Pedrosa diz que é cedo para dizer se RC213V é competitiva: “Temos que ver nas corridas”

Às vésperas do início da temporada 2014 do Mundial de MotoGP, Dani Pedrosa avaliou que ainda é cedo para dizer se a RC213V da Honda é uma moto competitiva

Faltando pouco mais de uma semana para o início dos treinos para o GP do Catar, prova de abertura da temporada 2014 da MotoGP, Dani Pedrosa acredita que ainda é cedo para afirmar se a RC213V da Honda é ou não uma moto competitiva. 
 
Na visão do espanhol, terceiro colocado no Mundial do ano passado, é preciso aguardar as primeiras provas não só para ver o ritmo das motos, mas também a performance de cada um dos pilotos. 
Pedrosa destacou que mudança na capacidade do tanque alterou comportamento da moto (Foto: Getty Images)
“Neste ponto, é difícil dizer se a moto é competitiva ou não. Ainda temos que ver isso nas corridas”, defendeu. “Os pneus também mudaram. Entretanto, no fim, você é medido contra seus oponentes e não é só a moto que te coloca no topo – também é o piloto. Então temos que ver as forças de cada competidor no primeiro GP”, continuou. 
 
Questionado se a mudança na capacidade do tanque de combustível, que caiu de 21l para 20l, mudou o comportamento da moto, Pedrosa avaliou que sim, mas frisou que a relação próxima entre a Honda e a Repsol ajudou nessa transição.
 
“A verdade é que mudou”, contou. “Nós temos sorte de ter uma ligação próxima entre a Repsol e a Honda. Além disso, a sinergia entre o motor e o combustível é mais efetiva e isso é útil para nos adaptar o mais rápido possível à nova regulamentação do tanque de combustível. Vamos ver se essa combinação é mais uma vez vitoriosa”, concluiu. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube