MotoGP

Petrucci segura Márquez em final de tirar fôlego e vence primeira na MotoGP na Itália. Dovizioso é terceiro

Danilo Petrucci, enfim, teve seu dia de glória. O #9 segurou Marc Márquez por só 0s043 em uma corrida eletrizante e conquistou sua primeira vitória na MotoGP justamente em um GP da Itália. Andrea Dovizioso completou o pódio. Valentino Rossi abandonou após uma queda

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
O GP da Itália pode não ter correspondido à expectativa ― já que a torcida gritava por Valentino Rossi desde sexta-feira ―, mas a prova deste domingo (2) certamente não decepcionou os 83.761 espectadores em Mugello e nem aqueles que acompanharam no conforto de casa. Em uma corrida eletrizante, Danilo Petrucci segurou Marc Márquez na linha de chegada para vencer pela primeira vez na carreira na MotoGP.
 
Depois de uma boa largada, Márquez liderou a primeiras cinco voltas, mas sempre com o pelotão por perto. Na sequência, a corrida virou uma loucura, com o #93 despencando para a quarta colocação, atrás das Ducati de Andrea Dovizioso e Petrucci e da Suzuki de Álex Rins.
 
Andrea, Danilo e Álex ocuparam a ponta ainda que brevemente, com o #4 passando mais tempo por lá. Petrucci, então, tomou a liderança do companheiro de Ducati, mas, mesmo em um momento mais calmo da disputa, não conseguiu se afastar de maneira decisiva.
Petrucci venceu Márquez na linha de chegada (Foto: Reprodução)
Usando o vácuo ― tal qual fez na classificação ―, Márquez conseguiu passar Dovizioso, mas Danilo ia mantendo uma margem de 0s3 na ponta da tabela, enquanto o piloto de Forli também seguia na sombra do pentacampeão da MotoGP. 
 
Com cinco giros para o fim, Dovizioso passou Márquez pelo segundo lugar na segunda perna da Arrabbiata, com Petrucci já 0s488 à frente. Na volta seguinte, Andrea deu mais um passo e tirou a liderança do companheiro de equipe na reta de Mugello. 
 
Danilo não deixou barato e recuperou a liderança em meados do giro, mas levou o troco na reta mais uma vez. O #9 seguiu teimando e voltou à primeira posição. 
 
Na abertura da volta final, Dovizioso atacou Petrucci e Márquez aproveitou para dar um bote duplo na reta. O #9 reagiu rápido e tomou a ponta de novo depois de um toque entre o trio. 

Impecável na volta final, Petrucci conseguiu segurar Márquez por só 0s043 e alcançou a primeira vitória na MotoGP justamente correndo em casa. Companheiro de Ducati e hoje parceiro de treino, Dovizioso ficou com o terceiro posto.
 
Assim como tem feito ao longo de todo o ano, Rins fez uma boa prova, mas não conseguiu tirar proveito do vácuo dos ponteiros e acabou em quarto, à frente de Takaaki Nakagami, que conseguiu seu melhor resultado na MotoGP.
 
Melhor Yamaha neste domingo, Maverick Viñales ficou com o sexto posto, seguido por Michelle Pirro e Cal Crutchlow. Pol Espargaró colocou a KTM na nona colocação, com Fabio Quartararo fechando o top-10.
 
Valentino Rossi teve um domingo para esquecer. 18º no grid, o italiano caiu para último depois de um toque com Joan Mir e, para piorar, ainda abandonou a corrida de casa depois de um tombo na oitava volta.

Com o resultado desta sexta etapa da temporada, Márquez chegou a 115 pontos e agora tem 12 de frente para Dovizioso. Rins, Petrucci e Rossi formam um top-5 separado por 43 pontos.
 
Paddockast #20
Punições tardias, circuitos chatos... O que tem de acabar no esporte a motor?



Saiba como foi o GP da Itália de MotoGP:
 
O clima, certamente, não será um problema para o GP da Itália. Assim como aconteceu nos dois dias anteriores, o domingo amanheceu com sol e tempo firme, com a temperatura na casa dos 28°C e o asfalto chegando a 49°C.
 
