MotoGP

Pilotos apontam necessidade de mudança em Mugello para aumento de segurança: “Estamos no limite”

A MotoGP desembarca neste final de semana em Mugello para disputar o GP da Itália. Na coletiva de imprensa desta quinta-feira (30), Valentino Rossi, Marc Márquez e Andrea Dovizioso atentaram ao fato que a pista italiana precisa de mudanças para a segurança dos pilotos

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
A MotoGP desembarca neste final de semana em Mugello para a sexta etapa do calendário. Nesta quinta-feira (30), durante a coletiva de imprensa, Marc Márquez, Andrea Dovizioso e Valentino Rossi fizeram um pedido em comum: que deixassem a pista mais segura.
 
No último ano, Michele Pirro, piloto de testes da Ducati, protagonizou um assustador acidente na curva San Donato. O piloto foi arremessado de sua moto quando estava a 360 km/h, e o episódio abriu espaço para debates e críticas dos pilotos.
 
De olho nas mudanças para aumentar a segurança do circuito italiano, Marc Márquez revelou que o assunto já foi debatido e apontou algumas soluções que podem ser feitas. “Nós já falamos sobre isso na Comissão de Segurança. O único ponto crítico é o final da reta. Estávamos falando de fazer a subida um pouco diferente”, disse.
Rossi, Márquez e Dovizioso (Foto: Reprodução)
“Temos a elevação e então uma descida no ponto de frenagem e falávamos sobre isso. Sabemos que as motos estão cada vez mais velozes e, para mim, no futuro precisamos fazer algo para tornar a área mais plana. Se é plana, é mais segura, e para o show é a mesma coisa”, seguiu.
 
Quem concordou com o titular da Honda foi Andrea Dovizioso, que ressaltou a mudança das aletas e a reação da moto. “Acredito que a pista ainda é ok, mas estamos realmente no limite. Mas depende das regras”, apontou.
 
“As aletas mudaram muito a maneira que você deve pilotar e a reação da moto, que afeta muito as coisas nesse ponto. Se as motos estão melhorando e as velocidades são maiores, acredito que realmente estamos no limite”, continuou.
 
Por fim, Valentino Rossi endossou o discurso dos dois companheiros de bancada. Apesar de reconhecer que Mugello é uma pista ‘das antigas’, mostrou entender que é necessário que sejam feitas alterações.
 
“É uma pista clássica, então em alguns pontos também é perigosa. Você está indo muito rápido e não tem muito espaço. A freada na primeira curva, você chega a 350 km/h, começa a ser perigoso. Talvez precisemos modificar um pouco. Mas não é muito fácil. Ou tentamos chegar um pouco mais lentos, ou tentamos deixa-la um pouco mais plana, se for possível”, encerrou.