Presidente da Dorna vê MotoGP seguindo passos da Moto3 e revela negociação com Suzuki e Aprilia

Carmelo Ezpeleta, presidente da Dorna, promotora do Mundial de Motovelocidade, revelou em entrevista ao diário espanhol ‘AS’ que tem conversado com Suzuki e Aprilia para que montadores voltem para MotoGP. Dirigente vê classe rainha seguindo caminho da Moto3

 

Carmelo Ezpeleta, presidente da Dorna, promotora do Mundial de Motovelocidade, segue trabalhando para conter os custos da MotoGP e atrair mais fabricantes para a categoria. Em entrevista ao diário espanhol ‘AS’, o dirigente espanhol revelou que tem conversado com Suzuki e Aprillia.
 
Na visão de Carmelo, se a MotoGP conseguir mostrar que não é uma categoria com custos ilimitados, poderá atrais mais equipes em 2014.
Ezpeleta revelou negociação com Suzuki e Aprilia (Foto: MotoGP)
“Estive com a Suzuki em Brno e estamos trabalhando com a Aprillia, mas não há nada concreto”, explicou Ezpeleta. “Se nós pudermos demonstrar que este não é um campeonato com custos ilimitados, virão mais marcas. Espero que seja assim a partir de 2014”, torceu.
 
Questionado sobre uma declaração que deu no ano passado, quando disse que não gostava do formato da MotoGP e que pretendia alterá-lo, Ezpeleta afirmou que vê a classe rainha seguindo os passos da Moto3.
 
“Quero uma MotoGP no estilo da Moto3, porque há mais variedade técnica, com liberdade de motores”, falou. “Em vez de um cilindro, são quatro. O diâmetro do pistão é o mesmo, 81 mm. As revoluções estão limitadas, mesmo que com um limite diferente (para MotoGP, a ideia é que sejam 15 mil RPM e na Moto3 estão limitadas a 14 mil). E a centralina é a mesma e na MotoGP também queremos a mesma para todos”, completou. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube