Presidente da Dorna afirma que GP da Argentina segue em dúvida no calendário de 2013 da MotoGP

Carmelo Ezpeleta, presidente da Dorna, promotora do Mundial de Motovelocidade, afirmou que o GP da Argentina ainda não foi confirmado. Disputa entre Repsol e governo de Cristina Kirchner é a causa do impasse

 

Carmelo Ezpeleta, presidente da Dorna, promotora da MotoGP, confirmou que ainda não foi encontrada uma solução para o impasse que pode impedir a realização do GP da Argentina de 2013. O governo da Espanha não recomenda que pessoas ligadas à Repsol, uma das principais patrocinadoras do Mundial, viagem ao país.
 
Em abril deste ano, Cristina Kirchner, presidente da Argentina, ordenou uma intervenção na petrolífera YPF, controlada pela gigante espanhola, e encaminhou ao Congresso um projeto de lei para expropriar 51% das ações da companhia.
Ezpeleta afirmou que realização GP da Argentina segue em dúvida (Foto: MotoGP)
A Repsol é a principal patrocinadora da Honda, que ano que vem vai alinhar com Daniel Pedrosa e Marc Márquez. Além disso, a empresa também apoia uma série de pilotos nas classes menores do Mundial, como Álex Rins e Álex Márquez.
 
Em entrevista ao site britânico ‘Motorcycle News’, Ezpeleta afirmou que a recomendação do governo espanhol segue valendo e não há nenhuma novidade sobre a realização da etapa no circuito de Las Termos de Río Hondo. 
 
“Não há mudança desde que recebemos uma carta do governo espanhol antes de Assen avisando que eles não recomendavam que o pessoal da Repsol fosse para a Argentina”, afirmou. “Quando publicamos o calendário provisório, mandamos outra carta para a organização da etapa da Argentina e dissemos que a situação continuava da mesma forma e, por isso, eles não estavam no calendário. Ainda não tivemos nenhuma mudança”, explicou. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube