MotoGP

Quartararo celebra melhor largada na MotoGP e diz que adrenalina escondeu dor de cirurgia

Depois de conquistar primeiro pódio na MotoGP, Fabio Quartararo avaliou que fez sua melhor largada nestas sete corridas do ano. O #20 contou, também, que não sentiu os efeitos de um cirurgia recente para tratar o famoso arm-pump

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Fabio Quartararo foi um dos destaques do GP da Catalunha. Depois de conquistar a segunda pole em sua ainda curta carreira, o francês aproveitou sua sétima corrida na MotoGP para debutar no pódio e conquistou o segundo lugar.
 
O piloto da SIC não conseguiu manter a ponta na largada, mas não se afastou tanto da liderança nos primeiros metros. Na quarta curva, no entanto, Fabio tocou Marc Márquez e despencou na tabela.
 
Depois do acidente que tirou Jorge Lorenzo, Andrea Dovizioso, Maverick Viñales e Valentino Rossi da corrida, Quartararo apareceu como protagonista e travou um bom duelo com Danilo Petrucci e Álex Rins pelo lugar.
 
Fabio Quartararo conseguiu o primeiro pódio na MotoGP na Catalunha  (Foto: SIC)
Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?



Com o segundo lugar, Fabio se tornou o quinto piloto mais jovem a subir no pódio da classe rainha, atrás apenas de Randy Mamola, Eduardo Salatino, Norick Abe e Márquez. O #20, aliás, é só 8 dias mais velho do que o rival da Honda era em seu primeiro pódio.
 
“Acho que conseguimos fazer nossa melhor largada na temporada, só perdemos duas posições, mas, na curva 4, cometi um pequeno erro e atingi Marc, então perdi posições. Vi que todo mundo caiu na frente, mas não vi quem cometeu o erro”, contou. “Foi uma corrida dura, porque Danilo e Suzuki são realmente rápidos na reta. No primeiro setor, eu consegui ultrapassar Danilo e pensei que tinha de abrir vantagem durante os setores para que não possa ser ultrapassado na reta. Acho que conseguimos fazer isso bem”, avaliou.
 
Ainda, Quartararo, que passou recentemente por uma cirurgia para tratar a síndrome compartimental, contou que passou sem dores pela prova em Montmeló.
 
“Com a adrenalina de lutar pelo primeiro pódio, eu não pensei na dor ou senti. Sinto um pouco agora e a cicatriz está um pouco esticada, mas você não pensa nisso, só na corrida que fez”, completou.
 


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.