carregando
MotoGP

Pramac vê Miller perto de acordo com Ducati: “Existe a intenção das duas partes”

Chefe da Pramac, Francesco Guidotti afirmou que Jack Miller está perto de acertar a transferência para a Ducati em 2021. O dirigente contou que o australiano rejeitou uma proposta da KTM no ano passado

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Jack Miller está mais e mais próximo de mudar o uniforme na temporada 2021 da MotoGP. Chefe da Pramac, Francesco Guidotti revelou que o australiano está perto de acertar a transferência para o time de fábrica da Ducati.
 
Depois de perder a chance de contratar Maverick Viñales e Fabio Quartararo, a casa de Bolonha hoje tem uma lista de cinco pilotos para escolher seus titulares do próximo ano: além de Miller, Andrea Dovizioso, Danilo Petrucci, Francesco Bagnaia e Johann Zarco.
 
Promovido ao time de Borgo Panigale em 2019, Petrucci teve o contrato renovado para este ano, mas precisava correr para tentar, mais uma vez, provar que merecia o lugar. Sem as corridas, porém, o italiano vê sua posição mais e mais ameaçada e já admitiu que Miller está com um pé na Ducati.
Jack Miller conquistou cinco pódios no ano passado (Foto: Red Bull Content Pool)
Paddockast #61
VETTEL: ACERTOS, ERROS E... AZAR NA FERRARI

Ouça:
Spotify | iTunes | Android | playerFM

Correndo pela Pramac desde 2018, Jack acumula cinco pódios ― todos no ano passado ― e uma pole com a Desmosedici.
 
Na visão de Guidotti, Miller mostrou na temporada passada que tem potencial para defender o time oficial da marca de Bolonha. 
 
“A situação mais lógica e normal é que Jack vá para o time de fábrica”, disse Guidotti em entrevista ao site da MotoGP. “Ele começou conosco com a meta de correr pelo time de fábrica. Depois de um primeiro ano difícil, acho que no ano passado ele mostrou um potencial muito bom, deu um grande passo. Nós estávamos esperando por este ano para ver mais melhora, mas, no momento, não há chance dele mostrar isso. Eu acho, e a Ducati também, que ele tem potencial”, seguiu.
 
Mesmo correndo pela Pramac, Miller e Bagnaia têm contrato direto com a Ducati, que decidiu usar o time satélite para desenvolver jovens talentos. 
 
“Ele está pronto para o time de fábrica. Não tenho certeza se o acordo está feito, pois, desde o fim da temporada passada, nós temos um novo acordo com a Ducati. Nós costumávamos ser independentes na escolha dos nossos pilotos. Claro, nós sempre informávamos a Ducati e aí a envolvíamos na negociação. O primeiro passo, a primeira abordagem a um novo piloto era feita por nós”, lembrou. “No fim do ano passado, nós decidimos inverter as posições e agora a primeira abordagem é feita pela Ducati, porque eles queriam planejar em médio e longo prazo com jovens pilotos e nos questionaram se isso era possível. Claro, eles nós mantém atualizados passo a passo. Então, em relação a Jack, eles estão negociando e, até onde sei, ainda não está feito. Mas, claro, existe a intenção das duas partes de fazer um acordo. Acho que está perto”, comentou.
 
Por fim, Guidotti revelou que, no ano passado, Miller rejeitou uma proposta da KTM para seguir com a Ducati.
 
“No ano passado, Jack poderia ter saído quando a KTM ofereceu a ele um monte de dinheiro, mas ele ficou conosco com, digamos, não pouco dinheiro, mas com muito menos. Isso significa que ele está muito feliz com o aspecto técnico, gosta da moto e a sensação é boa”, encerrou.
 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.