MotoGP

Pedrosa fala em ser lembrado por “boa técnica” e como alguém que encarou “problemas comuns”

Dani Pedrosa afirmou que gostaria de ser lembrado como alguém que enfrentou muitos “problemas comuns” durante sua passagem pelo Mundial de Motovelocidade. O #26 disse que também gostaria de ser lembrado por sua boa técnica

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Dani Pedrosa encerrou a carreira no Mundial de Motovelocidade em 2018, mas ainda não deixou o noticiário da MotoGP. Até por que, aliás, as lesões que o assombraram durante a carreira não deram trégua nem agora: o espanhol sofreu uma fratura dupla na clavícula direita, vai precisar de cirurgia e, portanto, desfalcar a KTM, que contava com o #26 para os testes da pré-temporada.
 
Antes de abrir um novo capítulo da carreira, porém, Dani fez um retrospecto de sua passagem pela elite da motovelocidade e avaliou que gostaria de ser recordado por sua técnica e pelos desafios que enfrentou.
 
Questionado pelo site britânico ‘Crash.net’ sobre como gostaria de ser lembrado após 18 anos de Mundial de Motovelocidade, Pedrosa respondeu: “Como eu gostaria? Bom, honestamente, não sei”.
Dani Pedrosa ressaltou os desafios que enfrentou na carreira (Foto: Arnau Puig/Red Bull Content Pool)
“Mas, claro, como alguém que tentou bastante e encarou muitos problemas comuns que todos os seres humanos têm, que são medo, pensamentos negativos, adversidades e situações desfavoráveis”, apontou. “Na MotoGP, eu sempre tentei superar todas as coisas negativas que cercavam minha condição ou o campeonato. As motos mudaram, as regras mudaram, as motos pesam mais, os pneus ficaram mais duros e tiveram muitos pontos difíceis: lesões e mais lesões”, listou.
 
“Isso é uma coisa que todo mundo pode encarar durante a vida em certas situações. Mas, também, como alguém que tinha uma boa técnica na moto”, completou.