Pista seca agita terceiro treino livre da Moto2 na pista de Aragón, que vê liderança de Zarco

Johann Zarco repetiu a boa atuação demonstrada nos treinos livres desta sexta-feira (29) e fechou na frente o terceiro treino livre da Moto2 na Espanha neste sábado. Líder do campeonato, Marc Márquez terminou apenas em nono.

A Moto2 foi a grande beneficiada com a significativa melhora do tempo na manhã deste sábado (29) em Aragón. Com o asfalto bem mais seco, especialmente na parte final do terceiro treino livre, os pilotos conseguiram melhorar suas marcas e usar o tempo de forma mais produtiva para os últimos ajustes antes da classificação de logo mais. E quem levou a melhor nessas condições foi Johann Zarco, que já havia sido o mais rápido nos treinos de sexta-feira.

O francês da JiR aproveitou uma volta limpa no minuto final das atividades matutinas para virar 2min06s345 e, assim, confirmar a primeira posição na tabela de tempos. Alex de Angelis também melhorou na parte final e subiu para segundo, 0s139 atrás do gaulês. Anthony West foi outro que apareceu nos últimos minutos para registrar 2min06s684 e fechar os três melhores. Julián Simón e Gino Rea completaram o top-5. Líder do campeonato, Marc Márquez terminou apenas em nono.
 

Johann Zarco foi o mais veloz no terceiro treino livre da Moto2 em Aragón (Foto: MotoGP)

Confira como foi o terceiro treino livre da Moto2 em Aragón neste sábado

No fim do treino da MotoGP, a pista de Aragón ainda está bastante escorregadia por conta da chuva insistente que marcou a atividade da classe rainha. Porém, quando as motos da classe intermediária do Mundial receberam o sinal verde para a terceira e última sessão livre do fim de semana, o asfalto já estava bem menos perigoso. Até por isso o início da atividade foi agitado, com quase todo mundo na pista. E coube a Gino Rea registrar a primeira volta cronometrada do treino. O inglês da Gresini deu início aos trabalhos com 2min08s953 e foi seguido por Marc Márquez, Thomas Lüthi, Takaaki Nakagami, Andrea Iannone e Simone Corsi.

Logo em seguida, o líder do campeonato colocou o nome do topo da tabela, com 2min08s363, deixando Rea em segundo. E foi aí que Julián Simón apareceu na terceira colocação, trazendo consigo Iannone, Scott Redding e Lüthi. Nicolas Terol também conseguiu boas voltas nos primeiros minutos e pulou para segundo, superando Gino e Simón, que, sentindo a melhora nas condições do asfalto retornaram ao circuito.

Rea, então, comprovou a melhor aderência e cravou 2min07s587, deixando Julián 0s662 atrás. Márquez era o terceiro, enquanto Nakagami aparecia em quarto, logo à frente de Terol, Tomoyoshi Koyama, Johann Zarco, Lüthi e Redding. Aí Márquez, Rea e Simón resolveram disputar um duelo particular pela ponta. Os três chegaram a saltar para primeiro, mas a vitória na minibatalha ficou mesmo com Rea, restando dez minutos para o fim.

O inglês registrou 2min06s802 e aparecia confortável demais na frente. Simón ainda chegou a surgiu com 2min06s729, mas foi rapidamente superado por Zarco, que veio escalando o pelotão até o topo da tabela. No minuto final, aproveitando uma volta limpa e longe do tráfego, o francês obteve 2min06s345. Alex de Angelis e Anthony West seguiram o gaulês e também pularam para a parte de cima da folha de tempos, anotando a segunda e a terceira marcas, respectivamente.

Simón ainda superou Rea no fim e ficou com o quarto lugar, empurrando o britânico para quinto, à frente de Alex Mariñelarena e Pol Espargaró, que também só apareceu mesmo no fim. Mika Kallio assegurou o oitavo lugar, seguido por Márquez e Jordi Torres. O brasileiro Eric Granado, que retorno à categoria depois da lesão no ombro que o impediu de correr em Misano, terminou a atividade em 30°.

A classificação da Moto2 acontece logo mais, às 10h10, de Brasília.

Moto2, GP de Aragón, treino livre 3:

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube