MotoGP

Rins descola rótulo de candidato ao título e prega filosofia “corrida a corrida”: “É importante aproveitar”

Álex Rins vai disputar a temporada 2019 com uma promissora Suzuki, mas preferiu evitar falar sobre briga do título. Nesta quinta-feira (7), o piloto afirmou que pensa corrida a corrida, frisando a importância de aproveitar em cima da moto

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
GUIA 2019
🏁 MotoGP abre 2019 imprevisível e com promessa de alta competitividade
🏁 Por equilíbrio, MotoGP introduz mudanças aerodinâmica e eletrônica
🏁 Yamaha mostra evolução. Mas a dúvida permanece: é o suficiente?
🏁 Ducati sai da pré-temporada forte e vê chance de recuperar título
🏁 Honda carrega mistério: Márquez e Lorenzo vão se aguentar sem brigas?
🏁 Após anos de 'chove e não molha', Suzuki vê chance de dar próximo passo
🏁 KTM tem Pedrosa como trunfo e chance de acelerar evolução da RC16
🏁 Aprilia mira evolução e busca recuperação após 2018 decepcionante
🏁 Moto2 tem motor Triumph, mudança na classificação e classe talentosa
🏁 Moto3 traz nova classificação, volta de Fenati, time de Biaggi e promessa Öncü
🏁 Até com Gibernau, Mundial estreia Copa do Mundo de MotoE em 2019

A temporada 2019 da MotoGP está prestes a começar, e a Suzuki é vista como uma das promessas. Inclusive, durante a coletiva de imprensa desta quinta-feira (7), no Catar, Álex Rins comentou sobre a possibilidade de brigar pelo título, minimizando o fato.
 
O ano de 2018 do espanhol foi para lá de positivo. O piloto terminou no pódio em cinco corridas, terminando a classificação na quinta colocação – mesmo somando cinco abandonos ao longo do ano. Ainda, pontuou em todas as corridas que cruzou a linha de chegada.
Álex Rins (Foto: Michelin)
❀ Tatiana Calderón – pilota de testes da Alfa Romeo e primeira mulher a correr na F2
❀ Bruna Tomaselli - do kart em Santa Catarina à seleção na W Series e no Road to Indy

Portanto, as expectativas em cima de Rins estão altas para este campeonato. Entretanto, o piloto está evitando colocar muita pressão em cima de si. “Com certeza, não. Vou tentar pilotar sem pressão”, falou.
 
“É importante aproveitar com a moto, vou tentar ir corrida a corrida, então agora é aqui no Catar Claro que vai ser difícil vencer, pois todos estão dando 100%, mas vamos ao limite e também vamos tentar estar no topo e brigar com as motos de fábrica. Como foi visto no teste, todos estão muito rápidos”, encerrou.