Rivais defendem Quartararo e falam que punições na MotoGP “são difíceis de entender”

Aleix Espargaró, Álex Rins e Francesco Bagnaia disseram o mesmo: que a falta de critério na aplicação de punições para incidentes na MotoGP estão deixando os pilotos confusos e cobraram mais clareza da direção de prova

Rivais na pista, porém unidos em uma causa em comum: decifrar as polêmicas decisões da direção de prova da MotoGP. Alguns pilotos do grid foram questionados sobre a punição aplicada a Fabio Quartararo no GP da Holanda, em Assen, e a opinião foi uma só: independentemente da culpa do piloto da Yamaha, casos piores já aconteceram e passaram batido, sem que os pilotos envolvidos sofressem qualquer tipo de sansão.

Um dos que defenderam o líder do Mundial foi Aleix Expargaró, que foi o piloto lesado no incidente em que Quartararo foi punido com uma volta longa, a ser cumprida nessa rodada, na Grã-Bretanha — para relembrar: o #20 tentou ultrapassar o representante da Aprilia nas primeiras voltas da corrida holandesa, mas perdeu o controle da moto e caiu, empurrando o rival para a brita. Por sorte, Aleix conseguiu retornar à corrida, mas os comissários julgaram Fabio “ambicioso demais” na disputa.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Aleix Espargaró foi afetado diretamente pelo erro de Quartararo, mas defendeu o francês (Foto: Divulgação/MotoGP)

“Concordo plenamente com o Fabio no sentido de ele não estar feliz e não entender a penalização”, disse Aleix Espargaró. “Concordei com ele porque vimos exemplos diferentes durante o ano de pilotos que foram muito mais agressivos do que ele e não foram punidos”, acrescentou.

“Se tivesse havido punições nesses casos, e aí Fabio também fosse punido, acho que compreenderíamos e seguiríamos. Mas todos os pilotos da comissão de segurança estão pressionando pelo mesmo. Queremos entender qual é o limite e tornar isso mais fácil para todos. Se num dia você pune, e no outro não, fica difícil de entender. Acredito que vamos continuar andando agressivamente”, complementou o #41.

Aleix ainda brincou sobre uma fala de Quartararo, dizendo que não ia mais ultrapassar ninguém. “Não é verdade, ele não vai ultrapassar muito”, mas retomou o tom sério e insistiu que as punições precisam ser aplicadas da mesma forma a todos. “Você precisa punir da mesma forma, seja Jack [Miller] em Portimão, Taka [Nakagami] em Barcelona, ou esse caso. Não foram casos diferentes, mas houve diferentes penalidades. Isso dificulta o entendimento.”

Em Barcelona, a polêmica foi ainda maior: na largada, antes da primeira curva, Takaaki Nakagami literalmente atropelou os adversários e bateu com a cabeça na moto de Álex Rins — a violência do impacto foi tão grande que Rins fraturou o punho esquerdo.

O piloto da Suzuki também se manifestou sobre a seletividade na aplicação de punições na MotoGP. “Há dois tipos de incidentes, acredito. Há aqueles em que você inicia a ultrapassagem e perde a frente, e há aqueles como em Montmeló [referindo-se a Nakagami]. Não sei o que precisa mudar. Para mim, o de Fabio, não estou totalmente de acordo com a punição.”

Francesco Bagnaia, que terá a chance de descontar a vantagem de 66 pontos este fim de semana graças à punição ao rival, foi mais um que saiu em defesa do atual campeão da categoria. “É difícil entender essas penalizações. No Catar, eu fiz quase o mesmo que Jack [Miller] e foi muito similar ao que Quartararo fez, mas nenhum de nós foi punido.”

“Em Barcelona, aconteceu um acidente enorme, uma condução irresponsável, e Taka não foi punido. Então, para nós, é bem difícil de entender, mas eu não concordo com a punição a Fabio”, finalizou.

LEIA TAMBÉM
Quem subiu, desceu ou surpreendeu até aqui na MotoGP 2022
Suzuki anuncia acordo com Dorna e oficializa saída da MotoGP ao fim de 2022
Dovizioso vê trajetória completa e anuncia aposentadoria da MotoGP em 2023
Marc Márquez avança em recuperação e é liberado para fisioterapia 42 dias após cirurgia
Quartararo é agraciado com Ordem Nacional da Legião de Honra na França
Suzuki inicia contagem regressiva de adeus melancólico à MotoGP em 2022
KTM volta a se perder na MotoGP e precisa buscar forças para se reerguer em 2022
Honda sofre para cicatrizar feridas sem Marc Márquez em ano de fracasso total
Aprilia dá salto de performance, vira estrela e mete colher até na briga pelo título
Carregada por Quartararo, Yamaha faz sólida defesa de título em 2022 agridoce na MotoGP
Favoritos naufragam na disputa entre novatos em 2022. Bezzecchi nada de braçada
Moreira veste Moto3 como luva e encanta logo de cara. E não só aos brasileiros
Ranking GP: As notas dos pilotos da MotoGP na primeira metade da temporada 2022

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Escanteio SP.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar