. Uma vez que Rossi ficou para trás, o #99 colocou em Márquez, que facilitou a vida do rival com um erro na curva 4.
 
A disputa com Rossi, entretanto, foi muito mais quente. Os dois, agora oficialmente ex-amigos, trocaram de posição inúmeras vezes, sempre próximos do toque. Na sétima volta da disputa, Márquez tentava atacar Valentino, mas um toque entre os dois acabou com a prova do piloto da Honda.
 
As imagens da TV dão a impressão de que Rossi preferiu o contato, enquanto muitos acham, inclusive, que o italiano usou a perna esquerda para empurrar o rival para fora. A direção de prova logo anunciou que vai investigar o lance após a corrida e vai caber a Mike Webb uma decisão que pode mudar os rumos do Mundial.

Uma vez em terceiro, Rossi pouco pôde fazer para alcançar Lorenzo, que também não mostrou condição de reagir ao ritmo de Pedrosa. Assim, a diferença entre os pilotos da Yamaha, ao menos neste instante, cai para apenas sete pontos.
Dani Pedrosa venceu fácil na Malásia (Foto: Honda)
Quarto colocado, Bradley Smith também acabou bastante isolado, 10s271 atrás de Rossi. Cal Crutchlow ficou com o quinto posto, seguindo por um impecável Danilo Petrucci.
 
Aleix Espargaró e Maverick Viñales travaram um bom duelo pelo sétimo posto nos giros finais, que foi vencido pelo mais experiente dos pilotos da Suzuki. Pol Espargaró aparece em nono, com Stefan Bradl completando o top-10.

Com o resultado, ao menos com o que temos antes da investigação, Rossi chegou aos 312 pontos e agora tem sete de vantagem para Lorenzo. Terceiro no Mundial, Márquez soma 222 pontos.
 
Saiba como foi o GP da Malásia de MotoGP:
 
A chuva que caiu na tarde de sábado pouco fez para aliviar a grossa nuvem de poluição que cobre a pista de Sepang. Nas últimas semanas, a Malásia foi tomada por uma névoa resultante de queimas florestais e agrícolas da Indonésia, que resultaram, inclusive, no fechamento de escolas e do aeroporto.
 
Apesar de o sol não conseguir furar a poluição, as temperaturas seguem altas na Malásia. Pouco antes da largada da MotoGP, os termômetros mostravam 35°C, com o piso atingindo a marca de 47°C. Os ventos sopravam a uma velocidade média de 5 km/h.
 
Dono de um bom histórico em Sepang, Dani Pedrosa tem a pole-position em Sepang — a primeira desde a prova de Barcelona de 2014. Marc Márquez tinha o segundo posto, à frente de Valentino Rossi, que faz neste domingo seu GP de número 329 no Mundial de Motovelocidade.
 
11 pontos atrás de Rossi na classificação do Mundial, Jorge Lorenzo abre a segunda fila, à frente de Cal Crutchlow e Andrea Iannone.
 
O grid de Sepang teve uma alteração em relação ao resultado do treino classificatório. Héctor Barberá foi punido pela direção de prova com um ponto de punição por conta de um incidente com Pol Espargaró durante o warm-up desta manhã. Como já tinha outros três pontos, o piloto da Avintia despencou do décimo para o último posto da grelha.
 
Com as arquibancadas lotadas, o público malaio não tardou a tomar partido na briga pelo título. Cada vez que Rossi aparecia na TV, a torcida gritava em apoio ao líder do Mundial. Mas quando era Lorenzo na tela, as vaias tomavam conta de Sepang. Atacado por Valentino durante a semana, Márquez também foi alvo da fúria do público, uma novidade para o jovem espanhol.
 
Para esta penúltima etapa do Mundial, a Bridgestone, fornecedora única dos pneus da classe rainha, disponibilizou os pneus dianteiros médios e duros, e os traseiros macios e duros (simétricos) e médios (assimétricos).
Acidente entre Rossi e Márquez (Foto: Reprodução/Twitter)
Para a prova deste domingo, todos os pilotos do grid optaram pela borracha média na dianteira, apenas Yonny Hernández lançou mão do composto duro. Na traseira, a maioria foi de médio também, exceto alguns pilotos da categoria aberta.
 
Quando as luzes se apagaram na reta de Sepang, os 88.832 espectadores viram Pedrosa se manter na ponta, à frente de Márquez e Rossi. Iannone e Dovizioso passaram Lorenzo, que caiu para sexto. 
 
Sem demora, Lorenzo conseguiu deixar as Ducati para trás, passando por dentro na freada da curva 4, se instalando atrás do companheiro de Yamaha. Pol Espargaró vinha em sétimo, seguido por Stefan Bradl, Crutchlow e Smith.
 
Na ponta, Pedrosa ia imprimindo um ritmo forte e, de cara, abrindo 0s409 de margem para Márquez. Rossi ia se afastando de Marc e vendo Lorenzo chegar.
 
Lorenzo usou o vácuo na reta para passar Rossi na curva 1. O italiano tentou responder, mas o espanhol conseguiu segurar a posição.
 
Márquez chegou a levar a margem de Pedrosa para 0s3, mas o #26 logo conseguiu elevar a margem mais uma vez. Terceiro, Lorenzo ia tentando chegar em Márquez, que errou na curva 4 e permitiu a passagem do #99.
 
Rossi, então, passou a tentar reduzir a vantagem do piloto da Honda, enquanto Lorenzo tentava escapar em busca de Pedrosa.
 