Pela 84ª vez na carreira ― a 56ª na MotoGP ―, Marc Márquez tinha a pole-position, a segunda do #93 em Mugello na classe rainha do Mundial de Motovelocidade. Fabio Quartararo vinha na sequência, à frente de Danilo Petrucci, que larga na primeira fila pela nona vez na carreira.
 
Franco Morbidelli aparece para abrir a segunda fila, à frente de Jack Miller, que aparece no top-6 do grid pela quinta vez em 2019. Cal Crutchlow vem logo atrás, escoltado por Maverick Viñales, que tem seu pior grid em Mugello desde a temporada de estreia na MotoGP, em 2015, quando foi nono.
 
Em sua melhor classificação na classe rainha, Francesco Bagnaia aparece em oitavo, seguido por Andrea Dovizioso, que faz neste domingo seu 300º GP no Mundial. Destaque em Le Mans, Pol Espargaró colocou a KTM na 11ª colocação.
 
Correndo em casa, Valentino Rossi ficou apenas em 18º, igualando seu pior desempenho no seco ― registrado na Holanda em 2006, quando estava lesionado.
 
Para a prova deste fim de semana, a Michelin separou os pneus macios, médios e duros, mantendo sua tradicional alocação. Os calçados traseiros, porém, vinham em versão assimétrica, com a borracha mais dura do lado direito.
 Largada autorizada em Mugello, com Márquez fazendo boa saída e mantendo a primeira colocação. Enquanto isso, Crutchlow vinha em segundo, com Dovizioso fazendo excelente largada e pulando de nono para terceiro. Petrucci e Miller fechavam o top-5.

Então, o #4 da Ducati conseguiu dar o bote em cima do inglês da LCR para assumir a segunda posição. O italiano acabou trazendo junto seu companheiro, mas o #35 acabou dando o troco e voltou para a terceira colocação.
Mas então, tudo mudou alguns metros para frente. Miller surgiu na briga das primeiras colocações e se colocou no terceiro posto, enquanto Danilo era o quarto. Cal, Rins, Nakagami, Quartararo, Bagnaia e Morbidelli fechavam o top-10.
 
O espanhol da Honda tentava se desprender do restante do pelotão, mas sem grande sucesso. O #93 sustentava uma vantagem de apenas 0s281 para Dovizioso com 21 voltas para o final da corrida. Petrucci vinha em terceiro.
 
Quem vinha escalando muito bem o pelotão era Álex Rins. O espanhol da Suzuki, que saiu de 13º, aparecia em terceiro com 20 giros para a bandeira quadriculada, om um atraso de 0s168 para o titular da Ducati.
 
Mas Petrucci não estava disposto em perder um dos postos do pódio, conseguindo dar o troco em cima do #42. Com isso, o italiano voltou a assumir a terceira colocação. Enquanto isso, Rossi tinha problemas e era o último.
 
Em uma virada de eventos, Petrucci deu o bote certeiro em cima de Márquez para liderar pela primeira vez na temporada. O espanhol tentou dar o troco, mas acabou caindo para a quinta colocação. Dovizioso, Miller e Rins separavam os dois pilotos.
As coisas nas primeiras colocações estavam bastante animadas. Enquanto Andrea conseguiu bater seu companheiro para se tornar o novo líder, Marc e Jack estavam engajados em uma dura batalha, chegando a se tocar. O #93 era o quarto.
 
Mais para trás, Franco Morbidelli sofria um forte golpe de má sorte. Na curva 15, o ítalo-brasileiro acabou indo ao chão e encerrando de forma precoce sua participação em Mugello.

Pouco depois, outra queda foi registrada em solo italiano. Foi a vez de Valentino ir ao chão e abandonar a corrida caseira.
Mas na ponta do pelotão, seis pilotos estavam bastante próximos e brigando ativamente pelas colocações do pódio. Dovizioso e Petrucci se revezavam na ponta, enquanto Márquez tentava superar a dupla da Ducati. Entretanto, além de não conseguir reassumir a liderança, viu Rins tomar para si o terceiro posto.
 
Com 14 voltas para o final, a ordem era Dovizioso, Rins, Petrucci, Márquez, Miller, Crutchlow, Bagnaia, Nakagami, Quartararo e Viñales.
 
Era impossível piscar enquanto acompanhava a corrida. Álex então surgiu na ponta, mas logo foi superado por Danilo, que pouco depois foi ultrapassado por Andrea. Marc tentou superar o espanhol pelo terceiro posto, mas sem sucesso.
 
O #9 deu o bote em cima do #4 para assumir a primeira colocação. Nesse momento, Márquez também estava em terceiro e completava o pódio da prova. Rins e Miller fechavam o top-5 do momento.
 
Restavam dez giros para a bandeira quadriculada e o titular da Honda conseguiu superar Dovizioso pela segunda colocação. Agora, o espanhol tinha um atraso de 0s394 para o ponteiro da corrida.

Quando estava na quinta colocação junto do pelotão que brigava pelas primeiras colocações, Miller teve um golpe de má sorte e acabou indo ao chão, abandonando a prova. Petrucci, Márquez, Dovizioso, Rins e Nakagami era o top-5 do momento.
 
Quando a corrida entrava na sua reta final, Márquez começou a se aproximar de forma bastante ameaçadora de Danilo. O espanhol chegou a tentar bater o espanhol, mas sem sucesso.
 
Com cinco giros para o encerramento da prova, foi a vez de Dovizioso avançar no pelotão. Em um movimento ousado, apertou Marc para conseguir assumir a segunda colocação. Enquanto isso, Danilo tinha um respiro de 0s370.

O #4 então conseguiu superar seu companheiro para assumir a primeira colocação do pelotão. Márquez, Rins, Nakagami, Viñales, Crutchlow, Quartararo, Pirro e Pol Espargaró fechavam o top-10 com quatro voltas para o fim. Pouco depois, o #9 reassumiu a liderança.
 
A briga entre os italianos da Ducati estava bastante emocionante. Andrea tentava superar Danilo, chegando a colocar lado a lado com o colega. Enquanto isso, Márquez tentava levar a melhor em cima da dupla, mas sem sucesso.

Na última volta as coisas mudaram mais uma vez. Márquez abriu o giro na ponta, mas Petrucci fez uma ultrapassagem dupla em cima do espanhol e de Dovizioso para reassumir a liderança. Andrea chegou a balançar em cima da moto.
 
O titular da Honda estava empenhado em alcançar o #9 enquanto via o #4 se aproximar de forma bastante ameaçadora. Enquanto isso, Rins acompanhava tudo de camarote da quarta colocação.
 
No setor final, Petrucci entrou na primeira colocação. O italiano se viu bastante pressionado por Márquez, mas segurou bem a pressão para assegurar sua primeira vitória na classe rainha do Mundial. Marc foi o segundo, enquanto Andrea fechou a porta para o ataque final de Álex para completar o pódio.
 
MotoGP 2019, GP da Itália, Mugello, Final:

1 D PETRUCCI Ducati 41:33.794 23 voltas
2 M MÁRQUEZ Honda +0.043  
3 A DOVIZIOSO Ducati +0.338  
4 A RINS Suzuki +0.535  
5 T NAKAGAMI LCR Honda +6.535  
6 M VIÑALES Yamaha +7.481  
7 M PIRRO Ducati +13.288  
8 C CRUTCHLOW LCR Honda +13.937  
9 P ESPARGARÓ KTM +16.533  
10 F QUARTARARO SIC Yamaha +17.994  
11 A ESPARGARÓ Aprilia Gresini +20.523  
12 J MIR Suzuki +20.544  
13 J LORENZO Honda +20.813  
14 K ABRAHAM Avintia Ducati +27.298  
15 A IANNONE Aprilia Gresini +28.051  
16 M OLIVEIRA Tech3 KTM +30.101  
17 J ZARCO KTM +41.857  
  J MILLER Pramac Ducati NC  
  F BAGNAIA Pramac Ducati NC  
  H SYAHRIN Tech3 KTM NC  
  V ROSSI Yamaha NC  
  F MORBIDELLI SIC Yamaha NC  
  T RABAT Avintia Ducati NC  
         
VMR J MILLER Pramac Ducati 1:47.657 175.3 km/h
REC M MÁRQUEZ Honda 1:47.639 175.4  km/h
MV M MÁRQUEZ Honda 1:45.519 178.9 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 29ºC | pista: 49ºC



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.