MotoGP

Piloto espanhol com mais pódios em Jerez, aposentado Pedrosa ganha homenagem e vira nome de curva

A curva seis do circuito de Jerez, antiga Dry Sack, agora chama Curva Pedrosa, em homenagem ao recém-aposentado Dani Pedrosa, ainda piloto espanhol de mais pódios no autódromo. Pedrosa se junta a uma lista que conta com Sito Pons, Ángel Nieto, Jorge ‘Aspar’ Martínez, Álex Crivillé e Jorge Lorenzo

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
Dani Pedrosa está de volta em pessoa e em figura. Em pessoa, claro, porque voltou ao paddock da MotoGP, algo que ainda não havia feito desde a aposentadoria das pistas, no fim do ano passado. Em figura, porque recebeu uma homenagem e está gravado na posteridade do circuito de Jerez. A mudança, que havia sido anunciada meses atrás, foi confirmada neste sábado (4): Pedrosa é nome de curva.
 
O circuito de Jerez trocou o nome da sexta curva, antes Dry Sack e agora Curva Pedrosa. Mesmo com o brilho de Jorge Lorenzo e Marc Márquez, Pedrosa segue, afinal, sendo o piloto espanhol com mais pódios na pista: foram dez seguidos entre 2005 e 2014.
 
Aliás, Pedrosa se junta ao próprio Lorenzo e outras lendas do motociclismo espanhol: Sito Pons, Ángel Nieto, Jorge ‘Aspar’ Martínez e Álex Crivillé. Todos estes são nome de curva no circuito.
Dani Pedrosa (Foto: Circuito de Jerez)
"Eu fico muito animado. Impressiona, porque desde criança [Jerez] tem sido um dos circuitos mais importantes do calendário. Ter uma curva aqui me deixa animado demais. Acredito que vai ser especial", afirmou em entrevista ao jornal catalão 'Mundo Deportivo', ainda na sexta-feira.
 
"Quando você está na posição que eu estou agora, os comentários das pessoas são diferentes - eu não vou a um circuito desde Valência. Sempre gostei muito do ambiente em Jerez quando era piloto, mesmo tendo que lidar com a pressão e estressado. Agora, sem a pressão e o estresse, espero aproveitar ainda mais", desejou.
 
Pedrosa lembrou ainda que é a primeira vez que vai a um circuito como espectador, algo que não fazia sequer quando estava machucado. "É muito raro, porque sempre que estive lesionado e não podia correr, não ia às corridas. É a primeira vez que estou numa corrida mais como espectador que como piloto."