Na reta oposta malaia, Rossi conseguiu colar em Márquez e, pouco depois, na curva 4, passou o #93 pelo terceiro posto. Marc tentou responder de imediato, mas Valentino fechou bem a porta. Nesse ponto, Jorge tinha 0s806 de margem para o companheiro de Yamaha.
 
Mais rápido dos pilotos do top-4, Lorenzo ia tentando encostar em Pedrosa, enquanto Rossi se defendia da pressão de Márquez.
 
O espanhol passou na curva 1, mas levou o troco pouco depois. Na curva 4, Marc conseguiu de novo, mas Rossi recuperou na cinco. Na sequência, o #93 passou de novo. 
 
Na nove, Rossi tentou de novo e passou, mas Márquez reagiu e, na tentativa de passar, Vale perdeu ligeiramente a frente da YZR-M1, dando um respiro ao espanhol. Enquanto isso, Lorenzo ia se afastando, abrindo mais de 2s para o terceiro colocado. Pedrosa, por sua vez, tinha quase 1s de vantagem para o #99.
 
Na quinta volta, Rossi voltou a atacar Márquez e conseguiu assar mais uma vez. Pouco depois, Marc encontrou um ponto para reagir e passou o piloto da Yamaha. 
Jorge Lorenzo mais uma vez reduziu a vantagem de Rossi (Foto: Yamaha)
Na ponta, Lorenzo levou a margem de Pedrosa para 0s6, mas o #26 ampliou a diferença imediatamente. Márquez, por sua vez, ia ficando cada vez mais longe, mas com Rossi colado nele.
 
Na sexta volta da disputa, Rossi passou Márquez por dento na curva 12. Tentando responder, o espanhol tocou o italiano e caiu. O #93 levantou, mas logo foi para os pits.
 
Tão logo Marc caiu, a direção de prova anunciou que iria investigar o acidente após a corrida. A impressão que dava é que Rossi preferiu o contato.
 
Assim, Valentino subiu para a terceira colocação, à frente de Dovizioso, Crutchlow, Smith, Aleix e Pol Espargaró, Petrucci e Bradl.
 
Na frente, Lorenzo não conseguia chegar em Pedrosa, mas Rossi tampouco de aproximava de Jorge. 
 
Na décima volta, Andrea Dovizioso caiu na curva 6 e abandonou a disputa. O incidente do italiano também envolveu Crutchlow, que seguiu na prova, em quinto. 

Com os ponteiros espaçados, a única ação que se viu a seguir foi um duelo de Aleix Espargaró e Maverick Viñales pelo sétimo posto. E foi o mais experiente dos pilotos da Suzuki que ficou com a vitória.

MotoGP, GP da Malásia, Sepang, Final:
 
1
26
DANI PEDROSA
ESP
HONDA
40:37.691
20 voltas
2
99
JORGE LORENZO
ESP
YAMAHA
+3.612
 
3
46
VALENTINO ROSSI
ITA
YAMAHA
+13.724
 
4
38
BRADLEY SMITH
ING
TECH3 YAMAHA
+23.995
 
5
35
CAL CRUTCHLOW
ING
LCR HONDA
+28.721
 
6
9
DANILO PETRUCCI
ITA
PRAMAC DUCATI
+36.372
 
7
41
ALEIX ESPARGARÓ
ESP
SUZUKI
+39.290
 
8
25
MAVERICK VIÑALES
ESP
SUZUKI
+39.436
 
9
44
POL ESPARGARÓ
ESP
TECH3 YAMAHA
+42.462
 
10
6
STEFAN BRADL
ALE
APRILIA GRESINI
+44.601
 
11
45
SCOTT REDDING
ING
MARC VDS HONDA
+47.690
 
12
68
YONNY HERNÁNDEZ
COL
PRAMAC DUCATI
+52.112
 
13
8
HECTOR BARBERÁ
ESP
AVINTIA DUCATI
+52.360
 
14
24
TONI ELÍAS
ESP
FORWARD YAMAHA
+53.619
 
15
19
ÁLVARO BAUTISTA
ESP
APRILIA GRESINI
+53.631
 
16
69
NICKY HAYDEN
EUA
ASPAR HONDA
+1:01.431
 
17
43
JACK MILLER
AUS
LCR HONDA
+1:02.828
 
18
63
MIKE DI MEGLIO
FRA
AVINTIA DUCATI
+1:05.075
 
19
50
EUGENE LAVERTY
IRN
ASPAR HONDA
+1:09.877
 
20
13
ANTHONY WEST
JAP
AB HONDA
+1:24.749
 
 
4
ANDREA DOVIZIOSO
ITA
DUCATI
NC
 
 
93
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
NC
 
 
76
LORIS BAZ
FRA
FORWARD YAMAHA
NC
 
 
29
ANDREA IANNONE
ITA
 DUCATI
NC
 
 
55
DAMIAN CUDLIN
AUS
IODA ART
NC
 
 
 
 
 
 
 
 
POLE
DANI PEDROSA
ESP
HONDA
1:59.053
167.6  km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA
JORGE LORENZO
ESP
YAMAHA
2:00.606
165.4 km/h
RECORDE
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
2:01.150
164.7 km/h
MELHOR VOLTA
DANI PEDROSA
ESP
HONDA
1:59.053
167.6 km/h
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Condições do tempo
 
PISTA SECA
 
ar: 35ºC | pista: 47ºC